E-mail pra Dona Bibi

Olá, minha gata, muito bom dia!Escrevo-te estas poucas e mal traçadas para repetir pela milésima vez que continuo de amando e, ao mesmo tempo de colocar a par dos últimos acontecimentos  aqui do andar debaixo. Sei que está muito bem por aí, ao lado direito do Criador.

Olha, cidadã, quem fez a viagem celestial na semana passada foi meu vizinho aqui de apartamento e amigo Samuel Almeida, o querido Almeidinha, irmão do ex-deputado Alberto Franco e do ex-prefeito de nossa querida Cururupu, o Júnior Franco.

Foi muito cedo, muito jovem. Iria completar 43 anos no domingo e morreu no sábado, lá em Barra do Corda. Já havia se sentido mal em São Luis antes da viagem e decidiu não ir ao hospital. Acabou indo para o cemitério. Tinha problemas de hipertensão.

Certa noite, o encontrei no térreo do condomínio e ele estava se queixando de mal estar. Levei ao meu apartamento e lhe medi a pressão. Estava nas alturas, fiz com que tomasse uma medicação que sempre uso para problemas como esse. Mas pedi que fosse a uma emergência. Meia hora depois voltamos a medir a pressão. Estava normalizada e ele nada de ir ao hospital. Muita pena, deixa viúva a nossa amiga Nadja e duas filhas menores lindas.

Prefiro deixar esse negócio de morte de lado. Numa semana perco o sogro, na outra, um amigo e vizinho. Ufa! É melhor que deixemos esse obituário de lado e passemos para outras informações mais amenas minha gata. Acho muito melhor para um domingo.

 Rafaella e Markus estiveram em São Luis desde a morte de seu Limeira. Embarcaram na manhã deste domingo para Imperatriz. Os filhotes Laura e Joaquim deitaram e rolaram. Dormiram pelo menos duas noites em nosso AP. São apaixonados pela tia Elineusa e dizem que também gostam aqui do tiozão. Sei não, mas deixaram, uma saudade danada aqui no coroa, Bibi. São duas crianças sensacionais. O Joaquim, por exemplo, na primeira noite, ficou comigo na sala, mas assistindo desenho pelo celular. Quando eu estava cochilando me despertava e mandava que eu assistisse à TV. Só tu vendo. Essa presepada foi até às duas da matina, quando ele capotou.

*

Olha Bibi, sabe aquela história do advogado sobrinho do desembargador federal Ney Bello, que  o jornal O Globo noticiou assim”:

“A Justiça Federal do Maranhão decretou o sequestro e a indisponibilidade de 10 imóveis do advogado Ravik de Barros Bello Ribeiro, filho do desembargador federal Cândido Ribeiro e sobrinho do também desembargador Ney Bello, ambos que atuam no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), ao qual a Justiça Federal do Maranhão está submetida. Ravik é suspeito de obstrução de Justiça no âmbito da Operação Sermão aos Peixes, que investiga um esquema de desvio de recursos federais destinados a saúde do estado do Maranhão durante a gestão da ex-governadora Roseana Sarney (MDB)”.

*

Pois bem, minha cara Bibi, ele é casado e bem casado com a também advogada maranhense Paola Braid Ribeiro, que é filha de Braid Ribeiro, aquele conhecido ex-treinador de futebol, que durante alguns anos atuou no futebol árabe.

*

Fiquei surpreso com uma notícia oriunda do Reino Unido. Por lá, criaram um certo Ministério da Solidão, que mantém  canal direto com as outras pastas governamentais.

*

Acho um despropósito. Como o ministério é da Solidão e vai manter linha de ação com os outros? Solidão é solidão, o nome já diz e quem é solitário por opção tem mais é que ficar na sua. Ora, ora…

*

Tá um siribolo danado por aqui com a montagem da equipe de auxiliares do presidente eleito Jair Bolsonaro. Para que tu tenhas uma ideia, a ex-deputada Maura Jorge, que disputou o governo do Maranhão pelo PSL, montou barraca em Brasília, em busca de uma boquinha.

*

Ela passou uma semana inteira na capital federal, se oferecendo ao novo governo como aquelas mulheres de programas de beira de estrada. Só que o presidente eleito, olha, nem tuiuiú  para a cidadã.

*

Mas ela diz que vai brigar pelas indicações dos cargos federais no Estado. Da forma como foi tratada em sua investida em Brasília, acho difícil emplacar quem quer que seja para qualquer cargo.

*

Olha, morena, mais um feriado por aqui, na próxima terça-feira. A rapaziada já vem do descanso do dia 15, pela Proclamação da República e, agora, no dia 20, pela morte de Zumbi dos Palmares.

