Sarney Filho diz a cabo eleitoral que está pendurando as chuteiras na política

Um conhecido cabo eleitoral do atual secretário de Meio Ambiente do governo do Distrito Federal, ex-deputado federal Sarney Filho, afirmou ao blogue nesta sexta-feira que o ex-parlamentar havia lhe confidenciado na quinta-feira, que está abandonando a carreira política, depois de 10 mandatos, sendo um de deputado federal e nove como deputado federal.

Conforme o aliado de Sarney Filho, o ex-deputado também lhe confidenciou que só voltaria a disputar um mandato se fosse o de governador do Distrito Federal. Sarney Filho ficou sem mandato ano passado, quando perdeu a disputa para o Senado. Ele estreou na política em 1978, quando se elegeu deputado estadual.

 

                        Carreira política

Sarney Filho iniciou sua trajetória na vida pública ainda jovem pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), em 1970. Eleito deputado estadual pelo Maranhão em 1978, migrou para o Partido Democrático Social (PDS) e foi eleito para o seu primeiro mandato de deputado federal em 1982. Por ocasião da sucessão presidencial deflagrada ao final do governo João Figueiredo, deixou o partido em 1986 e ingressou no Partido da Frente Liberal (PFL), atual Democratas (DEM), e foi reeleito em 1986, 1990, 1994, 1998 e 2002.

Afastou-se do mandato para ocupar os cargos de Secretário para Assuntos Políticos do Estado do Maranhão, em 1988 e entre 1989 e 1990, e de Ministro do Meio Ambiente no governo de Fernando Henrique Cardoso, entre 1 de janeiro de 1999 e 5 de março de 2002, após o rompimento de seu partido com o governo.

Desde 2005, está filiado ao Partido Verde (PV) e foi reeleito em 2006, 2010 e 2014.

Em maio de 2016, assumiu novamente o cargo de Ministro do Meio Ambiente, no governo interino de Michel Temer. Em abril de 2018, deixou o ministério para se candidatar ao Senado Federal pelo Maranhão. No entanto, terminou a disputa em terceiro lugar, com aproximadamente 13% dos votos. No segundo turno, Sarney Filho declarou apoio ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) na corrida presidencial. Em novembro de 2018, foi anunciado para chefiar a pasta do Meio Ambiente, do governo do Distrito Federal. O convite foi feito pelo governador eleito, Ibaneis Rocha. (MDB).

Empresários acatam proposta de vereadores e SMTT e    ônibus para cortejos fúnebres voltam a ser liberados

  A partir da próxima segunda-feira (20),  as empresas de ônibus da capital voltarão a liberar ônibus para acompanhamento de cortejos fúnebres nos bairros, num total de 12 coletivos diários, sendo 4 no terminal do São Cristóvão, 4 no terminal da Cohama e 4 no terminal da Praia Grande.

Esse resultado foi fruto de um acordo intermediado pelo secretário municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros e a Câmara Municipal, representada pelos vereadores Pavão Filho, Marcial Lima, César Bombeiro e Sá Marques.

Até o dia primeiro deste mês, eram disponibilizados apenas 4 ônibus diários, que ficavam no Terminal da Praia Grande, para suprir e demanda de toda a cidade.

Na última terça-feira, os vereadores estiveram reunidos na  sede da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), com o titular da pasta, Canindé Barros, o presidente do Sindicato dos Empresários de Transportes (SET), Gilson Caldas, além dos empresários Romeu Carvalho (Viação Primor), Marcelo Medeiros (Viação Estrela) e Paulo Pires (Upaon –Açu), e representantes de dezenas de entidades representativas, sob a liderança de Sebastião Santos, presidente do Macaib, movimento representativo da área Itaqui/Bacanga.

Nessa reunião começou a ser construída a decisão, considerada favorável por todos os envolvidos. Os comunitários reclamaram  a  pequena qua ntidade de ônibus liberados para  o transporte fúnebre vinha causando um sério problema, principalmente nos bairros mais pobres da cidade, levando-se em conta que essa era a única ação social prestada pelos empresários em toda a cidade.  Nesta sexta-feira, os empresários acataram a sugestão.

 

Pelo acordo, ficou decidido que os proprietários arcarão com as despesas do deslocamento dos ônibus para tal finalidade, até o dia 30 de abril, quando então os envolvidos buscarão uma alternativa. A proposta acatada inicialmente e já fora de discussão é de que, para 2001, a Câmara Municipal irá aprovar a criação de um fundo especial para este tipo de operação.

