Segundo Brasileiro condenado na Indonésia será executado em fevereiro

brasileiro

O brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, está numa lista de 11 pessoas que serão executadas na Indonésia em fevereiro deste ano. A informação é da “Folha de S. Paulo”. Segundo o jornal, a Procuradoria Geral daquele país informou ao Parlamento local, nesta quarta-feira, sobre a relação dos prisioneiros que serão mortos.
Uma prima de Rodrigo, Angelita Muxfeldt, está na Indonésia e contou à “Folha” que o advogado dele confirmou que não cabem mais recursos à Justiça para tentar impedir a execução e relatou ainda surtos que o brasileiro tem. Rodrigo foi diagnosticado com esquizofrenia.

Segundo Angelita, que diz estar em “pânico” com a morte iminente, ainda há esperança de se tentar um adiamento da execução enquanto Rodrigo estiver em tratamento. A família tenta, agora, convencer Rodrigo a se internar, já que ele se recusa a ir ao hospital.

– O advogado esclareceu não haver previsão legal de impedimento ou suspensão da execução de condenado que se encontre doente física ou mentalmente. Ele se recusa a ir ao hospital, diz sempre que estar numa prisão é seguro. Porém concordou em conversar com um médico que venha até a prisão para vê-lo – disse Angelita à “Folha”, por e-mail.

Segundo a prima, quando está lúcido o brasileiro é “calmo e gentil”, mas durante as crises “conta histórias de um passado nosso que nunca existiu e de um futuro surreal”. Ele diz, ainda de acordo com Angelita, “ouvir bombas e que existem ataques noturnos na prisão por ondas eletromagnéticas”.

Rodrigo foi preso em 2004, quando tentou entrar na Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em pranchas de surfe.

Em 17 de janeiro, a Indonésia executou o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos. Ele foi condenado por tráfico em 2004 e teve dois pedidos de clemência negados. Marco foi o primeiro brasileiro condenado à pena capital executado no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*