*

Te pergunto: Como o país pode avançar, se quase um terço do período em que se deveria está batalhando é dedicado a descanso por conta de feriados?

*

Briga boa aqui também é pelo comando da seccional da Ordem os Advogados do Brasil. Um candidato chama a atenção: É o Mozart Baldez. Baixa a chibata em desembargadores, juízes, promotores e nos adversários.

*

Concedeu uma entrevista na TV Assembleia e a repercussão foi imediata. Sentou a pua nos juízes maranhenses e a Associação dos Magistrados deu a resposta no mesmo veículo, no dia seguinte. Uma boa briga, essa que termina na próxima semana.

*

Tõ sabendo que muita gente da blosgofera enfrenta problemas, por conta da mudança no comportamento da classe políticas. Está havendo retração no quesito mufunfa, por conta da crise.

*

Quem está desfrutando de tranquilidade é o deputado Othelino Neto. Presidente da Assembleia Legislativa, já garantiu ampla maioria para retornar ao cargo. Até deputados da oposição estão lhe garantindo apoio.

*

O senador Roberto Rocha está garantindo o retorno ar ar da Rádio Capital para as próximas semanas. Virá  ainda pela frequência AM e na faixa 680, que era da Rádio Difusora, que migrou para a FM.

*

Tu nem sabes, Bibi! Tem político eleito aí, já metendo os pés pelas mãos, cometendo desatinos que não deixarão a imagem positiva perante a opinião pública. É pública. É bom ir prestando atenção, gente!

*

Bem, minha fofa, com essa, teu pretinho vai ficando por aqui, garantindo retorno na próxima semana, se Deus quiser. E ele quer, porque sempre foi maravilhoso com esse  teu rebento.

 Beijão desse pimpolho que jamais deixará de te amar.

Djalma

N.E- Bibi é Benedita Rodrigues, mãe do editor. Ela falaceu aos 28 anos de idade, no dia 8 de dezembro de 1965, na Santa Casa de misericórdia, em São Luis.

Idosa de 106 anos é morta a pauladas no interior do Maranhão

Um crime bárbaro chocou a pequena cidade de Feira Nova, a 783 km de São Luís, uma idosa de 106 anos, identificada como Antônia Conceição da Silva, foi morta brutalmente a pauladas na madrugada deste sábado (17).

Dona Antônia morava com um Neto, que não estava em casa na hora do crime. A idosa teve sua casa invadida por assaltantes, que de forma audaciosa, entraram pelo telhado. Suspeita-se de latrocínio, de acordo com informações os criminosos tiraram a idosa que estava dormindo no sofá e arrastaram ela pela casa em busca de dinheiro, a idosa foi agredida até a morte.

A vasta quantidade de sangue leva a Polícia Militar a crer em espancamento por pauladas, já que o rosto da vítima estava completamente desfigurado.

O corpo de dona Antônia foi encontrada já sem vida pelo neto, que teria voltado mais cedo de um seresta.

A população da pequena cidade está revoltada, Dona Antônia era considerada um marco por toda a cidade.

Do Blog Fuxico do Sertão

BODAS DE PÉROLA PARA A CONSTITUIÇÃO

*Osmar Gomes dos Santos

“A nação quermudar, a nação deve mudar, a nação vai mudar. A Constituição pretende ser avoz, a letra e a vontade política da sociedade rumo à mudança. Que apromulgação seja nosso grito. Mudar para vencer. Muda Brasil!”

O artigo desta semana é aberto com a frase que encerra o célebre discurso de Ulysses Guimarães, quando da promulgação da Constituição da República Federativa do Brasil. Era 05 de outubro de 1988, data que sacramentou um período de vinte longos meses de intensos trabalhos, que foram iniciados quando da instituição da Assembleia Nacional Constituinte, instalada em 1º de fevereiro de 1987, por determinação do então presidente José Sarney.

Muitas foram as mãos – entre senadores e deputados – que trabalharam diretamente na elaboração do projeto do diploma que sepultou as duas décadas do regime militar. A participação popular foi intensa, formulários foram distribuídos nas agências dos Correios e quase 73 mil sugestões foram feitas pelos cidadãos e outras 12 mil de entidades representativas.

Os trabalhos agitaram aquela tarde de 05 de outubro, culminando com a promulgação da Constituição Federal. Discursos efusivos, eloquentes, cheios de retórica e emoção marcaram o momento de transição. Passava das 17h quando ocorreu a consumação de uma árdua jornada, inaugurando no país um novo período de liberdades e respeito às individualidades.

Uma tarde cheia de simbolismos, tal como a revista da tropa pelos representantes dos poderes e a assinatura dos exemplares originais da nossa Carta por Ulysses Guimarães, que, para a oportunidade, usou a caneta que havia ganhado de funcionários da Câmara no ano anterior. Ulysses se levanta e ergue firme o diploma assinado. Congressistas fazem seus juramentos, tal como o presidente José Sarney, este com as mãos trêmulas, devido à emoção do momento.

