Que paremos por aí- Flávio Dino registra segunda morte por coronavírus no Maranhão

Pelas redes sociais, o governador Flávio Dino (PCdoB) informou neste sábado (4) a segunda morte pelo novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão. Se trata de uma mulher, de 89 anos, internada em um hospital de São Luís e que tinha histórico de outras doenças.

Dino também afirmou que agora o estado possui 96 casos registrados. Até esta sexta (3), todos os casos no Maranhão estavam registrados em São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Açailândia e Imperatriz.

Solidão na hora da despedida: coronavírus impõe isolamento até no luto e muda a rotina em cemitérios

(Jornal Extra)

Velórios suspensos ou encurtados, limitação no número de pessoas que podem acompanhar os enterros, caixões fechados. Assim são as despedidas cada vez mais solitárias, sem o conforto de um abraço ou o amparo de um ombro amigo. Em meio à pandemia do novo coronavírus, dar adeus a um ente querido torna-se ainda mais difícil.

Na tarde de quarta-feira, dia 1º, apenas oito pessoas compareceram ao enterro do aposentado Nazareno Rodrigues da Costa, no Cemitério do Caju, Zona Portuária do Rio. O idoso, que tinha 72 anos, morreu segunda-feira após dar entrada com pneumonia num hospital da Baixada Fluminense. Ele estava muito debilitado e o resultado do teste para Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, deu positivo. Sepultadores e o motorista do carro da funerária utilizaram equipamentos de proteção individual, como macacões, máscaras e luvas.

— Foi um enterro mais solitário, mais triste para toda a família. Mas é para o bem de todos, não podemos criar aglomerações e respeitamos isso — contou Thamires Costa, neta de Nazareno.

Funerárias e cemitérios do Rio têm adotado medidas de prevenção para os funcionários lidarem com os corpos de vítimas suspeitas ou confirmadas da Covid-19. A doença já matou 47 pessoas em todo o estado, segundo o boletim divulgado ontem pela Secretaria estadual de Saúde.

De acordo com a Coordenadoria de Cemitérios, ligada à Subsecretaria de Conservação da Prefeitura do Rio, “fica a cargo de cada família a escolha de um dos 21 cemitérios do município para enterrar ou cremar o seu ente querido”. Nos cemitérios da Penitência, do Caju, da Cacuia (Ilha do Governador), de Ricardo de Albuquerque, de Realengo, de Santa Cruz, de Guaratiba, de Paquetá, de Sulacap e de Paciência, além dos cuidados básicos com higienização, os parentes de mortos com suspeita de Covid-19, já chamada de “doença da solidão”, recebem orientações de acesso limitado à capela e de se aproximar do caixão um de cada vez. As cadeiras estão a dois metros uma da outra. Quem preferir pode optar pelo velório transmitido pela internet ou feito ao ar livre. Para os casos confirmados, sequer há velório.

— Essa situação é muito nova para todos. As recomendações surgiram aos poucos. A preocupação sempre foi acolher bem as famílias que estão se despedindo da pessoa num momento de dor durante a pandemia — explicou Alberto Brenner Junior, administrador da Penitência.

Na última quinta-feira, dia 2, o Cemitério do Caju realizou mais um sepultamento de caso suspeito da Covid-19. Ao lado da quadra onde seria feito o enterro, uma lixeira especial para descartes de materiais infectados já estava posicionada para receber todos os equipamentos de segurança usados pelos sepultadores. Por volta das 15h20, o corpo chegou, em um caixão lacrado. Em casos suspeitos de coronavírus, o corpo é levado diretamente até a cova dentro do carro da funerária — o motorista também usa itens de proteção, e o veículo deve ser frequentemente higienizados com álcool 70%.

— Há três semanas os velórios ficaram vazios. Vi uma família alugar um ônibus, mas só três pessoas estarem nele. O que impera entre os familiares é o silêncio. O medo tomou conta — disse o administrador da concessionária Real Pax, Isaías Barbosa, que mantém 10 capelas no Cemitério de Inhaúma, na Zona Norte.

Mesmo a despedida a pessoas que morreram de causas não relacionadas à Covid-19 é alterada pela pandemia. Filha do aposentado Paulo Dias Leite, que morreu, aos 81 anos, após passar dois meses internado, Ana Paula Leite, de 48, despediu-se do pai na companhia de apenas outras duas pessoas. E de longe. O caixão de Paulo permaneceu sozinho, no centro de uma das capelas do Cemitério de Inhaúma, sem ninguém velá-lo.

— Não quisemos criar aglomeração para não colocar ninguém em risco, inclusive a minha mãe, que é idosa. Não ficamos lá dentro (da capela) para evitar local fechado. É difícil, mas é uma questão de pensamento coletivo em meio ao caos — ponderou Ana Paula.