 

Para o secretário Canindé Barros, o resultado do acordo foi proveitoso para todas as partes envolvidas. “Esse resultado é fruto do amadurecimento de discussões envolvendo a Prefeitura, a Câmara, a classe empresarial e os usuários, levando-se em conta as camadas mais necessitadas da cidade não dispõem de recursos para alugar veículos que levarão acompanhantes de cortejos fúnebres”, afirmou.

Ele parabenizou o posicionamento da Câmara, dos empresários e dos representantes dos usuários, afirmando que todos mostraram serenidade e amadurecimento, muito embora os ânimos tenham ficado exaltados em alguns  momentos.

Para o vereador Pavão Filho, houve um consenso e isso foi fundamental para que  todos chegassem a um denominador comum. “Assim é que se exercita a democracia e a cidadania. É com de bate, com discussão, com alinhamento de pontos de vistas”, acrescentou.

O vereador Marcial Lima elogiou a postura do secretário Canindé Barros, ao afirmar: “Merece aplausos o posicionamento do secretário de Transportes. Ele mostrou muita habilidade e  muita serenidade. Seu bom senso fez com que abrisse as portas da SMTT  para o povo vir aqui debater esse problema que é tão crucial para a cidade. Ele merece o nosso respeito e os nossos aplausos”, concluiu.

Os vereadores César Bombeiro e Sá Marques se disseram muito satisfeito com o resultado, assim como Sebastião Santos, que liderou o movimento dos usuários dos transportes coletivo, falando em nome das lideranças comunitárias de diversas regiões da cidade.

 

 

Morre o jornalista e radialista Sebastião Bogéa

 

 

Perdemos, nesta terça-feira (14), o estimado jornalista e radialista Sebastião Bogéa, antigo funcionário do Hospital Djalma Marques (Socorrão I). Ele começou a carreira na Rádio Timbira, e atuou em outras emissoras e em jornais impressos, como repórter policial.

Foi um dos pioneiros no sistemas de radiola no Maranhão. Era proprietário da Minha Doce Namorada, que animava bailes nas cidades entre as décadas de 1960 e 1970.

Canindé Barros homenageado pelo Arraial Laço de União

 

  O secretário municipal de Trânsito e Transportes, Canindé Barros, foi homenageado no final da tarde desta terça-feira (14), com uma placa de honra ao mérito, na 26ª edição do Arraial Laço de União,  e pelo Viva da Vila Dom Luís, em decorrência dos relevantes serviços prestados que o titular da SMTT vem prestando à cultura do eixo Itaqui/Bacanga.

A homenagem foi entregue por Sebastião Santos e lideranças de diversas entidades representativas daquela área.

Canindé Barros retribuiu agradecendo o reconhecimento e enfatizando que, de acordo com as diretrizes traçadas pela plataforma de trabalho do prefeito Edivaldo Jr., sempre estará aberto ao diálogo e ao apoio às práticas esportivas e à cultura popular de um modo geral.

Vereadores, SMTT, empresários e usuários de transporte coletivo buscam solução para impasse de ônibus fúnebre

 

Os vereadores Pavão Filho, Marcial Lima, César Bombeiro e Sá Marques, estiveram reunidos na tarde de ontem, na sede da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), com o titular da pasta, Canindé Barros, o presidente do Sindicato dos Empresários de Transportes (SET), Gilson Caldas, além dos empresários Romeu Carvalho (Viação Primor), Marcelo Medeiros (Viação Estrela) e Paulo Pires (Upaon –Açu), e representantes de dezenas de entidades representativas, sob a liderança de Sebastião Santos, presidente do Macaib, movimento representativo da área Itaqui/Bacanga.

O objetivo do encontro foi debater o problema da falta de cessão de ônibus para acompanhamento fúnebre nos bairros da capital, que foi finalizada a partir de 2016, com o advento da licitação para o setor. Os comunitários reclamam que isso vem causando um sério problema, principalmente nos bairros mais pobres da cidade, levando-se em conta que essa era a única ação social prestada pelos empresários.

O vereador Pavão Filho sugeriu que os empresários passassem  os coletivos para os enterros, a partir de agora, para que, num prazo de 3 meses, se busque uma solução, enquanto afirmou que a Câmara deverá alinhar com a Prefeitura, a adoção de medidas como a criação de um fundo especial, para ser inserido no Orçamento que será elaborado ainda este ano.

