Candidata do PSTU rejeita terceirização e PPP em seu programa de governo

Clkáudia Durans

Cláudia Durans

Primeira participantes do ciclo de entrevistas promovido pela Rádio Capital AM, na tarde desta terça-feira (30), a professora Cláudia Durans (PSTU),  disse rejeitar o processo de terceirização tão em evidência nas administrações públicas brasileiras e também as parcerias públicos privadas, enfatizando que são formas de sufocar o funcionalismo público, deixando-o desvalorizado em benefício da classe empresarial.

Cláudia Durans foi ouvida pelos comunicadores Djalma Rodrigues, Sérgio Murilo, Ailton Nunes e Ivson Lima. Durante as duas horas de entrevista, ela criticou o capitalismo, defendeu a estatização e a classe trabalhadoras e falou sobre o nascimento do PSTU, em 1992, por conta de uma dissidência interna no PT, quando vários integrantes do partido foram expurgados dos quadros petistas e fundaram a nova sigla.

Ela delineou suas propostas para os setores da Saúde, Educação, Mobilidade Urbana, Turismo, Cultura e disse que São Luis precisa de um choque de gestão, sem interferência da classe empresarial. Afirmou que pretende administrar a capital maranhense em parceria  com a população, através de conselhos populares.

Sobre o impeachment de Dilma, disse que o PT está pagando um alto preço pelos erros, pelas escolhas que fez, ao se aliar com o que existe de mais atrasado na política nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*