Empresário é assassinado após ser levado por policiais militares em Bacabal

Por G1 MA — São Luís

Marcos Santos foi achado morto um dia depois

Foi encontrado nesta terça-feira (2), o corpo do comerciante Marcos Santos, que estava desaparecido desde segunda (1º), após ser colocado à força dentro de um carro na cidade de Bacabal, a 347 km de São Luís.

O corpo de Marcos Santos foi achado por familiares no povoado Fazenda Cancelar, em São Luís Gonzaga do Maranhão, com marcas de tiro e sinais de violência. Segundo as investigações, os homens que colocaram o comerciante no carro são policiais militares do 15º BPM que estavam trabalhando sem fardamento, os chamados ‘velados’.

Três policiais são suspeitos do crime. Em depoimento, afirmam que estavam trabalhando em uma investigação sobre um caso de roubo de carneiros. Disseram ainda que houve troca de tiros com o comerciante, o que ainda é investigado.

Em um vídeo, o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, disse que os responsáveis serão responsabilizados.

“Não se combate o crime praticando crime. O combate ao crime há de ser de modo legal e legítimo. Não se combate o crime com o uso desregrado da força. Deve prevalecer a força da Lei contra a força do crime. Os envolvidos serão responsabilizados”, disse Portela.

Nesta terça (2), equipes de São Luís foram levadas até Bacabal para investigar o caso. Dentre eles, o delegado Jeffrey Furtado, que também foi destacado para investigar o caso envolvendo o assassinato do auxiliar da perícia médica da Polícia Civil, Salomão Matos dos Santos. Ele também teria sido morto por policiais militares descaracterizados.

Casos se repetem

Nesta segunda (1º), dois policiais militares, que não tiveram o nome revelado, se apresentaram na Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa, em São Luís, e passaram horas prestando depoimento.

Eles confessaram que foram os autores do homicídio do auxiliar da perícia médica da Polícia Civil, Salomão Matos dos Santos, na madrugada da última quinta-feira (28).

 

Salomão Matos dos Santos, de 32 anos, foi morto a tiros em São José de Ribamar (MA) — Foto: Divulgação/PM-MA

Segundo testemunhas, Salomão estava dentro de um veículo-lotação e foi perseguido por um carro descaracterizado. Com medo de ser um assalto, o auxiliar de polícia civil procurou abrigo dentro da Unidade de Pronto-Atendimento do Parque Vitória, mas acabou morto a tiros no estacionamento do local. Ao menos cinco tiros foram ouvidos por moradores.

A defesa dos policiais militares alegam que estavam em uma operação, que visava prender um dos autores da morte do Tenente-Coronel Ronilson, ocorrido horas antes. Em nota, a defesa dos PMs disse ainda que houve legítima defesa, já que um deles foi atingido com um disparo. No entanto, essa versão ainda é investigada pela Polícia Civil, que apura se Salomão foi morto por engano ou não.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.