PROS fecha apoio ao vice-governador Carlos Brandão


Em reunião com o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) nesta quinta-feira (07), uma comitiva do PROS confirmou apoio à futura candidatura do tucano no próximo ano, que assume o comando do Governo do Estado em abril, com a anunciada desincompatibilização do governador Flávio Dino (PSB) para concorrer à vaga de senador da República

Participaram do encontro com Brandão o vereador Chico Carvalho, presidente da Comissão Provisória, e os pré-candidatos a deputado federal e estadual, Cristovam Dervalmar e Márcio Coutinho, respectivamente.

acordo para o apoio do PROS em prol do vice-governador teve a anuência da direção nacional do partido.

Temos recebido diariamente apoios políticos que só fortalecem o projeto. E a chegada definitiva do PROS é mais um reforço na nossa caminhada“, comentou Brandão.

Morre Dona Concita do Boi Brilho da Terra

 

A cultura popular do Maranhão está de luto. Faleceu nesta manhã, no Hospital do Servidor, a folclorista Concita Ribeiro, conhecida nos círculos da cultura como Concita Bola de Fogo, fundadora e proprietária do Boi Brilho da Terra, da Cohab. Ela estava apresentando sinais de debilidade de saúde há algum tempo. O velório acontecerá em sua residência, no IV Conjunto da Cohab e o sepultamento acontecerá amanhã.

Polícia Federal investiga Josimar Maranhãozinho por venda de emenda

A Polícia Federal investiga pelo menos três deputados e um senador sob suspeita de participarem de um esquema de “venda” de emendas parlamentares no Congresso. Um deles é o deputado Josimar Maranhãozinho (PL-MA), que já foi alvo de operação no fim do ano passado por desvios de dinheiro público em contratos da área da saúde firmados entre prefeituras e empresas do próprio deputado. Os nomes dos demais investigados ainda estão sob sigilo.

Como o Estadão mostrou na quarta-feira, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, admitiu, em audiência na Câmara, “não ter dúvida” de que há corrupção envolvendo recursos federais indicados por parlamentares via emendas. Ao ser questionado sobre o orçamento secreto, esquema montado pelo governo de Jair Bolsonaro para aumentar sua base eleitoral no Congresso, Rosário afirmou que sua pasta e a PF investigam a venda de emendas e que, em breve, deve haver novidades.

Há pelo menos dois inquéritos sigilosos abertos no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar o esquema, batizado de “feirão das emendas” por deputados e assessores. A suspeita é de que parlamentares cobram comissão para indicar recursos do Orçamento a uma determinada prefeitura. O dinheiro seria pago por empresas interessadas nas obras e serviços ou pelo próprio agente público.

Bloqueio

Ao autorizar a investigação, o ministro-relator no Supremo, Ricardo Lewandowski, determinou o bloqueio de mais de R$ 6 milhões em patrimônio do parlamentar. Anteontem, Maranhãozinho também foi alvo de operação da Polícia Civil e do Ministério Público maranhense que investiga suspeita de fraude em licitações R$ 160 milhões envolvendo uma de suas empresas.

Como desdobramento da Operação Descalabro, um novo inquérito foi aberto, em maio. Desta vez, além de Maranhãozinho, mais dois deputados e um senador são alvo. Procurado ontem pela reportagem, Maranhãozinho não se manifestou sobre o assunto.

Em uma das investigações, a PF encontrou papéis com nomes de parlamentares e menções a possíveis pagamentos de propina pela destinação de emendas parlamentares. O caso teve origem em denúncia feita pelo ex-prefeito de São José de Ribamar (MA), Eudes Sampaio, que se disse ameaçado por agiotas que buscavam obter porcentuais de recursos transferidos para a prefeitura.

Versão

A menção do ministro da CGU a investigações sobre vendas de emendas representou uma mudança de postura do governo em relação a irregularidades envolvendo a destinação de recursos via orçamento secreto, caso revelado pelo Estadão em maio. Se, no início, o discurso de ministros e do presidente Jair Bolsonaro era de que não havia nada de errado, agora o próprio chefe da CGU admite falta de transparência sobre os parlamentares por trás das indicações, mas joga a responsabilidade para o Congresso.