A plateia assistia ansiosa, com olhos de esperança, com o sorriso estampado no rosto. O que se via aos quatro cantos do país não era diferente. O documento da liberdade trouxe alento para os cerca de 140milhões de brasileiros daquela época e a certeza de novos horizontes para as futuras gerações.

Direitos fundamentais vieram à tona, como os que garantem saúde, com a criação do Sistema Único de Saúde (SUS); educação, que ganhou ênfase como dever do Estado e com a inclusão de crianças deficientes e o povo indígena; fomento à cultura, inclusive pela liberdade às manifestações afins; a prevalência dos direitos do consumidor, com a criação do CDC; o meio ambiente, que ganhou espaço cativo na Carta; e maior espaço para a participação popular no processo legislativo.

Nasceram mecanismos para coibir abusos de poder do Estado, a censura à imprensa e às artes foi abolida, prevalecendo novamente a liberdade de expressão. O Judiciário resgatou seu importante papel e, ainda no âmbito jurídico, vimos nascer o direito ao habeas corpus, o mandato de segurança, mandado de  injunção e as ações populares.

Com tantos avanços, o Diploma Maior é atualmente visto por todos como um marco do processo de redemocratização, ao mesmo tempo em que é moderno e capaz de garantir a paz e o progresso. Nesse sentido, é um regramento que representa o avanço rumo ao exercício da cidadania, com direitos e deveres, condição primeira para a democracia se estabelecer.

Desde aquela tarde a sociedade evoluiu. A Constituição sofreu mais de uma centena de emendas, acompanhando o progresso social, e fez surgir milhares de leis Brasil afora que visam à garantia dos mais diversos direitos e deveres aos cidadãos. Mas a Carta Magna não alcança um fim de forma isolada. Não basta apenas a assunção de normas expressas no diploma, mas o efetivo cumprimento desses dispositivos.

O cumprimento das determinações emanadas de nossa Constituição deve ser um exercício diário, um norte balizador de nossas condutas, seja como agente público ou político, a quem cabe responsabilidade maior; seja como cidadãos, que também precisam exercer o seu papel efetivo para a consolidação de toda concepção constitucional.

A jornada foi longa e tortuosa até a instituição de um diploma que atendesse aos anseios sociais de uma nação inteira. Ao completar 30 anos, nossa Constituição merece ser comemorada, debatida, refletida, comentada. Embora ainda existam percalços para o cumprimento de sua missão, não restam dúvidas quanto aos avanços que ela possibilitou à nação.

Exaltemos as Bodas de Pérola da Constituição da República Federativa do Brasil, que chega aos seus 30 anos denotando o perfeito casamento do Estado brasileiro com a democracia. Ao mesmo tempo, convém invocar o compromisso de todos para que possamos, com nossas práticas, cumpri-la e respeita-la, tornando-a efetivamente cidadã. 

Qualquer que seja o governo ou o governante, o grito de hoje será sempre o de respeito e cumprimento da ordem constitucional brasileira.

*Juiz de Direito da Comarca da Ilha de São Luís. Membro das Academias Ludovicense de Letras; Maranhense de Letras Jurídicas e Matinhense de Ciências, Artes e Letras.

Alunos da Prefeitura de São Luís participam do Festival Maranhense de Teatro Estudantil



A escola Rosário Nina reuniu estudantes para encenar a peça “O Navio Negreiro”, baseada na obra de Castro Alves; em anos anteriores os estudantes receberam indicações de melhor ator, melhor atriz e melhor espetáculo
 
