Conselho de Administração do BNB demite presidente indicado por Valdemar da Costa Neto, que deu rombo de R$ mais de 2 bilhões na Casa da Moeda

O Conselho de Administração do Banco do Nordeste decidiu nesta quarta-feira destituir Alexandre Borges Cabral, empossado na véspera como presidente da instituição. Um novo nome deve ser indicado pelo PL, partido de Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão, e que compõe o centrão, nova base de apoio do governo no Congresso.

Até a análise de um novo nome, o atual diretor financeiro e de crédito Antônio Jorge Pontes Guimarães Júnior vai assumir interinamente o comando do banco, acumulando funções.

A decisão consta de “fato relevante” assinado pelo superintendente responsável pelas relações com investidores, Sérgio Brito Clark.

A possibilidade de exonerar Alexandre Cabral, empossado ontem, surgiu após a revelação de que o Tribunal de Contas da União (TCU) apura suspeitas de irregularidades em contratações quando Cabral presidia a Casa da Moeda, em 2018. O prejuízo é estimado em ao menos R$ 2,2 bilhões. A informação foi revelada pelo jornal “Estado de S.Paulo” e confirmada pelo O GLOBO.

 

Prós e contras do Jeep Renegade

Analise todos os itens antes de adquirir o seu!

A Jeep decidiu entrar na categoria dos compactos lançando o Renegade, a mrca decidiu que o modelo deveria manter o perfil “off-road” da marca. E assim nasceu o Renegade Trailhawk. O modelo custa em torno de R$ 140.000.

O Renegade não é o único 4×4 do mercado, já que existem o Renault Duster 4WD e o Ford EcoSport Storm. O Jeep usa motor turbodiesel, mas nem todos gostam de seu motor, além disso ele conta com a primeira marcha mais curta e possui um câmbio de nove marchas. Além disso, conta com 20 mm extras de altura do solo que os demais Renegade. Além de possui bom desempenho ao Jeep compacto ele entrega boas médias de consumo.

Jeep Renegade Trailhawk tem uma grande quantidade de equipamentos. Seu único item opcional é o teto-solar, que custa em torno de 8 mil reais. O modelo tem os seguintes itens:
  • 7 airbags;

  • ar-condicionado;

  • painel de instrumentos;

  • central multimídia;

  • controle eletrônico de descidas e piloto automático;

  • opção Rock entre os modos de condução off-road.

A qualidade do modelo é alta, com ênfase para o acabamento que combina com o painel. Ao invés de usar peças cromadas, a versão usa detalhes em vermelho.

O único item que não agradou os motoristas foi o seu porta-malas. Pois, ele é menor do que o modelo do Fiat Uno. Após as críticas a Jeep até alterou as demais versões, trocando o estepe normal por um de uso temporário, e isso aumentou o espaço do porta-malas. Porém, isso não foi feito na versão Trailhawk, pois trata-se de um carro off-road, ele precisa do estepe de tamanho normal.

As mudanças realizadas mexeram na suspensão e tiraram um pouco do conforto. A suspensão ficou mais firme, para conter a posição da carroceria.

Os principais pontos positivos do Trailhawk segundo os donos é que se trata de um carro confortável, com estabilidade, com bons freios. Excelente para fazer trilhas e chegar em segurança onde demais carros não chegam. A tração é considerada boa.

Já os principais pontos negativos da versão segundo os donos são os pequenos detalhes. Mas, nada que atrapalhe o desenvolvimento do carro, são coisas pequenas como a luz do porta-malas, uma borracha que não está mais onde estava em outras versões. A grande alteração foi só no aviso da pressão dos pneus, que não existe mais, agora há apenas um alerta caso o pneu estoure.

Ao dirigir o carro é perceptível que ele tem arrancada lenta, além disso a ligação entre o motor e câmbio não é das melhores. Isso ocorre porque a versão ainda é equipada com o antigo motor.

No uso urbano ele demonstrou um melhor desempenho,a marca de consumo é de 7,6km/l abastecido com etanol. Uma média considerada aceitável, ou seja, mesmo com motor antigo ainda mostra seu valor.

O modelo da Jeep não fica atrás de seus carros que são seus principais concorrentes.O Renegade tem um pacote de opcionais completo com os seguintes itens:

  • sensor crepuscular;

  • faróis em LED;

  • multimídia;

  • partida por botão;

  • freio de estacionamento

Pelo preço ele traz itens interessantes e só fica devendo um teto solar, coisa que concorrentes possuem..

