Recados para ela

E-mail pra Dona Bibi

 

Ei, Bibi, muito bom dia, minha preta! Vamos acordar cedo, gatinha, que hoje tem muita notícia. Estamos com fartura. A maré tá pra peixe. Começo hoje, Bibi, questionando ações de representantes dos três chamados poderes constituídos. Judiciário, Legislativo e Executivo. Parece até brincadeira como eles agem. Se fossem pessoas normais, estariam encarceradas.

Vamos logo aqui no Judiciário. Recentemente, o ministro Edson Fachin, deferiu, de maneira monocrática, pedido para que a delação do ex-governador Sérgio Cabral, do Rio de Janeiro, fosse acatada. Parece normal, não é? Mas não é não.

O problema é que na delação do Cabral, ele diz que o ministro Dias Tofolli, (aquele que nunca conseguiu passar num concurso para juiz), havia recebido R$ 4 milhões de propina de dois prefeitos do Rio de Janeiro, para livrá-los de encrencas por roubalheira.

Foi um deus-nos-acuda no STF. Não demorou muito e o respeitado Pleno daquele Poder derrubou a decisão do Fachin. Ora bolas… Se o cidadão é inocente, que diga depois e mostre prova de sua inocência. Aí, nós, zé povinho, ficaremos é cada vez mais com pulga atrás da orelha com esses magistrados, né não?

Agora vamos ao Legislativo. Até os postes sabem, no Brasil inteiro, que o senador Renan Calheiros é um dos parlamentares mais desonestos desse país. Está pendurado no STF com algo em torno de 17 processor, que vão de improbidade a formação de quadrilha.

E aí, Bibi, escolhem exatamente o dito cujo para ser  o inquiridor na CPI do Covid. Ora, me comprem um bode, como diria o saudoso Renato Sousa. É como se botassem o macaco para presidir o inquérito pelo desaparecimento de bananas na  floresta.

Agora, o Executivo não fica atrás. Ministros e auxiliares são acusados de muitas irregularidades, como é o caso do titular da pasta do Meio Ambiente, o Ricardo Salles, envolvido em supostos crimes de contrabando de madeiras. Te pergunto, morena: O que fazer quando se tem no topo do poder pessoas que agem deste forma? Só no Brasil.

Vamos agora às mais interessantes desse Maranhão de Meus Deus.

*

Parangolé daqueles envolvendo o ex-prefeito de Apicum-Açu, lá pertinho da gente, Bibi, em Cururupu, o Cláudio Cunha e seus filhos, que construíram postos de gasolina em São Luís e na região.

*

Foi uma operação do Gaeco, que junta policiais civis, militares e integrantes do Ministério Público. Interessante é que Rodolfo Romero Ferreira Oliveira, filho adotivo do Cláudio Cunha, que tem contracheque de apenas R$ 6 mil, conseguiu a proeza de construir postos de gasolina em Cururupu, Bacuri e São Luís.

*

Ai, vou botar a culpa na Justiça. Em 2016, quando o pai era prefeito, ele foi preso em Cururupu com uma carga de cigarro resultado de contrabando. Eram dois caminhões. Ele foi preso e dia depois, um desembargador deve ter ido com a cara dele e o liberou.

*

O processo deve estar ficando cada dia mais empoeirado na gaveta do gabinete de um magistrado amigo, enquanto o filho do prefeito volta a ser pilhado em irregularidade. Paralelamente, em Pedrinhas, tem neguinho cumprindo pena braba, pelo furto de besteiras.

*

Ah, Bibi, a cada dia fica mais empolgante as prévias da sucessão governamental, que ocorrerão em 2022. As emoções ficam por conta dos blogueiros. Já se sabe de que lado fica a maioria deles.

*

Isso porque de vez em quando neguinho solta uma bomba contra  o senador Weverton Rocha. Agora, requentaram uma matéria sobre um pedido da Procuradoria Geral Eleitoral, pedindo investigação da Justiça Federal, por conta de irregularidades na utilização do fundo eleitoral por parte do senador.

*

Mas já começa a surgir informações dando conta de que ele e o seu sócio, o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), o Erlânio Xavier, poderão ser convidados a depor na CPI dos Combustíveis, em andamento na Assembleia Legislativa.

*

Isso porque os dois compraram recentemente alguns postos de combustíveis em São Luís, que era de propriedade do maior agiota vivo que se conhece no Maranhão, o famoso Pacovan, que já esteve presos pela prática de vários delitos.

*

Contra Brandão, tem blogueiro afirmando que ele estaria financiando outros colegas para espinafrar o senador pedetista. Weverton também vem sendo visto como o provável autor intelectual daquela história de se convocar o ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior para depor na CPI do Covid, que está acontecendo no Senado.

*

Podem ser ilações ou não. Mas  a leitura do termômetro político indica  que  haverá raios e trovoadas e muita tempestade até as eleições. Pelo que tenho visto, cidadã, o Maranhão é o Estado onde toda eleição começa muito antes do tempo em todo o Brasil.

*

Nem bem terminaram as eleições e posse de vereadores e prefeitos e a rapaziada já está é fazendo prognóstico para governador, senador e deputado federal. Cruz credo!

*

Saiu uma lista de pré-candidatos a deputado federal pelo PT do Maranhão. Provocou o maior auê na cidade. Só tu vendo a confusão, minha morena.

*

O samba está de luto, cidadã. Faleceu um dos maiores sambistas de todos os tempos, o Nelson Sargento, da Turma de Mangueira do Rio de Janeiro. Tive o prazer de conhece-lo na década de 1990, quando estive na Cidade Maravilhosa e não poderia deixar de ir numa roda de samba. Foi justamente na Mangueira.

*

Por aqui, a Covid continua pregando muitas peças. Meu amigo Gilson Araújo, de grandes momentos nas rádios Educadora e Capital, está internado por conta desse maldito vírus.

Essa pandemia está acabando é com a nossa cultura popular. Não tivemos Carnaval e o governador Flávio Dino já descartou a possibilidade da realização do São João. Sinal dos tempos, mas a pandemia está processando mudanças drásticas em todos os setores.

*

 

 

Bem, minha fofa, com essa o teu pretinho vai ficando por aqui, garantindo retorno na próxima semana, se Deus quiser. E ele quer, porque sempre foi bacana com esse teu pimpolho.

Beijão de quem continuará te amando para sempre.

Djalma

N.E. Bibi é Benedita Rodrigues, mãe desse editor. Ela faleceu no dia 8 de dezembro de 1965, aos 28 anos de idade, na Santa Casa de Misericórdia.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.