Fãs choram em frente a hospital no Rio após morte de Paulo Gustavo

Fãs de Paulo Gustavo prestaram uma última homenagem a ele na frente do hospital Copa Star, zona sul do Rio. O ator morreu na noite de ontem em decorrência da covid-19.

Lola Tinoco, 53, é dona de um bistrô no Net Rio, casa de shows onde Paulo Gustavo apresentava seus espetáculos “220 Volts” e “Minha Mãe É Uma Peça”. Ao UOL, Lola conta que conhecia o artista e a família dele há anos.

“Ele, o marido e os amigos sempre iam ao meu bistrô. Era um querido, uma pessoa iluminada. O sentimento agora é de dor, muita dor. Vim aqui para fazer uma oração por ele. O Brasil perde um grande ator, humorista e uma grande pessoa.”

 

Quem também esteve no local foi Graziella Motta, 34, outra fã que veio se despedir do artista, que estava internado desde o dia 13 de março.

“Eu acompanho o trabalho do Paulo Gustavo há muitos anos, desde quando ele era de Niterói. Sou de lá também. Eu ainda tinha alguma esperança, sabe?”, lamentou.

Mais cedo, admiradores do humorista já estavam no local para torcer pela recuperação dele, antes da equipe do ator confirmar a morte.

Amigos e famosos também se despediram de Paulo Gustavo nas redes sociais. Tatá Werneck, uma das melhores amigas do ator, compartilhou uma frase bíblica: “Não fui eu que ordenei a você? Seja forte e corajoso! Não se apavore nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”.

 

O histórico do estado de saúde de Paulo Gustavo

O comediante foi intubado em 21 de março, após 8 dias de internação para combater a covid-19. Paulo Gustavo, no entanto, continuou a apresentar piora do quadro respiratório e, no dia 2 de abril, a equipe médica decidiu submetê-lo à terapia por ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea) na UTI, uma técnica também conhecida como pulmão artificial que auxilia na oxigenação do sangue.

No dia 4 e, novamente, no dia 9 de abril, o ator passou por procedimentos por via endoscópica (toracoscopia) para corrigir fístulas bronco-pleurais, uma comunicação anormal entre brônquios e pleura, a membrana dos pulmões, que permite o vazamento de ar.

Em 11 de abril, o ator seguia em estado crítico e teve nova fístula detectada, segundo nota à imprensa, recebendo reposição de fatores de coagulação. No dia 15 de abril, um novo boletim médico afirmou que ele também foi submetido naquela semana a “várias intervenções, como broncoscopias, e alguns procedimentos cirúrgicos” que controlaram hemorragias.

Segundo a equipe de Paulo Gustavo, o boletim divulgado no dia 26 de abril informou que uma nova pneumonia bacteriana havia sido identificada. Na ocasião, os médicos estavam otimistas, acreditavam que o problema estava sendo tratado de forma eficiente e falavam em “evidências de melhora na função pulmonar”.

Ontem pela manhã, ele tinha acordado e interagido com o marido, informaram os médicos. Porém, mais tarde, o ator teve uma embolia súbita que atingiu o sistema nervoso. Hoje, os médicos informaram que o quadro era irreversível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.