O espaço interno para os passageiros também é elogiado. O carro é fundo e oferece conforto para as pernas, os seus assentos são mais largos se adaptando melhor ao corpo humano. De maneira geral as reclamações são da falta porta malas adequado e um motor melhor.

Em resumo, mesmo com as mudanças, o Renegade 2020 está com o mesmo aspecto de sempre. A dianteira possui faróis com iluminação em full LED e grade com sete fendas.

A lataria,não possui muitos dobras marcantes. Já a traseira tem as lanternas quadradas que lembram galões de combustível americanos, agora em LE, o que dá um destaque no automóvel. Em seu interior, o modelo se parece com seu “irmão” o Compass e também com o Fiat Toro.

Câmara de Raposa realiza sessão virtual e aprova matérias do Executivo e da própria Casa

Em mais uma sessão remota por  videoconferência, realizada nesta quarta-feira (03), a Câmara Municipal de Raposa, sob a presidência do vereador Beka Rodrigues (PC do B), aprovou um pacote de matérias, sendo dois projetos encaminhados pela prefeita Talita Laci e quatro proposituras de autorias dos vereadores.

De autoria do Executivo, foram aprovados os Projetos de Lei 006/2020, que trata do Programa Plurianual, para o período 2018/2021 e a Lei Municipal 371/2019, que se refere da Lei Orçamentária Anual para o exercício de 2020, e o de número 007/2020, dispondo sobre abertura de crédito especial, para   ações de combate e de prevenção ao Covid-19.

De inspiração dos legisladores, a Câmara aprovou um requerimentos de autoria do vereador Wagner Fernandes, um do seu colega Magno e outro encaminhado pelo vereador Laurivan Uchoa. O requerimento de autoria de  Magno pede à prefeita da cidade, que adote ações no sentido de determinar a distribuição do kit de medicamentos de combate ao Covid-19.

Esse kit é composto basicamente por Hidroxcloroquina, Ivermetcina e Azitromocina. A justificativa se fundamenta na preocupação de combate e prevenção ao coronavírus e em função das necessidades da população carente de Raposa.

Já o vereador Laurivan Uchoa é autor do requerimento que solicita a recuperação da tubulação da ponte localizada no Cumbique. Por sua vez, o vereador Wagner Fernandes é autor de um pedido para  que o município estabeleça a concessão de transportes gratuito para pacientes de câncer que tenham de se deslocar para o Hospital Aldenora Bello, para serem submetidos a sessões de quimioterapia e de radioterapia.

Participaram da sessão os vereadores Beka Rodrigues, Maria Eliene, Enoque, Rosa do Araçagy, Voney, Josevaldo, Magno e Wagner.

Daniella Tema repudia carga horária abusiva imposta aos profissionais da saúde da rede privada 

A deputada estadual Daniella Tema, saiu em defesa dos profissionais da saúde do Maranhão, a respeito de diversas denúncias que tem recebido, sobre o aumento da jornada de trabalho abusiva de enfermeiros que trabalham na rede privada de hospitais, sem qualquer perspectiva de aumento nos vencimentos. Durante a sessão plenária por videoconferência realizada na última terça feira (02), a parlamentar fez um pronunciamento de repúdio e se posicionou em apoio aos profissionais.

“Eu repudio este tipo de prática na qual nossos enfermeiros estão sendo submetidos por alguns hospitais da rede privada. Este é um momento em que tais instituições deveriam valorizar todos os profissionais que estão trabalhando na linha de frente de combate e enfrentamento ao coronavírus, jamais explorando ou coagindo estes trabalhadores a aumentarem a sua carga horária de trabalho, sem sequer dar o direito legítimo deles, de melhorar os seus vencimentos”, denunciou a parlamentar.

As denúncias, relatadas à deputada estadual Daniella Tema, dizem respeito ao aumento da jornada de 12x60h (12 horas de trabalho por 60 horas de descanso) para 12x36h (12 horas de trabalho por 36 horas de descanso), o que na prática significa aumento de 50% no horário de trabalho.

Além disso, as denúncias envolvem também tentativa de coação dos profissionais, para que aceitem o aumento da jornada sem o aumento de remuneração e sem escolha: ou assinam ou correm o risco de serem demitidos.

“Jamais podemos aceitar este tipo de coação, me junto aos demais deputados da Assembleia Legislativa para que continuemos a apurar e investigar estas denúncias para que providências sejam tomadas, continuaremos a fiscalizar”, afirmou a deputada Daniella Tema.