 
Estudantes da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Rosário Nina, participantes do programa Novo Mais Educação, da Secretaria Municipal de Educação de São Luís (Semed), venceram a timidez e subiram no palco do teatro do Centro de Ensino (C.E.) Benedito Leite para apresentarem a peça teatral “O Navio Negreiro”, que tem a escravidão como temática principal. O espetáculo é uma adaptação da obra do autor Castro Alves e foi apresentado esta semana no XXII Festival Maranhense de Teatro Estudantil (Femate).
A participação dos estudantes no festival já rendeu a eles indicações nos anos anteriores de melhor ator, melhor atriz e melhor espetáculo. Na próxima terça-feira (20), todos os diretores cênicos que participaram da programação saberão os indicados em cada categoria e receberão os resultados dos grupos vencedores. Os campeões ganharão troféu e uma bolsa de estudos no Centro de Artes Cênicas do Maranhão (Cacem).
O secretário de Educação, Moacir Feitosa, disse que as ações dos programas Mais Educação e Novo Mais Educação têm ajudado no fortalecimento da leitura e escrita, por meio das oficinas de letramento e alfabetização, e com a promoção do protagonismo dos alunos por meio das oficinas de teatro, dança, música, capoeira e outras realizadas no contraturno escolar. “Estes programas têm contribuído para a permanência dos alunos em sala de aula e para a melhoria dos seus rendimentos. São programas que educam e ensinam por meio da arte e do incentivo à leitura, promovendo também a integração e melhorando a autoestima dos estudantes”, destaca Moacir Feitosa.
Para ser realizado, o espetáculo “O Navio Negreiro” contou com uma equipe de 26 pessoas da U.E.B. Rosário Nina, sendo 22 atores e atrizes (estudantes), um diretor geral (professor Ronald Sá) e mais três pessoas na produção. Os alunos integrantes têm entre 11 e 14 anos, e são estudantes do 6º ao 8º anos.O grupo é resultado da oficina de teatro que os estudantes participam desde 2016 pelo Programa Mais Educação, e agora também pelo Novo Mais Educação.
Leitura e criatividade fizeram parte do processo de construção da dramaturgia, que iniciou há três meses com intensos ensaios. Utilizando técnicas de expressão corporal, improvisação teatral e exercícios de oratória, o grupo trouxe para as cenas contextos sociais que falam de preconceito, discriminação e ausência de respeito com o diferente.
O professor de teatro, Ronald Sá, falou sobre a dedicação dos alunos e os conflitos sociais abordados na peça. “Todos se dedicaram de igual modo. O segredo é colocar o aluno para fazer um papel totalmente oposto a ele; e, caso seja tímido, damos a ele um personagem num estilo mais despojado, rebelde. A peça aborda mais do que a escravidão como tema, ela traz pontos de vista sobre temáticas heterogêneas bastantes atuais. Os assuntos colocados tinham a intenção de fazer os jurados apaixonarem-se pelo enredo”, compartilhou Ronald Sá, que é monitor do programa há mais de dois anos.
Ainda com o rosto pintado, Clara Isabela de Araújo, 12 anos, que representou a personagem Shinara, uma mulher revolucionária e determinada que buscava a valorização dos escravos como pessoas e não como objeto, falou da sensação de pisar em um palco pela primeira vez. “Nunca tinha pisado em um chão de teatro. Tive uma sensação maravilhosa. Apesar do nervosismo, consegui vencer o medo. Amei fazer a minha personagem Shinara, pois somos semelhantes no aspecto da força e da determinação”, declarou a jovem.
Yago de Oliveira, que já participou da última edição do Festival, fala da felicidade em estar novamente representando no palco da escola. “Participar do festival pela segunda vez me traz bastante alegria. Acredito que passei para o público a coragem e o espírito livre que meu personagem tem”, comentou o estudante de 14 anos, que interpretou o personagem Rais, um capoeirista desbravador que lutava pela sobrevivência dos oprimidos.
SOBRE O FESTIVAL

O Festival Maranhense de Teatro Estudantil visa incentivar o teatro na escola, facilitando o contato do estudante com diversas linguagens da arte. O festival reúne grupos ligados a escolas públicas e privadas em todo o estado do Maranhão. As equipes premiadas recebem o troféu Cosme Júnior, certificados e bolsas de estudos.
Este ano, a programação teve início dia 9 de novembro, no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho (Centro Histórico), e encerra nesta sexta-feira (16), no Centro de Ensino Benedito Leite, localizado no Centro de São Luís. No total, 24 espetáculos foram apresentados em todos os dias de festival. A programação também aconteceu no começo desta semana na cidade de Alto Alegre do Pindaré.
O evento está ligado à Secretaria Estadual de Cultura e Turismo (Secult). No ano passado, além da Unidade de Educação Básica Rosário Nina, as escolas da rede municipal Bandeira Tribuzzi e Mário Andreazza participaram do Festival de Teatro.
 

Prefeitura inicia maior evento literário do Maranhão com 12ª edição da Feira do Livro de São Luís

Autoridades durante o lançamento do evento literário

Evento, que pelo sexto ano é realizado pela gestão do prefeito Edivaldo, terá 10 dias de programação no Multicenter Sebrae, das 10h às 22h; escritores nacionais e locais participam das atividades que são gratuitas

Tendo como tema “A brasilidade na cultura contemporânea”, a 12ª Feira do Livro de São Luís (FeliS), maior evento literário do Maranhão, foi aberta na noite de sexta-feira (16), no Multicenter Sebrae (Cohafuma). Na ocasião, o ator maranhense Domingos Tourinho apresentou a performance sobre o texto “A Arte do Belo”, de Graça Aranha, escritor patrono do evento que também homenageia dois matemáticos: os maranhenses Joaquim Gomes de Sousa e João Antônio Coqueiro. A iniciativa de incentivo à leitura e fomento à literatura, realizada pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, se estende até o dia 25 de novembro com mais de 500 atividades, das 10h às 22h. Esta é a sexta edição da Feira realizada na gestão do prefeito Edivaldo.