Acostumado, como ele diz, “a lidar com a dor do outro”, um funcionário do Cemitério do Caju, que pediu para não ser identificado, relatou como tem sido o trabalho durante a pandemia:

— Qualquer despedida é triste, a gente está acostumado a lidar com a dor do outro. Mas ver esses sepultamentos sem velório, sem a família poder ver o rosto do parente pela última vez, ter que manter o caixão fechado o tempo todo… Isso é mais triste ainda. Nós temos medo de contrair essa doença, temos filhos, mãe, família em casa que depende da gente. Então, tenho tomado todos os cuidados e seguido os protocolos de segurança.

Até o último dia 31, foram realizados, além dos enterros de casos confirmados, 174 sepultamentos onde constava, no atestado de óbito, a suspeita de Covid-19, segundo a Coordenadoria de Cemitérios do Rio. Os cemitérios não forneceram dados sobre número de enterros, mas, na Penitência, a quantidade de cremações, procedimento recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em casos suspeitos de coronavírus, aumentou 44% em marco, em relação a fevereiro.

Em todas as despedidas, o cenário foi muito diferente de um enterro da era pré-pandemia. Além do velório às pressas, a Anvisa recomenda uma série de precauções, como passar álcool 70% no caixão e no carro funerário, e não trocar a roupa do morto.

Pacientes com Covid-19 têm que ficar em isolamento total durante o tratamento, mesmo que não estejam em hospitais. E nos casos fatais, parentes e amigos não podem se aproximar nem para dar o último adeus. O impacto dessas perdas torna o luto ainda mais complicado. Muitas pessoas precisarão de apoio extra, afirma a psicóloga Kátia Pires:

— O luto é a expressão de tristeza profunda pela morte de alguém. Há os chamados lutos complicados ou, como chamávamos anteriormente, “lutos patológicos”, são lutos decorrentes de óbitos repentinos, agressivos, sem tempo para se acompanhar o processo. Os familiares devem ter suporte constante de outros parentes e de amigos para superar a tragédia imposta pelo coronavírus.

 

Flávio Dino confirma 88 casos do novo coronavírus no MA e afirma: ‘Espalha muito rápido’

 

Por Rafael Cardoso, G1 MA — São Luís

Em uma coletiva virtual, o governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou nesta sexta-feira (3) que subiu para 88 o número de casos do novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão. Inclusive, alguns profissionais da saúde foram contaminados pela doença.

Flávio Dino fala em coletiva virtual sobre o avanço do novo coronavírus no Maranhão — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Ao todo, os casos no Maranhão estão registrados em São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Açailândia e Imperatriz.

O governador também afirmou que quase todos os 20 leitos do Hospital Dr. Carlos Macieira estão ocupados com pacientes que contraíram a doença. Todos estão com algum tipo de dificuldade respiratória.

Casos confirmados do novo coronavírus no Maranhão

Em um outro momento da coletiva, Flávio Dino comentou o cancelamento da venda de respiradores para a Bahia e o Ceará. A carga foi comprada pelo Consórcio Nordeste – que reúne os estados da região – e também era aguardada para o Maranhão.

“Os respiradores também não virão para o Maranhão. Os EUA estão barrando as compras e comprando todo o estoque dos chineses. Nós temos respiradores disponíveis, mas não temos para todo mundo”, disse o governador.

Dino também afirmou que estendeu, até o dia 26 de abril, o decreto que suspende aulas em escolas públicas e privadas, além da suspensão do transporte interestadual. O governo também decidiu manter o comércio suspenso e prometeu punição e multas por descumprimento.

Cidades com registros da Covid-19

  • São Luís – 82 casos
  • Imperatriz – 02 casos
  • São José de Ribamar – 02 casos
  • Açailândia – 01 caso
  • Paço do Lumiar – 01 caso

Faixa etária dos pacientes

  • 0 a 9 Anos – 02 casos
  • 10 a 19 Anos – Nenhum caso
  • 20 a 29 Anos – 08 casos
  • 30 a 39 Anos – 28 casos
  • 40 a 49 Anos – 22 casos
  • 50 a 59 Anos – 12 casos
  • 60 a 70 Anos – 12 casos
  • Mais de 70 – 04 casos

Percentual de casos por sexo

  • Masculino – 49%
  • Feminino – 51%

Taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para a Covid-19 no MA

  • Total de leitos de UTI – 132
  • Leitos ocupados de UTI – 19
  • % de ocupação das UTIs – 14,39%

Taxa de ocupação de leitos clínicos exclusivos para a Covid-19 no MA

  • Total de leitos – 120
  • Leitos ocupados – 13
  • % de ocupação – 10,83%

Pacientes curados do novo coronavírus chegam a 19 no Maranhão

O número de maranhenses que receberam alta da quarenta e estão recuperados do novo coronavírus (Covid-19) chegou a 19 no Maranhão, segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Maranhão (SES).