Os empresários aprovaram a ideia, mas, enquanto Paulo  Pires e  Romeu Carvalho acataram a sugestão de que a classe empresarial arcasse com essas despesas a partir de agora, Gilson Caldas e Marcelo Medeiros ficaram na defensiva, arguindo a impossibilidade de assumirem tal responsabilidade.

Com ameaça de bloqueio de corredores e outras medidas drásticas por parte dos comunitários, Gilson Carvalho, que é proprietário da Ratrans, pediu um prazo de até a próxima sexta-feira, para dar uma resposta definitiva, após reunir a diretoria executiva do SET.

O vereador Marcial Lima afirmou que a classe empresarial estava se mostrando insensível para com os problemas da cidade. “Quem dá sustentação às empresas são os usuários, que pagam à vista esse produto.  Vocês não estão se importando com o problema deles e sequer se manifestam para uma retribuição de  cunho social”, afirmou.

O vereador Sá Marques também se mostrou incisivo  com os empresários e  disse que estava até interessado em apresentar a proposta da criação de uma CPI para verificar muitos problemas no sistema de transportes, que são reclamados pela população.

Depois de mais de duas horas de discussão, ficou definido que o presidente do SET estará na sexta-feira (17), às 10 horas, na sede do SMTT, dando uma resposta definitiva sobre  o que foi debatido.

Modelo maranhense ganha fama internacional

 

(O Imparcial)

Foi quando tinha 14 anos que Scarllath Lopez, 24, começou a sentir que queria representar outras pessoas e comunidades trabalhando como modelo, durante a participação em um desfile na pequena comunidade de Vila Passos, em São Luís, onde morava.

A presença de vários olheiros e meninas na comunidade revelou a Scarllath um mercado muito concorrido. “Eu percebi ali a força de vontade de cada menina. Quando vi que podia dar certo para mim, considerei que também poderia representar outras meninas e dar voz”, lembra.

Anos mais tarde, a maranhense ainda chegou a cursar Nutrição por dois anos e meio. Mas com o incentivo da mãe e de amigos, Scarllath deixou o curso para trás e começou a perseguir seus sonhos dentro do mundo da moda em São Paulo, onde começou a registrar sua particularidade por ser atraída pela vontade de ingressar no mercado com muita representatividade para as pessoas e marcas, sempre atenta a todo trabalho de sensibilização do público.

A maranhense revela que não imaginava onde poderia chegar, mas confessa que se perguntava “E se desse certo? Quantas meninas eu poderia inspirar e representar? Hoje eu costumo dizer que a moda me ganhou”, atesta sorrindo.

Segundo ela, os desafios e dificuldades com os trabalhos no início da carreira foram oportunidades para aprender. “Todos os trabalhos que faço me passam um aprendizado muito grande”. Para ela, o maranhense é naturalmente mais tímido. “No início, eu sentia mais dificuldade com a timidez e com a linguagem, [em relação aos idiomas]. Esses foram alguns dos meus grandes desafios”, revela.

Hoje ela integra importantes agências de modelos do Brasil e do mundo, com as quais já consegue se comunicar com mais facilidade quando precisa fazer um trabalho no exterior. “Eu já consigo me comunicar com o inglês e arranho no italiano”, conta aos risos a modelo que coleciona trabalhos em países como Turquia, Amsterdã, Espanha, Itália e Caribe atualmente.

Scarlleth conta como ganhou uma projeção internacional. “Hoje meu trabalho é o mundo, grande parte por um scout [olheiro] que eu tenho e que me impulsionou no mercado internacional. Ele foi a afirmação de que eu deveria seguir esse caminho”, diz Lopez sobre o seu agente de modelos e representante no mercado internacional, Miguel Crispin.

“Hoje meu trabalho é o mundo”, afirma Scarllath

No mercado há 17 anos, Crispin conta que começou a representar Scarllath há cerca de dois anos. “Comecei desenvolvendo a carreira dela no Brasil e logo organizei sua primeira viagem internacional”, conta. O agente descreve as características que mais chamaram a sua atenção na maranhense que representa em Paris, Milão e Espanha. “Scarllath tem uma beleza inexplicável, mas sua energia, alegria de viver e gratidão pelas pequenas oportunidades me fizeram ainda mais feliz em trabalhar com ela”, evidencia. Entre os trabalhos publicados no perfil de Scarllat vinculado às principais agências de moda do mundo estão dois editoriais feitos para a Glamour Brasil, um para a agência Way Model, outro para a Vogue Brasil e um intitulado Various Campaigns, datados de 2018 a 2019.