Na cerimônia de abertura da 12ª Feira do Livro de São Luís, o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão, destacou que no momento de mais gave crise política e econômica do país, o prefeito Edivaldo demonstra que tem compromisso com a cultura. “A Feira é uma referência para nós. Metade das 12 edições foi realizada na gestão do prefeito Edivaldo. Isso foi possível graças à construção de parcerias. Consolidamos o evento que é forte na cidade e promove não apenas o livro, mas todas as outras cadeias que a literatura envolve”, disse o secretário Marlon Botão, que representou o prefeito Edivaldo na solenidade de abertura.

Promovida pela Prefeitura de São Luís por meio das secretarias de Cultura (Secult) e Educação (Semed) a Feira é correalizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae-MA) e Serviço Social do Comércio (Sesc-MA), com patrocínio da Vale e Companhia Maranhense de Gás (Gasmar), apoio do Governo do Estado, Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e Associação dos Livreiros do Maranhão e empresa Potiguar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e parceria com a TV Difusora.

O superintendente do Sebrae-MA, Edilson Baldez,disse enxergar na FeliS um espaço ideal para a disseminação do conhecimento eestímulo às potencialidades intelectuais das pessoas, principalmente na área doempreendedorismo. Durante os 10 dias do evento, o Sebrae desenvolve umaprogramação com ações voltadas para o projeto de economia criativa e programade educação empreendedora de escopo nacional.

“O conceito de sustentabilidade e pluralidade permeia a concepção desta edição da Feira e o Sesc por ser uma instituição de promoção de ações socioeducativas e culturais tem a felicidade de participar desse evento tão importante para a cultura local”, ressaltou a representante do Sesc, Rutineia Amaral, em seu discurso de abertura. “É uma emoção participar dessa Feira que somos parceiros desde a primeira edição”, disse Gisele Pinto, da Vale, empresa que patrocina o evento.

ESPAÇOS

Compõem a Feira do Livro de São Luís mais de 70estandes de comercialização de livros, e mais de 20 ambientes, dentre os quaiso Palco FeliS, Casa do Escritor, Café Literário, Planetário, Cine FeliS, EspaçoMulher, Espaço Criança Sesc, Espaço da Juventude, Espaço Criança Semed, CarroBiblioteca, Auditório Punga dos Saberes, Auditório Graça Aranhão e AuditórioCasa do Professor.

A exemplos de anos anteriores, este ano a Prefeitura também traz nomes do cenário nacional literário como Fabrício Carpinejar, Gaspar Záfrica, Fernando Granato, Andé Neves e Elza Diniz estarão na programação da feira, disponível do endereço www.feiradolivrodesaoluis.com.br.

Nesta edição pelo menos três eventos da programação ampliam a importância da Feira do Livro de São Luís: a 1ª edição da Feira SLZ Preta, de estímulo à cadeia produtiva de artigos afro-brasileiros; o primeiro encontro da União Brasileira de Escritores; e o Seminário de Biblioteconomia.

A solenidade de abertura foi prestigiada pelos secretários Nonato Chocolata (Semapa), Andréia Lauande (Semcas) e Jackson Castro (CGM); e ainda o presidente da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar; e o presidente da Academia Ludovicense de Letras, Antônio Noberto.

SAIBA MAIS

O maior evento literário do Maranhão, a Feira do Livro foi criada pela Lei Municípal nº 4.449, de 2005, com objetivo de fomentar a tradição literária da capital maranhense. Além de estimular a leitura a Feira contribui para a incentivar novas cadeias produtivas e criativas tendo a literatura como matéria-prima primordial.

Câmara Municipal, prefeitura de Raposa e Marinha discutem projeto Maranhão Azul

Um importante encontro realizado hoje, na última qjuarta-feira (14),  na Câmara de vereadores da cidade de Raposa discutiu o projeto Maranhão Azul, uma parceria da Marinha do Brasil, Câmara e prefeitura municipal. “A ideia é fortalecer a presença do Maranhão, por meio dos 25 municípios que estão voltados para o mar, no projeto Amazônia Azul, que prevê a regulamentação das atividades pesqueiras, entre outras ações que visem a quantificação do potencial de geração de postos legais de trabalho do setor”, declarou o capitão dos portos, Márcio Dutra.