Chamado de “tratoraço” por envolver a compra de tratores, o esquema do orçamento secreto tem ajudado Bolsonaro a manter uma base fiel no Congresso e, com isso, escapar de processos de impeachment. Bilhões de reais foram distribuídos para um grupo de deputados e senadores que determinaram o que fazer com o dinheiro sem qualquer critério técnico ou transparência.

O esquema funciona com um conluio entre governo e parlamentares. O Palácio do Planalto escolhe para quem vai liberar dinheiro do orçamento secreto e aceita que o parlamentar indique o valor e o que deve ser feito com o montante, incluindo a cidade que irá receber. Em troca, o deputado ou senador favorecido apoia o governo no Congresso.

Segundo o Estadão apurou com integrantes do governo, a estratégia de ministros de tentar “terceirizar” a responsabilidade nos casos de irregularidade no orçamento secreto começou a ser traçada ainda em maio. Após as reportagens do Estadão, o ministro Rogério Marinho teve de se explicar a Bolsonaro. Em uma conversa, disse que, se houvesse qualquer problema, seria “na ponta”, ou seja, na execução de emendas por prefeitos, em conchavo com os parlamentares.

Um exemplo dessa mudança de discurso foi dado por Rosário na audiência da Câmara de anteontem. Ao tratar da falta de critérios dos ministérios para liberação de recursos, o ministros disse que “hoje o governo está seguindo o que o relator (do Orçamento no Congresso) indica”. E admitiu não saber quem são os parlamentares responsáveis por indicar recursos via emenda de relator-geral, que compõe o orçamento secreto. “Se o Parlamento não me informar quem está beneficiado, eu não sei”, disse o ministro.

Em setembro, Bolsonaro também adaptou o discurso. Após passar meses repetindo não haver corrupção no governo, disse que, se houver algum caso, a culpa não é dele. “Eliminou-se a corrupção? Obviamente que não. Podem acontecer problemas em alguns ministérios? Podem, mas não será da vontade nossa”, disse ele em evento da Caixa que marcou os mil dias de mandato.

Do Estadão

Estado antecipa feriado do Dia do Professor  para segunda-feira

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que, por determinação do governador do Maranhão, Flávio Dino, o feriado do Dia dos Professores, comemorado no dia 15 de outubro, foi antecipado, na rede estadual, para a próxima segunda-feira (11).

A antecipação ocorre para acompanhar o feriado nacional do Dia de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças, celebrados na terça-feira (12).

O Dia dos Professores foi instituído em Decreto Federal nº 52.682, de 14 de outubro de 1963

 

Felipe Camarão enviará Carta ao PT e afirma que é pré-candidato ao Governo

Durante entrevista na manhã desta quinta-feira (7), o secretário de estado da educação, Felipe Camarão (PT), afirmou ao jornalista Clóvis Cabalau, no qudro Bastidores, na TV Mirante, que enviará ainda hoje, uma Carta aos dirigentes do Partido dos Trabalhadores – PT, em que se lançará como pré-candidato ao governo do Maranhão pela sigla.

Esta foi a primeira vez que Camarão se declarou e afirmou sua vontade em disputar eleição ao governo do estado no ano que vem.

Em tempo: a decisão de Felipe Camarão veio logo após a mais recente pesquisa eleitoral lançada no último sábado (2), em O Estado do Maranhão.

E mais: na Pesquisa, mesmo sem dizer que é candidato, Camarão apareceu com 2% de intenção de votos.

Pra fechar: é mais um nome que surge para a disputa do ano que vem.

Identificado o empresário encontrado carbonizado dentro de carro em Paço do Lumiar

No fim da noite de terça-feira (5), o corpo do empresário Wanderlei Brancher, de 54 anos, foi encontrado carbonizado, dentro do próprio carro, no bairro do Cumbique, em Paço do Lumiar. Ele foi localizado por policiais do Corpo de Bombeiros, após uma ligação via 190, relatando sobre uma Hilux SW4 pegando fogo na localidade. Ao chegarem ao endereço indicado, em uma estrada vicinal, próximo ao cemitério, os bombeiros identificaram que havia uma pessoa no banco de trás do automóvel e acionaram a equipe da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).  O delegado George Marques, titular da SHPP, explicou que a polícia conseguiu chegar até a identidade da vítima por meio do veículo

 

 

O Estado do Maranhão anuncia saída de circulação após 62 anos

A direção do Jornal O Estado do Maranhão anunciou nesta tarde, através de comunicado, o fim do formato impresso do matutino pertencente à família Sarney e que, há 62 anos, circulava em São Luís e outros municípios.

