Morre, aos 51 anos, o ator e diretor teatral Guilherme Telles

telles

No início da manhã desta quinta-feira (28), morreu, aos 51 anos, o bailarino, ator e diretor de teatro Guilherme Telles. O artista maranhense teve um enfisema pulmonar e morreu ao dar entrada em um hospital de São Luís, às 6h desta quinta.

Guilherme Telles fez sucesso interpretando o personagem Aurijane na peça teatral “Uma linda quase mulher”. No mês de junho, o artista dirigiu e atuou no Espetáculo Encantos, no Teatro Arthur Azevedo.

O corpo de Guilherme Telles está sendo velado na sede da Pulsar Companhia de Dança, na rua Astolfo Marques Nº18, no Apeadouro, em São Luís. Já o enterro será no cemitério de Paço do Lumiar. O horário ainda será divulgado pela família do artista.

Vida e arte de Guilherme Telles

O maranhense Guilherme Soares Telles de Souza nasceu no dia 2 de Agosto de 1965, começando os estudos na área artística em 1982, com a professora Regina Telles no Estúdio Pró-Dança. Logo depois, Telles assumiu a direção da escola, atuando como bailarino, ator e professor em cursos de dança.

Trabalhos como bailarino e coreógrafo: espetáculo “10 em cena”, “Huis Clos”, “Ritos e desejos”, “Apenas uma mulher”, “Ultrapassagem”, “Leques”, “Antígona”, “A menina e o pássaro”, “O trabalhador”, “O pequeno príncipe”, “Bar do porto”, “Chamató”, “Cinzentos mares”, “Murais”, “Mata racha”, “Se Ana voltar”, entre outros.

Ele também foi coordenador Geral de Esportes da AABB (1991/1995), na coordenação da Escola Aquanata de Natação (1991/1992) e na coordenação do Projeto Anos Dourados, através do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Cultural – Iphan (2001/2005).

Como ator ele participou dos espetáculos: “Sobrevivência”, ”O mentiroso”, “A missão”; “Marat Sade”, “Encantos”, “O sapateiro real”, “Verde que te quero”, “Toda poesia”, “Uma linda quase mulher” e “Dona Casimira”.

Participou dos espetáculos infantis como diretor e ator: “Os saltimbancos”, “O menino do dedo verde”, “O reizinho mandão”, “Alice no país das maravilhas” e “A festa no céu”.

Desenvolveu projetos cênicos na “Companhia Os Te-Té-Le-Lés”, sendo diretor e ator, também foi ator e diretor da Pulsar Cia de Dança. Atualmente ele dirigia o estúdio de artes cênicas da companhia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*