“Foi um momentomuito importante para a cidade de Raposa. O Maranhão está inserido no AmazôniaAzul e é necessário que haja esses encontros para a definição das políticas aserem implantadas e nós vereadores, como representantes do povo, estamosabraçando esse importante projeto que é o Maranhão Azul”, disse o presidente dacâmara municipal de Raposa Beka Rodrigues.

Jorge Cunha, Coordenador de Desenvolvimento Regional, declarou que “ Esse é o pontapé inicial de um projeto muito importante de pesca sustentável, que vai trazer inúmeros benefícios para as cidades envolvidas, durante anos e anos. Não é uma ação de poucos dias”, salientou.

Para a Secretária dapesca da cidade de Raposa, Lavina Lisboa “isso significa que nossa cidade, comoo maior pólo pesqueiro do estado, vai buscar desenvolver mecanismos comqualificação de mão de obra, para melhor explorar os recursos naturais quetemos à nossa disposição. Quero lembrar que a nossa prefeita Talita Laci estános apoiando integralmente, nos dando livre acesso para trabalhar asassociações e assim melhor a qualidade de vida dos nossos pescadores”, afirmou.

Também presente na reunião, o vereador Jorge da Arlete disse que “Tudo que vier para o benefício dos trabalhadores pescadores é bem vindo e eu darei todo apoio à esse projeto que, ao meu ver, vai transformar a vidas das famílias que vivem da pesca”.

Prefeitura reúne mais de 70 mil estudantes em 162 escolas em Dia D de socialização de resultados

Ação teve como objetivo apresentar e discutir comalunos, país e profissionais da educação os índices do Ideb e do Saeb quemelhoraram na gestão do prefeito Edivaldo


Apresentação teatral marcou o Dia D na escolaAlberto Pinheiro
 

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou esta semana, em 162 escolas do Ensino Fundamental (1º a 9º ano), o Dia D de socialização dos resultados obtidos pelas escolas da rede nas avaliações nacionais do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb – INEP/MEC) e do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) que melhoram na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior; e também na avaliação do Sistema Municipal de Avaliação Educacional (Simae/SL) implantado na gestão do prefeito Edivaldo. Mais de 70 mil estudantes participaram das atividades, que também contou com quase 100% da adesão dos pais e envolveu toda a comunidade escolar – professores, gestores e coordenadores pedagógicos.

O Dia D ocorre num momento de expectativa para a realização da segunda edição do Simae/SL, que acontecerá no próximo mês de dezembro, entre os dias 10 e 14. O secretário de Educação, Moacir Feitosa, informa que esta nova edição será ampliada, pois além da participação de todos os estudantes do Ensino Fundamental, de 1º a 9º ano, dos turnos matutino e vespertino, o processo vai envolver os alunos da EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Moacir Feitosa lembra que o Sistema Municipal de Avaliação Educacional foi lançado em junho do ano passado pelo prefeito Edivaldo, para traçar um diagnóstico da Educação de São Luís, com o objetivo de desenvolver ações para a melhoria da qualidade da educação básica no município. O Simae/SL é um dos pilares do Programa Educar Mais, já consolidado, ao lado do PME (Plano Municipal de Educação), como a política de Educação para o Município de São Luís.

Sobre o Dia D de socialização dos resultados das avaliações, o professor Moacir diz que o grande objetivo do evento é criar uma rede de responsabilização pela educação pública de São Luís, fortalecendo laços com toda a comunidade e construindo parcerias para se alcançar as metas de aprendizagens desejáveis. “Precisamos conjugar esforços em prol da qualidade do ensino, buscando o apoio dos pais e de toda a comunidade, fortalecendo e construindo novas parcerias, inclusive despertando no aluno o sentimento de corresponsabilização em todo o processo de ensino e aprendizagem”, destacou o titular da Semed.

A coordenadora do Núcleo de Avaliação Educacional da Semed (NAE), Vera Lúcia Gonçalves Pires, explica que a Secretaria realizou nas escolas, preliminarmente, várias reuniões formativas para orientar professores, gestores e coordenadores pedagógicos sobre como analisar e interpretar os dados das avaliações e elaborar, cada escola individualmente, o seu Plano de Intervenção Pedagógica, com foco na proficiência dos estudantes. “Agora, no Dia D, é momento de compartilhar esses dados com os pais e demais membros da comunidade, para que eles também possam contribuir, fazendo proposições ao Plano de Intervenção, e dialogando sobre como podem participar ativamente para a melhoria da Educação dos seus filhos”, assinalou Vera Lúcia.

