Moradores do Residencial Talita lotam a Câmara Municipal durante votação de requerimento reivindicando benefícios para o bairro

“Uma sessão histórica, e que deve se repetir  daqui pra frente, uma vez que o povo esteve presente, acompanhando os trabalhos de seus representantes nesta casa. Acreditamos que o Executivo, por força dessa movimentação dos vereadores e da comunidade, com certeza deverá atuar para pôr fim a esse estado de abandono, de descaso e de vergonha no bairro Talita”.

A afirmação foi feita pelo presidente da Câmara Municipal de Raposa, Beka Rodrigues, na noite desta terça-feira (10), ao final da sessão hibrida em que foi aprovado requerimento de autoria do próprio Beka e dos seus companheiros Irmão Moreira, Elenildo Rocha, Zanno Oliveira e Antonio Magno, reivindicando pavimentação asfáltica nas Avenidas Shel, Felicidade e Projetada  e nas Ruas  das Hortas e das Estrelas, no Residencial Talita.

A matéria foi aprovada por unanimidade e precedida de diversas manifestações, principalmente dos autores da propositura, que destacaram os problemas enfrentados pela comunidade do Residencial Talita. Os vereadores Elenildo, Irmão Moreira e Zanno estiveram anteriormente no bairro, em conversação com os moradores.

MANIFESTAÇÃO POPULAR

A líder comunitária  Maria da Conceição Ferreira, a Concita, revelou que os problemas de infraestrutura no Residencial Taluta são antigos, o que provocam a revolta popular. “Enfrentamos um drama eterno no bairro, porque as ruas são intrafegáveis e durante a estação chuvosa, acabamos por ficar ilhados em casa”, ressaltou.

Já Maria da Natividade ressaltou que além do problema da infraestrutura, afirmou que está solicitando ao prefeito Eudes Barros, que realize audiências públicas com os mais diversificados segmentos sociais de Raposa, para a elaboração do PPA (Plano Plurianual), de acordo com o artigo 165 da Constituição Federal . O PPA é um plano de médio prazo, que estabelece as diretrizes, objetivos e metas a serem seguidos pelo Governo Federal, Estadual ou Municipal ao longo de um período de quatro anos.

É aprovado por lei quadrienal, sujeita a prazos e ritos diferenciados de tramitação. Tem vigência do segundo ano de um mandato presidencial até o final do primeiro ano do mandato seguinte.

É através do PPA que a administração planejar todas as suas ações e também seu orçamento de modo a não ferir as diretrizes nele contidas.

Alarico Ribeiro Gonçalves foi mais além em sua manifestação, ao destacar que quando sua esposa deu à luz, o filho teve problemas e quase foi a óbito, uma vez que as ruas estavam sem condições de trafegabilidade e ele teve problemas para removê-lo até o hospital.

Parabenizou os vereadores por ouvir os reclamos da comunidade e destacou: “Vocês estão de parabéns, porque pela primeira vez estamos observando que a Raposa tem uma Câmara Municipal independente e altiva. E tenham certeza, de que daqui pra frente sempre estaremos aqui, cerrando fileiras em busca de nossos objetivos”, finalizou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.