Recados para ela

 

Olá, minha fofa, muito bom dia. Desculpa pela falha da semana passada. Estava muito aperreado e não deu tempo para dedilhar as informações, que eram muitas. São, agora, coisas do passado. O tempo urge e as novidades se transformam em coisas antigas dentro de pouco tempo. Mas vamos às mais importantes da semana. Muita coisa interessante.

Por estas bandas, por exemplo, tem neguinho mais interessado em publicar que um parlamentar se apaixonou pela neta de um político que foi figura de relevo em governos passados. Divulgaram até foto. Acho isso irrelevante. Paixão, seja lá  qual for, é coisa do coração e deve interessar somente aos envolvidos.

Nos Estados Unidos, por exempli, li uma matéria dando conta de uma senhora que se apaixonou pelo próprio genro e acabou indo morar com ele, enquanto a filha estava hospitalizada. Bem aí, é outra coisa, porque é uma situação inusitada.

Olha, tua neta, a Lívia, nos deixou lívidos de medo duas semanas atrás. Apareceu com uns sintomas estranhos, de febre, coriza e indisposição, além da falta de apetite. Eu e a Elineusa saímos com ela voando para o hospital. Fez teste de Covid e deu negativo. Se recuperou em pouco tempo. Foi uma virose. Até hoje a mãe dela ainda está agradecendo a Deus e aos santos de devoção.

*

Ah, Bibi, a imprensa esta semana esteve com as atenções inteiramente voltadas para a prisão do deputado federal Daniel Silveira, que ousou esculachar o STF e pedir a volta do temido AI-5, instrumento utilizado pelos militares para cercear a liberdades durante o regime da farda.

*

O homem foi para o xilindró por determinação do ministro Alexandre de Moraes e o plenário da Câmara Federal, por 364 votos manteve o homem encarcerado. As opiniões estão divididas entre o povo brasileiro.

*

Uns acham que ele extrapolou. Outros são da opinião de que o parlamentar disse o que a ampla maioria do povo pensa sobre o STF, cujos ministras não são da plena confiança popular, pelos seus atos  e pelas regalias que de  quais gozam.

*

Mas uma coisa achei estranha. Ainda no ano passado, o então deputado federal Wadih Damous, que tem raízes maranhenses (sobrinho do falecido Wallim Damous, que foi prefeito de Cururupu), chamou os ministros do STJ de corruptos e nada aconteceu.

*

Há quem ache que houve um acordo entre deputados federais, já que 30%  respondem a processos no STF e a própria Corte, para que esta não fosse desmoralizada e voltasse a reinar a paz entre o Judiciário e o Legislativo.

*

Li muitas opiniões a respeito desse imbróglio e um deles me chamou a atenção. Um paulistano considera que escolheram um boi de piranha para evitar uma ruptura entre os dois poderes, muito embora o STF continue sendo uma instituição com a imagem completamente puída sob a ótica da população.

*

Olha, morena, a ex-diretora geral do Detran, a Larissa Abdalla, foi rebaixada na esfera governamental. Deixou o comando do poderoso órgão para ser adjunta do Márcio Honaiser, na Secretaria de Desenvolvimento Social. É como se o cidadão fosse general e descesse para a patente de capitão.

*

E quem assumiu o Detran foi o ex-prefeito de Codó, Francisco Nagib. É um jovem milionário, filho do poderoso empresário Francisco Oliveira, dono de várias empresas, incluindo uma indústria de produtos de limpeza, que abastece supermercados no Maranhão e de utros Estados.

*

E o inverno chegou por aqui. E com vontade, cidadã. Em todo o Maranhão, trazendo um rastro de destruição. Na Ilha, por exemplo, São Luís passou por muito sufoco, assim como na Raposa, onde casas foram invadidas pelas enchentes, provocando muitos prejuízos.

*

Num trecho da rodovia entre os municípios de São Roberto e Esperantinópolis, foi aberta uma cratera que engoliu uma carreta. Uma situação dramática. Maior inimigo dos nossos governantes é exatamente o inverno. Porque ele mostra de que forma são executadas as obras de infraestrutura.

*

Sei não, mas se fosse governante, iria cobrar das construtoras esse prejuízo. Nunca se acaba com essa história do “asfalto sonrisal”, frase cunhada pelo saudoso Epitácio Cafeteira, para definir asfaltamento mal feito, que exige reparos todo ano e que não resiste a uma invernada.

*

Na madruga de sexta-feira, bandidos arrombaram a casa lotérica de Pirapemas e chegaram a levar uma certa quantia em dinheiro, cujos valores não foram divulgados pelos proprietários.

*

A violência, Bibi, na realidade, continua em alta por aqui. Na sexta, um policial militar foi baleado ao reagir uma tentativa de assalto na Cohab. Os bandidos não escolhem cara de vítimas.

*

Numa conversa que tive esta semana com um grupo de militares, eles me relataram que pelo menos 40 colegas de farda sucumbiram ao Covid 19. Um número considerado muito elevado.

*

Deixei de contabilizar o número de pessoas da minha relação de amizade, que morreram vítima de terrível pandemia. Além dos jornalistas Roberto Fernandes e Régis Marques, estamos agora rezando pela recuperação do radialista Juarez Souza, que está intubado no Carlos Macieira.

*

Mas, na última semana, perdemos a Marília Martins, cuja mãe também era conhecida como Bibi. Ela é irmã do ex-secretário municipal de Esportes, Miguel Pinheiro, que é jornalista de formação, mas que atua em outras atividades.

*

Outro amigo que nos deixou, abatido pelo Coronavírus foi Carlos Alberto Viegas, ex-secretário adjunto de Educação de São Luís e que atualmente era o secretário da mesma pasta na cidade de Cajari.

*

Mesmo com muitas mortes, o Covid-19  continua sendo desrespeitado por muita gente, Tem um bar na Avenida São Luís Rei de França, de nome “Resenha”, onde o grogue corre é frouxe no meio da semana, com a rapaziada se esfregando e enchendo a cara de grogue. Todo mundo sem máscara de proteção.

 

*

Bem, minha fofa, com essa o teu pretinho vai ficando por aqui, garantindo retorno na próxima semana, se Deus quiser. E ele quer, porque sempre foi bacana com esse teu pimpolho.

Beijão de quem continuará te amando para sempre.

Djalma

N.E. Bibi é Benedita Rodrigues, mãe desse editor. Ela faleceu no dia 8 de dezembro de 1965, aos 28 anos de idade, na Santa Casa de Misericórdia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *