E-mail pra Dona Bibi

Olá, gatinha fofa e perfumada, muito bom dia! Espero que estas poucas e mal traçadas venham a encontrá-la na santa paz do Nosso Senhor por aí. Por aqui, Bibi, acho que finalmente o brasileiro vai começar a trabalhar, depois da Copa do Mundo, que se encerra hoje. O Brasil caiu frente à Bélgica, nas quartas de finais e voltou para casa, com uma marca, a do cai-cai Neymar, atualmente servindo de gozação para o mundo inteiro.

Mais propaganda do que talento, Neymar, na modesta opinião desse teu pretinho está a ano luz do Pelé, do Garrincha, do Tostão, do Rivelino, do Romário e de outros craques que atuavam com a coragem masculina, com talento e sem frescuras.

Passou desapercebido para muita gente, não para teu neguinho. Logo após a segunda partida do Brasil, um jornal Alemão publicou uma charge interessante: Mostrava a caricatura dos jogadores brasileiros no vestiário, se esmerando nos penteados. Kkkkkkkkkk. E foi assim que o Brasil se despediu da Copa, com os penteados esquisitos   e as quedas do Neymar.

Se fosse o Tite, teria convocado o Vinícius Júnior, do Flamengo, que tem apenas 17 anos e é goleador. Usa cabeleira de macho. O Pelé, para quem não sabe, estreou na seleção quando tinha apenas 16 anos. Foi num amistoso contra a Argentina, no Maracanã, em 1957.

O Brasil perdeu de 2×1. O gol brasileiro foi dele e a história de 1958 pra cá todo mundo conhece. O Rei sempre usou cabeleira de homem, era duro na queda e com ele não tinha frescura nenhuma. Que em 2022 a seleção leve cabras machos bons de bola para a próxima Copa.

Bem, vamos agora às mais importantes por aqui.

*

A petelhada entrou em polvorosa no domingo passado, morena. É que no STJ, entrou de plantão um ministro que militou no PT durante duas décadas e foi nomeado para o cargo durante o governo de Dilma Roussef.

*

Num piscar de olhos, concedeu um habeas corpus para o ex-presidente Lula. O juiz Sérgio Moro e a Procuradoria Geral de Justiça imediatamente cortaram a curica da petelhada na mão.

*

Não satisfeitos, os petistas entraram com mais de 400 pedidos de habeas corpus, todos com o mesmo texto. Coisa da mais autêntica molecagem. Tentaram atropelar a própria lei, que estabelece a prisão imediata quando o réu é condenado em instância superior.

*

Pra completar, a presidente do STJ, ministra Laurita Vaz, negou, dois dias depois, 143 pedidos de habeas corpus, disse que Lula é inelegível e afirmou que aquele tribunal não é balcão de negociação e reivindicação. No dia seguinte, choveram mais de 200 novos pedidos.

*

Isso fez a senadora Gleisi Hoffman, presidente nacional do PT se descabelar e esculhambar a Justiça de tudo enquanto é jeito. Na esteira da Lava Jato, a PF diz que o código dela entre os petistas era A Amante. Não sei do que se trata, mas quando se toca no Lula ela só falta declarar a Terceira Guerra.

*

Falando em Justiça, quem se encalacrou por aqui foi o casal Luis Moura e Ilce Gabina. Em decisão unânime das Câmara Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça do Maranhão, os dois tiveram mantida prisão, em regime fechado, da pena de 19 anos e seis meses pelo assassinato do delegado Stênio Mendonça.

*

Dizem que a Justiça tarda, mas não falha. O assassinato do delegado Stênio Mendonça aconteceu na manhã do dia 25 de maio daquele ano, um domingo, na Avenida Litorânea. Com isso, foi rejeitado o pedido de revisão da pena, formulado pela defesa dos réus. O revisor da matéria foi o desembargador Bernardo Rodrigues. Sabes muito bem que é, não sabe?

*

A morte de Stênio Mendonça teve repercussão nacional e seu desvendamento ocorreria dois anos, depois, com o advento da famosa CPI do Crime Organizado, que levou políticos, empresários e policiais para a cadeia, incluindo aí o casal Moura.

*

Mas aí tem que se tirar o chapéu para a viúva, Marília Mendonça, que botava a boca no microfone diariamente, denunciando os envolvidos na trama que levou à morte do marido. Posteriormente, foi eleita vereadora de São Luis.

*

Olha Bibi, conheci o Stênio Mendonça antes de se formar em Direito. Lá no Sioge. Ele era chefe do setor de Desenho e eu comandava a Revisão. De vez em quando saímos para tomar uns tragos. Sempre dizia que um dia seria delegado de polícia.

*

O ex-prefeito Helder Aragão, de Anajatuba, foi deposto do cargo e preso, graças às denúncias do seu então vice, Sidnei Pereira, que assumiu e depois se reelegeu. Sabe o que está acontecendo agora, Bibi? O Ministério Público está denunciando o Sidnei e pedindo o seu imediato afastamento.

*

Na esteira da denúncia do MP, consta uma cacetada de licitações fraudulentas, que já teriam produzido desvios de recursos da ordem de mais de R$ 15 milhões. O assunto foi notícia nacional e existe a expectativa que seja pauta do Fantástico da TV Globo deste domingo. Arre égua. O sujo falou do mal lavado.

*

Bati um longo papo com o ex-deputado estadual Mário Carneiro nesta sexta-feira. Às vezes, vejo-o em parada de ônibus e andando de táxi e uber. Como sei que tem uma situação financeira excelente,   o questionei sobre  o hábito.

*

Ele foi sincero, ao afirmar que não tem paciência para procurar estacionamento quando vai resolver algo em órgãos públicos. Prefere o táxi também quando sai para tomar uns tragos nos finais de semana, para evitar multa e aporrinhação, como a exposição negativa do seu nome. Corretíssimo.

*

O Congresso entrou de recesso deixando uma conta amarga para o próximo presidente. Quem assumir no lugar do Temer terá de rebolar mais do as mulatas da Beija-Flor para poder arcar com as despesas que os congressistas criaram. É muita irresponsabilidade.

*

Bem, gatinha, com esse teu pretinho vai se despedindo nesta final de semana, esperando que tudo dê certo para o retorno no próximo domingo. Deus permitirá, porque sempre foi bacana com esse teu pimpolho.

Beijão do teu garoto amado

Djalma.

N.E- Bibi é Benedita Rodrigues, mãe do editor. Ela faleceu em 8 de dezembro de 1965, aos 28 anos de idade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*