“A partir deste mês de outubro, o Jornal O Estado do Maranhão encerra suas atividades no formato impresso, seguindo um fluxo natural de transformação adotado por outros jornais ao redor do mundo”, diz a nota.

O conteúdo do Jornal, de acordo com o comunicado, será agregado ao noticiário do Portal imirante.com, fortalecendo áreas como política, economia, cidades, cultura e colunismo social, com reportagens, programas exclusivos e podcasts.

Daniella Tema condena violência política contra vereadora de Pedreiras e lamenta veto presidencial à distribuição de absorventes

Em pronunciamento durante sessão plenária, nesta quinta-feira (07), a deputada estadual Daniella Tema (DEM), mais uma vez, condenou o ato de violência política cometido contra a vereadora de Pedreiras, Katyane Leite (PTB), ocorrido no plenário da Câmara Municipal, onde foi impedida de falar pelo vereador Emanuel Nascimento (PL), que, deliberadamente, levantou-se e recolheu o microfone usado pela parlamentar para que ela não se manifestasse na sessão.

O comportamento hostil de Nascimento foi gravado e repercutiu em todo Maranhão, provocando repúdio de grande parte da classe política maranhense e da população.

“Primeiramente, manifesto minha solidariedade à vereadora Katyane Leite, que foi uma vítima pública da violência política. Comunico a todos que, após o ocorrido, como Procuradora da Mulher, entrei em contato imediatamente com a parlamentar municipal, para nos colocar à disposição na prestação de assistência. Além disso, fizemos uma Moção de Repúdio, que já foi encaminhada à Assembleia Legislativa”, afirmou a deputada.

Daniella disse também que está buscando amparo legal, junto ao Ministério Público do Maranhão, para que as medidas cabíveis sejam tomadas no sentido de fortalecer o combate a esse tipo de comportamento nas Casas Legislativas.

“Estamos buscando diálogo com o Procurador Geral de Justiça, Dr. Eduardo Nicolau, porque o Ministério Público precisa se manifestar diante do ocorrido, até porque essa não é uma ação de iniciativa privada, mas de iniciativa pública. Nós não compactuamos com esse tipo de comportamento e faremos tudo que estiver ao nosso alcance para que a mulher continue a ter voz, principalmente nesse cenário político”, frisou Tema.

A deputada prosseguiu seu discurso, relembrando o ataque machista e a violência política da qual foi vítima recentemente durante o cumprimento de agenda no município de Tuntum ao lado do governador Flávio Dino, que repreendeu a atitude dos que tentaram impedir a fala da parlamentar.

“Alguns dias atrás, eu – como deputada, passei por um episódio semelhante. Tive minha fala ceifada, através de um ato covarde na cidade de Tuntum. Portanto, ver uma vereadora dentro da própria Câmara Municipal ter sua fala também ceifada pelo vereador que covardemente fez isso, só nos mostra que nós precisamos de punições mais severas, de leis mais duras e que nós precisamos, de fato, nos unir. Ninguém vai calar a nossa voz. Conquistamos nossos direitos através de muita luta e, agora, não podemos deixar um homem calar a voz de uma mulher”, reforçou.

VETO PRESIDENCIAL

Daniella Tema ainda lamentou o veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao 1º artigo do Projeto de Lei 4969/19, que trata sobre o Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual. O parágrafo previa a distribuição de absorventes femininos gratuitos com o objetivo de combater a precariedade menstrual no país. O PL foi proposto pela deputada federal Marília Arraes (PT-PE) e mais 34 parlamentares e havia sido aprovado pelos plenários da Câmara e do Senado.

