Danúbia, uma bela e perigosa maranhense por trás da guerra do tráfico no Rio de Janeiro

 

Vista pela ótica fria dos fatos, que não leva em conta o drama das escolas fechadas, das ruas interrompidas e dos moradores aterrorizados, a guerra de bandidos que nos últimos dias invadiu a favela da Rocinha, a maior do Rio de Janeiro, teve um estopim com cores de novela: a loira oxigenada Danúbia de Souza Rangel, 33 anos, maranhense de Peri-Mirim,  foragida da polícia e assídua frequentadora de redes sociais, é mulher do traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, que está preso há seis anos, mas continua dando as ordens. Foi uma desfeita a ela, por um ex-braço direito e hoje desafeto de Nem, que desencadeou a fuzilaria e escancarou novamente a fragilidade da segurança pública do Rio.

Danúbia foi condenada em março do ano passado a 28 anos de prisão e hoje é procurada pela polícia. Mesmo foragida, a loira tem dezenas de perfis em redes sociais atribuídos a ela, onde ostenta uma vida de luxo registrada em muitas selfies. Conheceu o marido em 2006, teve uma filha e levou vida de rainha. O perfil da primeira-dama da Rocinha está em reportagem de VEJA que já está nas bancas.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.