A coordenadora do NAE/Semed acredita que o Dia Dabrirá um canal permanente de diálogo com os pais e comunidade, que trarágrandes benefícios para a Educação de São Luís. “Educação pública dequalidade é um desafio, que não deve ser tomado isoladamente, por umasecretaria em particular, mas precisa ser feito a muitas mãos”, destacouVera Lúcia. Ela esclareceu ainda que a socialização dos dados das avaliaçõesfoi feita por meio de painéis e murais, com gráficos e informações, construídospelos educadores com o apoio dos estudantes. Após o Dia D, cada escola vaiavaliar as contribuições e buscar parcerias para implementar o seu Plano deIntervenção Pedagógica.

DIA D NA U.E.B. ALBERTO PINHEIRO

Cerca de 400 pais de estudantes participaram do Dia D na Unidade de Educação Básica (U.E.B) Alberto Pinheiro, no Centro de São Luís, que foi marcado por apresentação teatral, palestras e reunião com os pais. Em parceria com o Conselho Tutelar da área Centro, a 1ª Promotoria Estadual Especializada na Defesa da Educação, e o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), a escola realizou o evento em dois espaços simultâneos. Na escola, com os alunos fazendo a apresentação da peça ‘O sitio do Pica Pau Amarelo’, e no salão de uma igreja evangélica da comunidade, ao lado da escola.

O gestor da escola, Leandro Ferreira, falou sobre a importância do Dia D para os estudantes e seus pais. “O objetivo é que os estudantes evoluam. Não queremos socializar para os pais apenas os problemas encontrados no que diz respeito à vida escolar dos estudantes, mas nossa intenção é discutir as soluções possíveis para o melhor desempenho escolar. Então, trazê-los para esse ambiente é permitir o fortalecimento da relação da família com a escola”, compartilhou o gestor.

Com o tema ‘Escola e Família: Juntos no Direito de Aprender’, a promotora Márcia Roseane, da Promotoria de Educação, frisou a importância da participação da família na vida escolar da criança. “A integração de pais e filhos precisa ser fortalecida, pois isso só coopera para o trabalho que o professor desenvolve em sala de aula, especialmente no que diz respeito à autoestima e afetividade. Sem essa integração o papel do professor é desfocado; pois não existe escola sem família, sem a presença dos pais e responsáveis”, enfatizou.

Levir Abreu Amorim, 12 anos, estudante do 5º ano, disse que ficou muito nervoso ao interpretar, para os colegas, o personagem Visconde de Sabugosa na peça ‘Sito do Pica Pau Amarelo’. “Estou muito feliz com tudo o que está acontecendo hoje na escola. Venci o nervosismo e a timidez e nos saímos muito bem. Achei que não ia conseguir. Sobre o Dia D, sei que tudo o que está sendo discutido é para que possamos aprender mais e nos desenvolver melhor. Precisamos estudar mais, ter melhoras rendimentos e boas notas”, disse o estudante.

Bruna de Alencar, professora do 5º ano, trabalhoujunto com os estudantes na adaptação da peça teatral sobre o ‘Sítio do Pica PauAmarelo’, destacando a relevância artística dentro das escolas. “A arte éinerente ao nosso desenvolvimento. Trazer a produção artística para o espaçoescolar só propicia aos alunos o desenvolvimento da espontaneidade,criatividade, trabalho em equipe e o respeito um para com o outro. Isso tudoaperfeiçoa a forma de aprender”, destacou a professora.

SAIBA MAIS

O último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado neste semestre mostra que a gestão do prefeito Edivaldo segue melhorando os indicadores da Educação. O índice de qualidade educacional considera informações de desempenho da Prova Brasil ou do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – obtido pelos estudantes ao final das etapas de ensino (4ª e 8ª séries do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio).

Os dados, que consideram também informações sobre rendimento escolar, mostram que de 2013 até agora o ensino na rede municipal saiu de 4,1 para 4,6 nos anos inicias do Ensino Fundamental. É a melhor marca alcançada pelo Ideb em São Luís desde que o indicador começou a ser usado para medir a qualidade da Educação.

Servidores da AGED desalojados em Araióses

Os servidores da AGED, que trabalham no Posto Fixo do Pirangi, no Município de Araioses, receberam, sem aviso prévio, a “visita” de funcionários da Prefeitura, acompanhados de policiais. Os agedianos foram desalojados sob a justificativa de que o prédio que utilizam como alojamento passaria por reformas. Nem a direção local, nem a direção estadual da Agência foram previamente avisados do procedimento.

O presidente da AGED, Sebastião Anchieta Filho, imediatamente, reuniu a diretoria do órgão e anunciou a cobrança de explicações do prefeito Cristino Gonçalves de Araújo. Também decidiu agendar para esta sexta-feira, reuniões com os órgãos estaduais que dividem com a autarquia o espaço em prédios no interior do Estado. Denúncias dos servidores agropecuários revelam que fatos como este são comuns nos prédios consorciados com outras repartições.