Senadora esquece câmera ligada e aparece nua em conferência de vídeo

Uma senadora mexicana acabou nua durante uma conferência pela internet do seu partido com membros do Banco do México e alguns jornalistas. Martha Lucía Micher, de 66 anos, se esqueceu de desligar a câmera do computador e começou a trocar de roupa em plena reunião. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

A conferência, feita através da plataforma Zoom, foi realizada no último dia 29 de maio, mas veio a público agora, depois que um dos participantes, ainda não identificado, divulgou as imagens.

“Sou Malu Micher e não tenho vergonha de ter mostrado parte do meu corpo, da minha intimidade por acidente, porque é exatamente essa noção de que uma mulher é ‘apenas o seu corpo’ que permite e tem fomentado a objetificação das mulheres, algo contra o qual eu sempre lutei. Sou uma mulher com 66 anos de idade, amamentei quatro crianças, três das quais são hoje profissionais responsáveis e de excelência, pelo que muito me orgulho que tenha sido o meu corpo a nutri-los. Tenho lutado pela minha ideologia durante os últimos 40 anos e ocupei vários cargos públicos na defesa fervorosa do meu compromisso de defesa dos Direitos Humanos. Sou uma mulher que não tem vergonha do seu corpo: amo-o e cuido dele”, disse.

Corpos de vítimas do coronavírus são trocados em Codó

Descoberta de que os corpos foram trocados no município de Codó aconteceu quando o filho de José Martins desconfiou de erros na documentação de óbito.

Os corpos de dois idosos que faleceram com suspeita da Covid-19 foram trocados em Codó, a cerca de 300 km de São Luís. O caso aconteceu no último domingo (31) e relatado nesta terça-feira (2).

Os idosos se chamavam José Raimundo Barbosa e e José Martins Cardoso, que teriam que ser enterrados com caixão lacrado por conta do protocolo de enterros de pessoas que morrem com suspeita da Covid-19.

A descoberta de que os corpos foram trocados aconteceu quando o filho de José Martins desconfiou de erros na documentação de óbito e insistiu em ver o corpo do pai, constatando que se tratava de outra pessoa.

“Não era o corpo dele, era de outra pessoa. Foi uma bomba para nós porque a notícia que tínhamos era que ele tinha falecido”, afirmou o filho Jordano Oliveira.

O corpo de José Martins foi encontrado em outra região e precisou ser desenterrado, para depois ser novamente entregue à devida família.

“Um descaso muito grande com nossa família”, declarou Jordano.

Maranhão ultrapassa o número de mil mortes por coronavírus

O Maranhão passou da marca dos mil mortos por Covid-19 ao registrar 1.028 em boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgado na noite desta terça-feira (2). Os dados da secretaria mostram que o estado tem 38.174 casos confirmados e 12.741 curados da doença.

Dos casos novos confirmados nas últimas 24h, 161 são na Ilha de São Luís (São Luís, Raposa, paço do Lumiar e São José de Ribamar), 75 em Imperatriz e 1.313 em outros municípios.

Foram 31 óbitos confirmados neste boletim, sendo que São Luís voltou a liderar a lista com mais mortes em 24h. A capital aparece com sete mortes, seguida por Caxias (4), Pedreiras (2), Lago da Pedra (2), Presidente Sarney (2), Pindaré-Mirim, Santa Rita, Pinheiro, Governador Newton Bello, João Lisboa, Mirinzal, Olinda Nova, Zé Doca, Viana, Alcântara, Trizidela do Vale, Paço do Lumiar, Bacabal e Vargem Grande.

O estado tem 24.405 casos ativos, 1.126 casos suspeitos e 22.398 descartados. O boletim mostra ainda que dos 217 municípios maranhenses, 213 registraram casos.

Promotor José Lima morre engasgado em São José de Ribamar

O conhecido promotor público aposentado José Lima, o Zé Li,a. que foi vereador de São José de Ribamar, morreu hoje em um hospital daquela cidade, depois de passar mal quando estava almoçando. Ele, segundo informações de alguns vereadores da cidade do padroeiro do Maranhão, teria se engasgado com um osso e foi levado as pressas para o hospital, vindo a óbito.

Zé Lima, como era mais conhecido, foi formado em Direito em São Paulo e depois retornou para São José de Ribamar, cidade que virou sua bandeira de luta em favor dos mais necessitados e chegou a ser vereador por vários mandatos.