“Outra coisa muito triste que ocorreu hoje, foi o veto do presidente Bolsonaro a respeito dos absorventes. A gente sabe que a pobreza menstrual é um problema no Brasil e precisa ser combatido. Infelizmente, tivemos esse retrocesso. E fatos como esses que eu trouxe hoje para esta sessão muito nos entristecem”, finalizou.

Ana Paula realiza ação social para crianças no Residencial Coqueiro em Pinheiro

 

A vice-prefeita de Pinheiro e presidente do Grupo de Esposas de Deputados do Estado do Maranhão (Gedema), Ana Paula Lobato, proporcionou, nessa terça-feira (5), um momento especial para as crianças no Residencial Coqueiro, na Vila Filuca, com muitas brincadeiras, cachorro-quente, pipoca, algodão doce e distribuição de 600 brinquedos.

“O Dia das Crianças está se aproximando e não poderíamos deixar essa data especial passar em branco. Preparamos esse momento com muito carinho e a recompensa é ver os olhos brilhando e o sorriso no rosto de cada um”, destacou a vice-prefeita.

 

A ação contou, ainda, com a presença do secretário municipal de Comunicação e liderança da comunidade, Wellington Sérgio. Ele agradeceu a parceria. “ Estou muito feliz por ter recebido esse convite para, juntos, fazermos a alegria da criançada”, enfatizou.

 

O vereador Léo Lobato participou e, também, em tom de agradecimento, enfatizou o apoio da vice-prefeita. “Ana Paula está sempre presente e atenta para trazer algo para o nosso povo em qualquer área”, disse

Josimar de Maranhãozinho é alvo de operação do Gaeco pelo desvio de R$ 159 milhões de reais

O Grupo de Atuação Especial no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão realiza, na manhã desta quarta-feira, 6, a Operação Maranhão Nostrum, com apoio da Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), Centro Tático Aéreo (CTA) e diversas outras unidades.

Mais de sessenta mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca da Grande Ilha de São Luís, estão sendo cumpridos em 13 municípios do Maranhão (São Luís, Maranhãozinho, Zé Doca, Araguanã, Carutapera, Centro do Guilherme, Pedro do Rosário, Pinheiro, Santa Inês, Miranda do Norte, Presidente Médici, São José de Ribamar, Parnarama) e na cidade de Várzea Alegre, no estado do Ceará.

Participam da operação 54 equipes da Polícia Civil, além de promotores de justiça e servidores do Gaeco integrantes dos núcleos de São Luís, Imperatriz e Timon, bem como promotores de justiça das Comarcas de Maracaçumé, Zé Doca, Santa Inês e Guimarães, além de servidores públicos.

INVESTIGAÇÃO

A Operação Maranhão Nostrum é resultado do Procedimento Investigatório Criminal nº º 011660-750/2018, instaurado no âmbito do GAECO em 2018, para apurar possíveis fraudes em processos licitatórios para contratação da empresa Águia Farma Distribuidora de Medicamentos Ltda nos municípios maranhenses de Araguanã, Carutapera, Centro do Guilherme, Maranhãozinho, Pedro do Rosário e Zé Doca entre os anos de 2014 a 2018, período no qual foi movimentado o montante de R$ 159.745.884,37 originado de contratos administrativos pactuados entre as empresas investigadas e os Municípios relacionados.

Compôs o quadro societário da empresa Águia Farma Distribuidora de Medicamentos Ltda os investigados Josimar Cunha Rodrigues, mais conhecido como Josimar de Maranhãozinho, atualmente deputado federal e Irismar Cunha Rodrigues. Eles também são sócios de outra empresa, Construtora Madry que, embora não tenha contratado com nenhum Município, recebeu valores de outras empresas vencedoras de certames licitatórios.

ORIGEM DO NOME: A Operação Maranhão Nostrum recebeu esse nome em alusão ao “Mare Nostrum”, termo latino que significa “O Nosso Mar”, dado ao Mar Mediterrâneo pelos romanos, após a conquista de extensões territoriais que os tornavam dominadores da província romana da Hispânia até a do Egito. No presente contexto, a tendência de dominação e poder em diversos municípios mostrou uma organização criminosa com controle da máquina pública para malversação de recursos e práticas ilegais que beneficiam ao mesmo grupo político.