Empresários acatam proposta de vereadores e SMTT e    ônibus para cortejos fúnebres voltam a ser liberados

  A partir da próxima segunda-feira (20),  as empresas de ônibus da capital voltarão a liberar ônibus para acompanhamento de cortejos fúnebres nos bairros, num total de 12 coletivos diários, sendo 4 no terminal do São Cristóvão, 4 no terminal da Cohama e 4 no terminal da Praia Grande.

Esse resultado foi fruto de um acordo intermediado pelo secretário municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros e a Câmara Municipal, representada pelos vereadores Pavão Filho, Marcial Lima, César Bombeiro e Sá Marques.

Até o dia primeiro deste mês, eram disponibilizados apenas 4 ônibus diários, que ficavam no Terminal da Praia Grande, para suprir e demanda de toda a cidade.

Na última terça-feira, os vereadores estiveram reunidos na  sede da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), com o titular da pasta, Canindé Barros, o presidente do Sindicato dos Empresários de Transportes (SET), Gilson Caldas, além dos empresários Romeu Carvalho (Viação Primor), Marcelo Medeiros (Viação Estrela) e Paulo Pires (Upaon –Açu), e representantes de dezenas de entidades representativas, sob a liderança de Sebastião Santos, presidente do Macaib, movimento representativo da área Itaqui/Bacanga.

Nessa reunião começou a ser construída a decisão, considerada favorável por todos os envolvidos. Os comunitários reclamaram  a  pequena qua ntidade de ônibus liberados para  o transporte fúnebre vinha causando um sério problema, principalmente nos bairros mais pobres da cidade, levando-se em conta que essa era a única ação social prestada pelos empresários em toda a cidade.  Nesta sexta-feira, os empresários acataram a sugestão.

 

Pelo acordo, ficou decidido que os proprietários arcarão com as despesas do deslocamento dos ônibus para tal finalidade, até o dia 30 de abril, quando então os envolvidos buscarão uma alternativa. A proposta acatada inicialmente e já fora de discussão é de que, para 2001, a Câmara Municipal irá aprovar a criação de um fundo especial para este tipo de operação.

 

Para o secretário Canindé Barros, o resultado do acordo foi proveitoso para todas as partes envolvidas. “Esse resultado é fruto do amadurecimento de discussões envolvendo a Prefeitura, a Câmara, a classe empresarial e os usuários, levando-se em conta as camadas mais necessitadas da cidade não dispõem de recursos para alugar veículos que levarão acompanhantes de cortejos fúnebres”, afirmou.

Ele parabenizou o posicionamento da Câmara, dos empresários e dos representantes dos usuários, afirmando que todos mostraram serenidade e amadurecimento, muito embora os ânimos tenham ficado exaltados em alguns  momentos.

Para o vereador Pavão Filho, houve um consenso e isso foi fundamental para que  todos chegassem a um denominador comum. “Assim é que se exercita a democracia e a cidadania. É com de bate, com discussão, com alinhamento de pontos de vistas”, acrescentou.

O vereador Marcial Lima elogiou a postura do secretário Canindé Barros, ao afirmar: “Merece aplausos o posicionamento do secretário de Transportes. Ele mostrou muita habilidade e  muita serenidade. Seu bom senso fez com que abrisse as portas da SMTT  para o povo vir aqui debater esse problema que é tão crucial para a cidade. Ele merece o nosso respeito e os nossos aplausos”, concluiu.

Os vereadores César Bombeiro e Sá Marques se disseram muito satisfeito com o resultado, assim como Sebastião Santos, que liderou o movimento dos usuários dos transportes coletivo, falando em nome das lideranças comunitárias de diversas regiões da cidade.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*