Excelente advogado, foi aprovado no concurso público para promotor, chegando a atual em diversas comarcas da Região do Munin. E depois de aposentado vinha atuando como advogado.

SINFA-MA fecha circuito antivírus

O Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Maranhão (SINFA-MA) concluiu a meta anti-coronavírus, distribuindo insumos protetivos aos servidores em atividade. A entrega contou com a atuação do voluntariado da instituição – diretores e servidores das unidades instaladas na capital e no interior.

“Foi a fórmula que encontramos para contribuir com a atuação da AGED (Agência Estadual de Defesa Agropecuária), garantindo a integridade física do corpo técnico e administrativo da autarquia. Tudo feito sob nosso financiamento”, justificou o presidente Diego do Amaral Sampaio, ao ser indagado sobre a motivação da iniciativa.

KIT – Cada kit contém: um frasco de 500ml de álcool gel, uma máscara N95, uma máscara de tecido, um dispenser e dois litros de sabão líquido. O material se destina aos servidores do Grupo A FA (Atividade de Fiscalização Agropecuária), quando em atividade funcional.

Um diretor da entidade esclareceu que “são estes servidores que estão na linha de frente das atividades-fim, submetidos aos riscos que a pandemia oferece”. A distribuição provocou intensa mobilização de servidores, com o intercâmbio entre as várias frentes de serviço. Todas foram atendidas.

Manifestações – A iniciativa da direção sindical mereceu elogios do público-alvo da Agência, empreendedores que têm suas atividades vinculadas ao funcionamento da autarquia. Entenderam que o sindicato enfrentou menos burocracia que se a medida fosse adotada dentro de parâmetros administrativos oficiais.

O final da ação coincidiu com o início da vacinação contra a febre aftosa, que começa no primeiro dia de junho, dentro da programação permanente da autarquia. O calendário foi alterado em função da pandemia que se abateu sobre o mundo desde fevereiro. “A defesa da sanidade física dos servidores no trabalho foi a prioridade.

Celso de Mello arquiva pedido de apreensão de celulares de Jair Bolsonaro e filho

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou nesta segunda-feira (1°) o pedido de partidos para que fossem apreendidos celulares do presidente Jair Bolsonaro e do filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

O procurador-geral da República, Augusto Aras, já havia se manifestado no STF contra a apreensão dos aparelhos. Aras entendeu que, como a investigação é competência do MPF, não cabe intervenção de terceiros no processo, como no caso de partidos e parlamentares.

Na decisão, o decano do STF fez questão de reafirmar a posição da Corte “neste singular momento em que o Brasil enfrenta gravíssimos desafios”.

“Torna-se essencial reafirmar, desde logo, neste singular momento em que o Brasil enfrenta gravíssimos desafios, que o Supremo Tribunal Federal, atento à sua alta responsabilidade institucional, não transigirá nem renunciará ao desempenho isento e impessoal da jurisdição, fazendo sempre prevalecer os valores fundantes da ordem democrática e prestando incondicional reverência ao primado da Constituição, ao império das leis e à superioridade político-jurídica das ideias que informam e que animam o espírito da República”, disse Celso de Mello.

Pedido e reação do governo

Os pedidos tinham sido feitos pelo PDT, PSB e PV e também eram direcionados ao ex-ministro Sérgio Moro; ao ex-diretor-geral da PF, Maurício Valeixo; e à deputada Carla Zambelli. A intenção era realizar novas diligências como desdobramentos da investigação sobre a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal (PF).

O ministro do STF tinha enviado os pedidos dos partidos à Procuradoria-Geral da República no último dia 22. A medida, que é praxe e está nas regras internas da Corte, provocou reação do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno.

Em nota, Heleno afirmou que uma eventual decisão favorável à apreensão dos celular do presidente poderia ter “consequências imprevisíveis” para a estabilidade nacional. A nota provocou reação de entidades da sociedade civil, parlamentares e juristas.

Nesta segunda, o ministro lembrou que a PGR se posicionou de forma contrária às medidas propostas pelos partidos. Como cabe ao MP solicitar investigações para, posteriormente, oferecer uma acusação formal na Justiça, sem a intenção dos procuradores em prosseguir nas diligências, cabe à Justiça arquivar o pedido.

