Fábio Câmara apresenta sugestões para aliviar falta de ônibus em São Luís

Fábio Câmara

Fábio Câmara

 

Presidente da Comissão de Transportes da Câmara Municipal de São Luís, vereador Fábio Câmara (PMDB), apresentou nesta quinta-feira (29), durante coletiva com a imprensa, sugestões que visam amenizar os transtornos à população com a falta de ônibus na capital, por conta da greve dos rodoviários que completou uma semana na última quarta-feira (28). Uma das medidas apresentadas pelo parlamentar seria um plano de contingência para o transporte coletivo. Na opinião do peemedebista, enquanto não houver uma solução rígida, a capital vai continuar enfrentando transtornos.

— A Prefeitura de São Luís ainda não possui um esquema para suprir a ausência dos ônibus. Soluções existem, como, por exemplo, a possibilidade de se realizar um cadastro de vans e micro-ônibus visando substituir o transporte coletivo em caso de greve dos rodoviários. O esquema só funcionaria, entretanto, em caso de paralisações prolongadas, como está que já dura uma semana prejudicando 750 mil passageiros, com 100% da frota de ônibus fora ruas da capital maranhense, — frisou.

Além dessas medidas, Fábio Câmara também sugeriu à Prefeitura que decrete estado de calamidade pública no sistema de transporte. O impasse entre trabalhadores e empresários, segundo o parlamentar, reforça a necessidade de uma intervenção no transporte coletivo, já que o Município é responsável pela concessão do serviço.

— A população e os sindicatos estão sendo já muito penalizados. Estes últimos, por conta das altas multas já geradas durante a greve, que é uma necessidade da categoria, a de reivindicar seus direitos. Surge, então, um conflito muito forte entre o usuário de transporte e os trabalhadores do transporte público. Surge também a proliferação do transporte alternativo, fortalecendo a clandestinidade. Isto é, são várias situações conflitantes que levam a Comissão de Transporte sugerir ao prefeito que se decrete estado de calamidade pública, pois fazendo isto ele fica no estado de exceção e abre prerrogativas pra ele pra contratar em um tempo mais rápido sem licitação e resolver logo o problema, — explicou.

O Presidente da Comissão de Transportes da Câmara ainda reiterou suas sugestões com base na urgência em resolver o problema em razão das dificuldades enfrentadas pelos usuários do sistema de transporte.

— Já cedemos demais, o Sindicato dos Rodoviários cedeu reduzindo sua reivindicação de 16 para 11%. A população, por outro lado, cedeu perdendo a domingueira, que também já estava contada no seu orçamento do mês. Já o SET, ao contrário, ainda não cedeu e pede mais dinheiro à Prefeitura. Portanto para resolver esse impasse, decretar estado de calamidade pública se faz necessário. Assim, ele pode chamar qualquer outra empresa de qualquer outro lugar desse país para explorar o serviço de forma emergencial, resolvendo o problema da nossa sociedade. Enquanto isso, pode também abrir, neste período, o certame da licitação que é importante para melhorar a qualidade do serviço de transporte público, — conclui o parlamentar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*