filha de empresário do Bequimão desaparece e deixa bilhete dizendo está ameaçada de morte

Filha do dono do Bar do Bidoca no Bequimão está desaparecida desde o início da semana. Antes de sair de casa na Vila Flamengo, ela teria deixado um bilhete informando que sumiria de casa porque ia ser morta

 

Por: Samartony Martins

 

Familiares e amigos da adolescente Stephanie Pires Garcia, 16 anos, filha do “Bidoca”, proprietário de um restaurante especializado na venda de mocotó no bairro do Bequimão está desaparecida desde a última terça-feira (25). De acordo com as informações de Leandro Saldanha, amigo da família, ela teria sumido de sua residência que fica localizada na Vila Flamengo, no município de São José de Ribamar.

Stephanie Pires Garcia deixou uma carta direcionada aos pais dizendo o seguinte: “Tudo isto que está acontecendo vai ser ruim, mas um dia vai passar. Estou sendo ameaçada, e se eu não for embora de onde eu moro, eu morro”, escreveu ela, dizendo ao final do bilhete que amava o pai, o irmão e a cachorra.

Em outro trecho do bilhete Stephanie Garcia escreveu: “Vocês me encontram no fim do bar. Este é o combinado por quem quer me matar”.  Em entrevista a uma rádio Local, Bidoca pai de Stephanie afirmou que já procurou a filha na praia e sinais de trânsito da cidade e até o momento não encontrou a filha. “Ela nunca tinha saído de casa. Mas tenho certeza de que vou encontra-la”, disse o pai da garota.

Bidoca acredita que Stephanie tenha se envolvido com algum membro de facção criminosa da Vila Flamengo, por conta das ameaças de morte reveladas no bilhete. Ainda segundo Bidoca, Stephanie teria marcado o encontro com a pessoa que estava lhe ameaçando com medo de ser morta ela e os pais dentro da própria residência.

Stephanie estuda e ajuda o pai e a mãe como ajudante de cozinha no bar da família nos finais de semana. “Encontramos a cartas entre os livros e cadernos dela em cantinho de estudo”, acrescentou Bidoca.

O empresário que afirmou que assim que encontrar a filha de volta pretende sair do bairro da Vila Flamengo mesmo que volte a pagar aluguel.  “Eu não sei se ela estava devendo algo. Se ela tivesse me falado a gente teria dado um jeito, mas ela ficou calada.  Nunca soube que a minha usava droga. Nunca ouvi falar e também nunca desconfiei”, disse Bidoca pedindo que a pessoa que tiver alguma informação para ligar para um dos números que está no cartaz ou ligar direto para a polícia para que as providências seja tomadas.

O caso foi registrado na delegacia do bairro da Cidade Operária.

Qualquer informação pode ser dada pelos seguintes números: 98102 – 7698 / 98272 – 6698.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.