“Fica evidente, assim, que o Poder Judiciário não dispõe de competência para ordenar, para induzir ou, até mesmo, para estimular o oferecimento de acusações penais pelo Ministério Público, pois tais providências, como as que se buscam nestes autos, importariam não só em clara ofensa a uma das mais expressivas funções institucionais do Ministério Público, a quem se conferiu, em sede de “persecutio criminis”, o monopólio constitucional do poder de acusar, sempre que se tratar de ilícitos perseguíveis mediante ação penal de iniciativa pública, mas, também, em vulneração explícita ao princípio acusatório”, concluiu o ministro.

A decisão

Na decisão, o ministro Celso de Mello mencionou que notícias divulgadas no dia em que encaminhou o pedido à PGR tratavam da possibilidade de o presidente não cumprir uma eventual decisão judicial que ordenasse a entrega do aparelho.

“Notícias divulgadas pelos meios de comunicação social revelaram que o Presidente da República ter-se-ia manifestado no sentido de não cumprir e de não se submeter a eventual ordem desta Corte Suprema que determinasse a apreensão cautelar do seu aparelho celular, muito embora sequer houvesse, naquele momento, qualquer decisão nesse sentido, mas simples despacho de encaminhamento dos autos da Pet 8.813/DF, de que sou Relator, ao eminente Senhor Procurador-Geral da República, que ostenta a condição de “dominus litis’”.

Mello afirmou que a “ameaça de desrespeito” a uma eventual decisão judicial seria “inadmissível”. “Tal insólita ameaça de desrespeito a eventual ordem judicial emanada de autoridade judiciária competente, de todo inadmissível na perspectiva do princípio constitucional da separação de poderes, se efetivamente cumprida, configuraria gravíssimo comportamento transgressor, por parte do Presidente da República, da autoridade e da supremacia da Constituição Federal”.

O ministro assegurou que cabe ao STF garantir, neste momento, a intangibilidade da Constituição. “Esta Suprema Corte possui a exata percepção do presente momento histórico que vivemos e tem consciência plena de que lhe cabe preservar a intangibilidade da Constituição que nos governa a todos, sendo o garante de sua integridade, de seus princípios e dos valores nela consagrados, impedindo, desse modo, em defesa de sua supremacia, que gestos, atitudes ou comportamentos, não importando de onde emanem ou provenham, culminem por deformar a autoridade e degradar o alto significado de que se reveste a Lei Fundamental da República”, ressaltou.

O ministro afirmou que o Poder Judiciário, quando atua na execução de suas atribuições, não fere a separação de Poderes. Ele salientou ainda que nenhum dos Poderes da República pode “submeter a Constituição a seus próprios desígnios”. “Torna-se vital ao processo democrático reconhecer que nenhum dos Poderes da República pode submeter a Constituição a seus próprios desígnios, eis que a relação de qualquer dos Três Poderes com a Constituição há de ser, necessariamente, uma relação de incondicional respeito ao texto da Lei Fundamental, sob pena de inaceitável subversão da autoridade e do alto significado do Estado Democrático de Direito ferido em sua essência pela prática autoritária do poder”.

O decano disse ainda que, na democracia, não há espaço para voluntário e arbitrário desrespeito a decisões judiciais. “No Estado Democrático de direito, por isso mesmo, não há espaço para o voluntário e arbitrário desrespeito ao cumprimento das decisões judiciais, pois a recusa de aceitar o comando emergente dos atos sentenciais, sem justa razão, fere o próprio núcleo conformador e legitimador da separação de poderes, que traduz postulado essencial inerente à organização do Estado no plano de nosso sistema constitucional, dogma fundamental esse que alguns insistem em ignorar”.

Celso de Mello lembrou ainda que é tão grave o descumprimento de decisões judiciais que a atitude caracteriza crime de responsabilidade. “É tão grave a inexecução de decisão judicial por qualquer dos Poderes da República (ou por qualquer cidadão) que, tratando-se do Chefe de Estado, essa conduta presidencial configura crime de responsabilidade, segundo prescreve o art. 85, inciso VII, de nossa Carta Política, que define, como tal, o ato do Chefe do Poder Executivo da União que atentar contra ‘o cumprimento das leis e das decisões judiciais’”.

O ministro lembrou casos em que presidentes descumpriram decisões judiciais, nos primeiros anos da República. “E tal rememoração se faz necessária para que jamais se repitam comportamentos inconstitucionais de anteriores Presidentes da República, que ousaram descumprir decisões emanadas desta Corte Suprema”, argumentou.