Consun aprova política de empreendedorismo da UEMA

Gustavo Pereira Costa, reitor da UEMA

 

O Conselho Superior da Universidade Estadual do Maranhão – CONSUN/UEMA aprovou, na última quarta-feira (06) d, Resolução que trata da implementação da Política de Empreendedorismo da Instituição.

A Resolução será operacionalizada pela Agência de Empreendedorismo e Inovação –MARANDU, que tem como diretor executivo o professor José Moraes do Departamento de Administração.

A criação da Agência, em dezembro de 2020, objetiva aproximar a Instituição Estadual de Ensino Superior do mercado de trabalho, estimulando o desenvolvimento dos próprios negócios pelos egressos dela.

Professor José Moraes, na MARANDU

Conforme revela o professor José Moraes, entre as ações a serem desenvolvidas pela MARANDU, – nome de batismo da Agência, extraído do idioma guarani, significando novidade, – está a disponibilização ao mercado de tecnologias, geradas na UEMA, de forma a transformá-las em inovação. Muitas delas – diz o Professor Moraes – estão emprateleiradas, não chegando ao mercado, deixando, então, de contribuir com a solução de problemas enfrentados pela sociedade maranhense.

Para o Professor Gustavo Pereira da Costa (abaixo, à direita), Reitor da Universidade Estadual do Maranhão, ação importante da Política de Empreendedorismo da UEMA é a implantação da disciplina Empreendedorismo na estrutura curricular de todos os cursos da Instituição, considerando-se a necessidade de os alunos apreenderem a criar e gerenciar o próprio negócio. A forma de implantação dela ainda não foi definida, podendo ser uma disciplina de formação geral básica ou livre.

A UEMA – diz o Reitor – quer, com a definição de uma política de empreendedorismo, que os egressos dela tenham competência para criar um negócio do zero e gerenciá-lo de forma a ter um retorno positivo.

Ressalta que muitas pessoas associam a habilidade de empreender com geração de lucro pura e simplesmente, mas essa não é uma verdade absoluta, pois o empreendedorismo não constitui apenas a abertura de uma empresa.

É importante o desenvolvimento de uma mentalidade empreendedora e características pessoais que impulsionem a empreitada, além de conhecimento, condições que estão inseridas na política de empreendedorismo da UEMA.

Gustavo Pereira da Costa ressalta, também, que a Agência de Empreendedorismo e Inovação da UEMA tem um viés eminentemente social, considerando-se que o Empreendedorismo constitui uma alternativa para o egresso da Instituição Estadual de Ensino Superior face ao elevado número de desemprego e falta de oportunidades.

Segundo ele, o desemprego, no Brasil, bateu recordes: 2020 fechou com uma taxa média de 13,5 de desocupados, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Finalizando, Gustavo Pereira da Costa considera que o empreendedorismo e a inovação constituem um instituto da UEMA posto que eles são conceitos que caminham lado a lado no desenvolvimento da nação, sendo, então, permanentes.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.