Para Scarllath, ser modelo é ter um trabalho privilegiado. “Aprendi muitas culturas, histórias e coisas que não conseguiria aprender em sala de aula. Minhas expectativas daqui pra frente são só crescer, falar mais línguas, trabalhar com mais clientes que me inspiram e poder representar mais meninas com o meu trabalho”.

A verdadeira inspiração da modelo vem da família e amigos. “Eles são meu ponto forte. A minha mãe é minha melhor amiga e o meu pai, um ponto de união”, descreve. Scarllath perdeu o pai há mais de dois anos. “Hoje ele [pai] me inspira à distância para resistir na moda”.

O sonho de se tornar modelo não era algo tão inédito e particular assim na família. Ana Lopes, a mãe, também realizou alguns trabalhos como modelo e hoje projeta na filha os sonhos que não pôde dar continuidade no passado. “Scarllath é uma boa filha e eu tenho muito orgulho dela, acredito que o pai dela também tenha”. Para matar a saudade da filha, Ana se desloca de três em três meses a São Paulo, onde Scarllath reside ou recorre ao uso do bom telefone.

Perguntada sobre o que faz quando não está modelando, Scarllath disse preferir atividades físicas que cuidam do corpo e da mente. Quando tem um tempo livre no meio da agenda agitada, a modelo costuma praticar ioga em casa ou em praias, além de também praticar pilates. Sobre dietas, procura não seguir nenhuma restrita ou fugir do convencional. Com um perfil de trabalho mais abrangente atualmente, – comercial e fashion – Scarllath ainda deseja alcançar mais visibilidade para o Maranhão, por meio do seu trabalho. “O povo maranhense é a minha força. Quero que as pessoas visitem o Maranhão e queiram ficar. É um estado aconchegante onde encontramos pessoas muito boas”, conclui.

Sobre sonhos e perspectivas, Scarllath diz querer sensibilizar com seu trabalho. “Quero sensibilizar outras meninas e muitas comunidades. Quero que o mundo da moda cresça para pessoas negras e, como um todo, seja melhor e igual para todos. Meu objetivo é a representatividade, especialmente para o povo maranhense”.

Juízes entram com ação no STF contra trecho da reforma da Previdência

A Associação de Juízes Federais (Ajufe) entrou com uma ação Direta de Inconstitucionalidade contra um trecho da reforma da Previdência que trata do tempo de contribuição dos segurados e das regras de transição.

Os juízes afirmam que a alteração viola direito consumado ao obrigar que o beneficiário retorne ao trabalho até completar o período de contribuição.

O relator do caso no STF é Luís Roberto Barroso, que solicitou informações com um prazo de 10 dias ao presidente Jair Bolsonaro e aos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

 

O ofício para Alcolumbre foi enviado no dia 26 de dezembro e os para Maia e Bolsonaro no dia 27.

A eventual derrubada de algum dos dispositivos da reforma impactará a economia de R$ 800 bilhões estimada pelo governo para os próximos dez anos com as novas regras do sistema previdenciário.

A reforma da Previdência foi aprovada no dia 23 de outubro, oito meses após o presidente Jair Bolsonaro entregar o texto do governo pessoalmente na Câmara dos Deputados.

Embora os congressistas tenham aprovado a principal pauta econômica do governo de Jair Bolsonaro em 2019, a reforma da Previdência, foram feitas modificações ao texto original enviado pelo governo.

 

Entre as intervenções do Legislativo no projeto estão a retirada da capitalização, dos estados e municípios entrarem na reforma e a manutenção das regras do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Acidente com moto causa morte de três pessoas em Itapecuru

Uma motocicleta bateu na noite de domingo (12) em uma caminhonete e casou a morte de três pessoas na BR-135 no município de Itapecuru Mirim, a 108 km de São Luís.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu por volta das 18h50 no Km 86,8 da BR-135 em Itapecuru Mirim, no sentido crescente da rodovia, quando uma motocicleta sem perceber a presença do veículo de passeio colidiu na transversal do automóvel.

Com a força do impacto, os três ocupantes da motocicleta, o condutor e duas passageiras, não resistiram a gravidade dos ferimentos e morreram logo após a forte batida.