O sindicato dos servidores, o SINFA, também acionou seus órgãos de defesa para acompanhar o problema, dar apoio aos desalojados e cobrar explicações da administração municipal. O presidente do SINFA, Saraiva Júnior, informou que visitaria nesta quinta-feira o local do “imbroglio” para conversar com os servidores. No final da semana passada, os “barreiristas” (como são conhecidos os servidores lotados nos postos fixos) tinham se reunido, pela primeira vez, em conferência estadual e tornado público problemas dessa natureza.

Moro já está exonerado do cargo de juiz federal

Moro será ministro de Bolsonaro

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), desembargador federal Thompson Flores, assinou, na tarde desta sexta-feira (16), o ato de exoneração do juiz federal Sérgio Moro, que tem vigência a partir de segunda-feira (19).

Moro deixa o cargo porque aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para chefiar o Ministério da Justiça e Segurança Pública a partir de 2019.

O pedido de exoneração do titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelos processos da Lava Jato em 1º grau, foi recebido por Thompson Flores nesta manhã.

Nele, Moro justificou o motivo da antecipação do pedido de exoneração, já que pretendia fazê-lo em janeiro próximo à posse como ministro.

Leia a íntegra do requerimento abaixo:

“Como é notório, o subscritor foi convidado pelo Exmo. Sr. Presidente da República eleito para assumir a partir de janeiro de 2019 o cargo de Ministro da Justiça e da Segurança Pública. Como é também notório, o subscritor manifestou a sua aceitação.

Isso foi feito com certo pesar, pois o subscritor terá que exonerar-se da magistratura.

Pretendia realizar isso no início de janeiro, logo antes da posseno novo cargo.Para tanto, ingressei em férias para afastar-me da jurisdição. Concomitantemente, passei a participar do planejamento das futuras ações de Governo a partir de janeiro de 2019.

Entretanto, como foi divulgado, houve quem reclamasse que eu, mesmo em férias, afastado da jurisdição e sem assumir cargo executivo, não poderia sequer participar do planejamento de ações do futuro Governo.

Embora a permanência na magistratura fosse relevante ao ora subscritor por permitir que seus dependentes continuassem a usufruir de cobertura previdenciária integral no caso de algum infortúnio, especialmente em contexto na qual há ameaças, não pretendo dar azo a controvérsias artificiais, já que o foco é organizar a transição e as futuras ações do Ministério da Justiça.

Assim, venho, mais uma vez registrando meu pesar por deixar a magistratura, requerer a minha exoneração do honroso cargo de juiz federal da Justiça Federal da 4º Região, com efeitos a partir de 19/11/2018, para que eu possa então assumir de imediato um cargo executivo na equipe de transição da Presidência da República e sucessivamente o cargo de Ministro da Justiça e da Segurança Pública.

Destaco, por fim, o orgulho pessoal de ter exercido durante vinte e dois anos o cargo de juiz federal e de ter integrado os quadros da Justiça Federal brasileira, verdadeira instituição republicana.

Fico à disposição para qualquer esclarecimento. Cordiais saudações”.

Raimundo Penha prestigia alunos da Universidade da Terceira Idade

O vereador Raimundo Penha (PDT) participou, esta semana, do batizado do Bumba Meu Boi Novilho da Luz, formado por alunos da Universidade Integrada da Terceira Idade (UNITI), projeto de extensão executado pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Padrinho da brincadeira pelo segundo ano consecutivo, o pedetista, que estava acompanhado da reitora Nair Portela e das coordenadoras Hortência Gago e Marly Abdalla, interagiu com os brincantes e elogiou o trabalho realizado em prol da melhor idade.

“Feliz em, mais uma vez, estar na universidade federal participando das atividades da UNITI, que é uma grande referência de projeto voltado para a terceira idade”, disse.

A Universidade Integrada da Terceira foi criada UNITI com o objetivo de oportunizar as pessoas idosas o reingresso nos diversos processos de informação continuada.

As condições necessárias para o resgate da auto-confiança e da auto-estima dessas pessoas – tidas como da melhor idade – acontece a partir de cursos e atividades educacionais, culturas e sociais. 

Na semana passada, vale destacar, Raimundo Penha participou da IV Mostra de Talentos do CAISI, que reuniu idosos em diversas atividades — como dança, canto, poesia e mostra de produtos artesanais – na Casa do Maranhão.

O vereador também é idealizador do projeto SuperAção, importante ferramenta que vem melhorando a qualidade de vida dos ludovicenses (dentre eles muitos idosos), que passaram a ter contato direto com atividades gratuitas esportivas e de lazer, como treinamento funcional, aulas de zumba e dança que acontecem duas vezes por semana nos bairros polos de São Luís.