Atualmente, o número de casos no Maranhão subiu para 88 em cinco cidades. Ao todo, foram mais sete casos registrados nas últimas 24 horas. Atualmente, a SES monitora 935 casos suspeitos. Outros 1503 casos suspeitos foram descartados.

Serviço de vacinação de rotina é realizado em São Luís

 

A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de São Luís está oferecendo nas unidades de saúde, que atendem ao programa Saúde na Hora do Ministério da Saúde, serviços de vacinação de rotina, inclusive aos sábados. Implementado desde o mês de março, 12 unidades de saúde estão funcionando de modo estendido durante a semana, sendo de segunda a sexta de 7h às 18h, e aos sábados de 7h ao meio-dia.

Todas as unidades terão a Pentavalente que compõe as vacinas contra a meningite, tétano acidental, difteria; coqueluche e hepatite B. Além dessas, a Tríplice Bacteriana (DTP); Pneumocócica; Rotavírus; antipólio oral (VPO – Sabin); Poliomielite; HPV; Febre Amarela; Tríplice Viral (Caxumba, Rubéola e Sarampo) e Varicela. Os atendimentos serão individualizados para evitar maior contato social.

As unidades de saúde que estão contempladas com o programa do Governo Federal, são as do Centro de Saúde Clodomir Pinheiro Costa situado no bairro Anjo da Guarda, Centro de Saúde São Raimundo, Unidade de Saúde da Família do São Francisco, Centro de Saúde Cohab Anil, Unidade Básica de Saúde Cintra, localizado no bairro Anil, Centro de Saúde Santa Bárbara, Centro de Saúde Turu, Centro de Saúde Vila Nova, Centro de Saúde Fabiciana Moraes, na localidade Habitar Nice Lobão, Centro de Saúde Genésio Ramos Filho, situado no bairro Cohab, Centro de Saúde Dr. Antônio Carlos Sousa Reis, localizado no bairro Cidade Olímpica I e Centro de Saúde Vila Bacanga.

Quanto à vacinação contra o H1N1, já foram imunizados idosos e crianças de seis meses a menores de 6 anos cujos nomes iniciam com as letras C e D. Desde o dia 23 de março, a campanha tem atendido a população no drive thru e nas escolas.

 

Beka Rodrigues lamenta morte do empresário Martins, que foi primeiro presidente da Câmara de Raposa

        

O presidente da Câmara Municipal de Raposa Beka Rodrigues (PC do B), lamentou profundamente o falecimento do empresário José Sousa de Oliveira o Martins, de 60 anos. Ele faleceu às 18h15m no Hospital São Domingos, onde estava internado desde o dia 10 de março, para tratamento renal. Martins era proprietário do Restaurante Natureza.

De acordo com Beka Rodrigues, Martins, que foi o primeiro presidente da Câmara Municipal de Raposa, escreveu uma página na história da cidade de maneira singular. “O Martins será homenageado pelo nosso Legislativo, dando o nome ao prédio desta casa parlamentar. É uma homenagem mais do que justa, por tudo o que fez pela cidade”, afirmou Beka Rodrigues.

Conforme Beka Rodrigues, Martins foi um dos mais carismáticos políticos e um grande empreendedor de Raposa, que marcou sua trajetória pelo trabalho, pela competência e pela lealdade para com os amigos. “Ele deixa uma grande lacuna nas áreas política e empresarial desta cidade”,  acrescentou Beka Rodrigues.

         SAÚDE FRÁGIL

Martins era detentor de problemas renais crônicos e há vários anos fazia  sessões de hemodiálise. De acordo com o filho dele, Felipe Natureza, o pai estava internado desde o dia 10 de março e seu estado se agravou por conta de uma erisipela num dos braços, o que o levou a ser submetido a uma cirurgia na mão, na manhã desta sexta-feira.

Conforme Felipe Natureza, após a cirurgia, Martins teve uma parada cardiorrespiratória, sucedendo-se em seguida outros problemas que agravaram seu quadro, até que às 16h15 ele veio a falecer.  O velório será em sua residência, na Raposa e o sepultamento acontecerá às 16h deste sábado, no cemitério desta cidade.

Governo projeta mais de mil casos da Covid-19 no Maranhão

 

Após o número de casos confirmados do novo coronavírus chegar a 81, o governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou nas redes sociais que é ‘razoável projetar’ que já existem mais de 1.000 pessoas com o vírus no Maranhão.

Dino também comentou que a maioria dos casos está em São Luís e que a luta é para evitar expansão rápida, internações hospitalares e mortes.

Atualmente, segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), são 913 casos suspeitos da Covid-19 e uma morte registrada. Outros 1452 casos foram descartados e 12 pessoas foram curadas da doença.

