Prefeitos de cidades pobres ficam até cinco vezes mais ricos à frente dos municípios

Raissa Tauany – O Imparcial Online

Luciana Trinta (PSD), Solimar (DEM), Ludmila (PV) e Detinha (PR) estão à frente dos municípios mais pobres do Maranhão
Luciana Trinta (PSD), Solimar (DEM), Ludmila (PV) e Detinha (PR) estão à frente dos municípios mais pobres do Maranhão

No Maranhão, os prefeitos estão ricos e a educação está pobre. Pelo menos é o que aponta levantamento do portal de O Imparcial em dados patrimoniais de candidatos que tentam se reeleger nos municípios com os piores IDHs (Índice de Desenvolvimento Humano) do país e no desempenho do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), no Ministério da Educação.

Todos os gestores que hoje tentam um novo mandato registraram uma espetacular evolução patrimonial no período em que estiveram comandando as cidades com os piores índices de qualidade de vida do Maranhão.

Entre eles, Araioses, Centro do Guilherme, Matões do Norte e Brejo de Areia.

Araioses
Em Araioses, cujo IDH registrado em 2011 é de 0,486 (máximo é 1), a nota obtida no Índice de Desenvolvimento na Educação (Ideb) entre 2009 e 2011 não superou 3.2, cujas metas eram de 3.3 e 3.7, respectivamente. Enquanto isso, a prefeita Luciana Trinta (PSD) teve seu patrimônio multiplicado por quase cinco vezes desde que assumiu a prefeitura.

Em 2008, declarou à Justiça Eleitoral possuir bens que somavam R$ 1.184.832,92. Neste ano, para se candidatar a reeleição, declarou o polpudo patrimônio de R$ 5.116.615,21. Apesar de ter lutado pela candidatura, Luciana teve seu pedido de registro indeferido pela Justiça e não pode concorrer.

A decisão foi tomada pelo juiz Marcelo Fontelene Vieira, da 12ª Zona Eleitoral. A candidata teve seu registro indeferido por dois pedidos de impugnação: um feito pela coligação “Agora é a vez do Povo”, e outro pelo Ministério Público Eleitoral por irregularidades nas doações da campanha de 2008.

O detalhamento dos bens dado por ela ao TSE também impressiona. A candidata diz ter, em espécie, R$ 475.643,00, para, segundo ela, “futuro investimento”, além de ser sócia do Hospital de Araioses, identificado na prestação de contas como Empresa Hospitalar Regional de Araioses.

Mas a maior parte do seu patrimônio está investido em cotas da sociedade na RL Empreendimentos, além de um apartamento em São Luís e quatro terrenos, três em Araioses e um em São Luís.

Centro do Guilherme
Em Centro do Guilherme, um dos municípios mais pobres do Brasil (IDH de 0,493), a prefeita Detinha (PR), candidata à reeleição neste ano, assumiu a prefeitura com um patrimônio declarado à Justiça Eleitoral de R$ 38 mil.

Hoje, seus bens somam R$ 274.037,48, de acordo com sua declaração, que consta no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Do total, R$ 193.037,48 estão aplicados em plano previdenciário. O restante em aplicações e imóveis.

E a Educação? De acordo com o Ideb do município, as metas foram superadas em 2007 e em 2009. De lá para cá, esteve sempre abaixo da média (confira a tabela abaixo).

Outros municípios
Matões do Norte, também uma das cidades mais pobres do país e do Maranhão, não apresenta melhoras no Índice da Educação desde 2007. Enquanto isso, os bens de seus administradores só crescem. O patrimônio de Solimar, do DEM, candidato à reeleição, saltou de R$ 135 mil em 2008 para R$ 774.185,33 em 2012. Uma evolução de mais de 500% em quatro anos. No período, ele adquiriu dois apartamentos no Renascença, bairro mais caro de São Luís que, somados, valem hoje mais de R$ 700 mil.

Em Brejo de Areia, a prefeita Ludmila, do PV, conseguiu, por pouco, superar a meta do Ideb em 2009. Mas no restante dos anos ficou abaixo do esperado. Hoje, com um patrimônio de R$ 343.910,87 – crescimento pequeno se comprado aos R$ 291.700,98 de 2008 e aos demais prefeitos – ela tenta a reeleição no município.

Os bons índices existem
Analisando os números do Ideb, municípios com baixos IDHs, como Governador Newton Bello, Marajá do Sena (este é dono do pior IDH do país) e Lagoa Grande conseguiram alcançar a meta estabelecida pelo Ministério da Educação. Marajá do Sena, por exemplo, superou em 2007, 2009 e 2011. Ainda assim, estão muito abaixo do esperado.

O que é o Ideb?
O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, Ideb, é um indicador que avalia a qualidade educacional combinando informações de desempenho em exames padronizados (Prova Brasil ou Saeb), que são obtidos pelos estudantes ao final de etapas de ensino (4ª e 8ª série do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio), com informações sobre rendimento escolar.

O que é o IDH?
O Índice de Desenvolvimento Humano é um dado utilizado pela Organização das Nações Unidas para analisar a qualidade de vida de uma determinada população, utilizando a renda, nível de saúde e grau de escolaridade como critérios para chegar a uma estatística.

Os últimos índices da educação dos municípios – IDEB

Araioses
2007 – 3.3
2009 – 3.2
2011 – 3.2

Centro do Guilherme
2007 – 3.1
2009 – 3.2
2011 – 3.1

Matões do Norte
2007 – 2.7
2009 – 3.7
2011 – 3.8

Brejo de Areia
2007 – 3.0
2009 – 3.8
2011 – 3.3

Governador Newton Bello
2007 – 2.8
2009 – 3.1
2011 – 3.2

Lagoa Grande
2007 – 2.5
2009 – 2.8
2011 – 3.4

Marajá do Sena
2007 – 2.5
2009 – 2.5
2011 –3.6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*