  Phil Camarão assume  a política de Trânsito da Secretaria de Saúde do Estado

 Ex-diretor geral do PAM Diamante,  Phil Camarão tomou posse, no final de março, na Superintendência da Política de Atenção à Saúde no Trânsito, da Secretaria de Estado da Saúde. Tal remanejamento, feito pelo governador Flávio Dino, foi em função de Phil ser especialista na área.

Camarão é médico especialista em Medicina de Tráfego; Membro titular da câmara de Educação e Saúde do CONTRAN, representando o Conselho FEDERAL de Medicina (CFM); Membro da Câmara Técnica de Medicina de Tráfego do CFM; Diretor do Nordeste da ABRAMET e presidente da ABRAMET federada Maranhão. É o único, em âmbito nacional, que participa de todas essas entidades.

Por ser amigo pessoal da diretora geral do Detran,  Larissa Abdala, tudo indica que essa parceria vai trazer ótimos resultados par  Estado, de acordo com a cúpula da pasta estadual da Saúde e de assessores do Detran..

Nessa nova função, ele será o interlocutor do órgão junto ao Departamento Estadual de Trânsito –DETRAN/MA. A nomeação de Phil Camarão foi anunciada no início do mês passado, pelo governador Flávio Dino e o secretário de Saúde, Carlos Lula, durante uma concorrida solenidade no PAM Diamante,  quando o chefe do Executivo anunciou a promoção do agora ex-diretor daquela unidade de saúde.

O titular da  Saúde, Carlos Lula, foi bastante enfático na ocasião,  ao afirmar que o PAM havia ficado muito pequeno para a competência de Phil Camarão, que agora passaria a encarar um novo desafio.

“O médico Phil Camarão é uma figura de destaque na área de saúde. É membro da Academia Maranhense de Medicina, uma referência nacional na área do trânsito e um profissional que mostrou muita competência em todos os cargos públicos já exercidos. Ela agora vai encarar um novo desafio. E temos certeza que também terá sucesso nessa nova empreitada, porque é isso o que o governo do Estado espera desse brilhante profissional”, destacou Carlos Lula.

Como último ato à frente do PAM Diamante, Phil Camarão inaugurou o Friboscan, um moderno aparelho que identifica os problemas do fígado.

Phil Camarão agradeceu ao governador Flávio Dino e ao secretário Carlos Lula, pela confiança depositada e afirmou que vai se empenhar ao máximo na nova função, da mesma forma como se dedicou durante seu período como dirigente do PAM Diamante

Rei do Coladinho, cantor Paulynho Paixão morre após sofrer dois acidentes em menos de 3 horas no Piauí

O cantor piauiense Francisco de Paula Moura, o Paulynho Paixão, 43 anos, morreu em um grave acidente na madrugada desta sexta-feira (3). Ele sofreu um acidente de carro por volta das 22h de quinta-feira (2) e saiu ileso. Ele resolveu retornar ao local, de moto, aproximadamente à 00h30, mas caiu na PI-225, altura da cidade de São Miguel da Baixa Grande, 159 km de Teresina, e morreu devido aos ferimentos.

De acordo com o irmão de Paulinho Paixão, Francisco da Cruz Moura, o cantor sofreu o acidente de carro por volta das 22h na BR-316, próximo à cidade de Passagem Franca do Piauí. Ele não teve ferimentos e foi para a casa da família, em São Miguel da Baixa Grande, de onde foi encaminhado ao hospital.

Horas depois, os irmãos de Paulynho Paixão foram ao local para tentar buscar o carro em que ele havia se acidentado. Contudo, retornando à cidade, encontraram o cantor caído no chão, próximo ao Riacho Dantas, na PI-225.

Ele foi encaminhado ao hospital de Valença, mas morreu por volta de 3h da manhã. O velório acontecerá em São Miguel da Baixa Grande, cidade natal do cantor.

 

Rei do coladinho

 

O piauiense ficou conhecido principalmente no Norte e Nordeste como “Rei do Coladinho” e compôs músicas que são interpretadas por cantores como Simone e Simária, Luan Santana, Gustavo Lima, Leo Magalhães, Xand Avião e Wesley Safadão. O cantor chegou a compor mais de 2 mil músicas ao longo de mais de 15 anos de carreira.

 Violência doméstica

O cantor chegou a ser preso, em agosto de 2019, por agressão contra sua esposa, Wilma Alves da Silva, conhecida como Tayanne Costa. A Justiça acatou a denúncia no dia 21 de janeiro de 2020.

O caso ocorreu em um hotel no dia 11 de agosto de 2019, após um show na cidade de Bacabal, a 247 km de São Luís. Na época, Paulynho Paixão foi enquadrado na Lei Maria da Penha e acabou preso após uma denúncia de agressão por parte de Tayanne Costa.