Polícia Civil do Maranhão é devastada pelo coronavírus, com mais de 1,2 mil afastamentos e mortes

Desde o início da pandemia, 1.292 policiais foram afastados e 13 morreram em decorrência da Covid-19 no Maranhão. O número corresponde a 9,84% do total do efetivo de policiais militares e civis do estado, que chega a 13.135.

Os dados fazem parte de um levantamento exclusivo divulgado nesta sexta-feira (23), pelo G1, dentro do Monitor da Violência, uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

No último ano, nove oficiais da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) morreram por Covid-19. Outros 805 foram afastados devido a compilações causadas pela doença.

Somente 7,33% do efetivo total de PMs do estado, que chega a 10.987, foram afastados dos seus postos de trabalho. Com isso, o Maranhão foi o quinto estado que menos afastou policiais militares durante a pandemia, atrás do Amapá(3,78%), Rio Grande do Norte (4,56%), Pernambuco (5,56%) e Amazonas (7,42%).

Polícia Civil

Entretanto, a taxa de policiais civis afastados no Maranhão é a sexta maior do país. Desde o início da pandemia, 487 profissionais tiveram que sair temporariamente dos seus postos por conta da Covid-19.

O número corresponde a 22,67% do efetivo total da corporação no estado, que chega a 2.148. O Maranhão só perde para Santa Catarina (47,75%), Distrito Federal (40,83%), Sergipe (27,86%), Bahia (26,50%) e Mato Grosso (25,48%).

Ao todo, quatro policiais civis morreram em decorrência de complicações da Covid-19 no estado. Dentre eles, o delegado Diogo Antônio Cabral Melo, de 40 anos. Ele era natural de Belo Horizonte, mas atuava como delegado de polícia no Maranhão desde 2014.

Mais de 400 morte no Brasil

O levantamento do G1 aponta que, no Brasil, houve o registro de 465 policiais mortos em decorrência da Covid-19. Isso é mais que o dobro dos que foram assassinados nas ruas em 2020, que foi 198 policiais.

A doença também tem afetado diretamente a rotina nas corporações. Um em cada quatro policiais brasileiros foi afastado das atividades em algum momento durante a pandemia por apresentar sintomas, fazer parte de algum grupo de risco ou ter de fato contraído o novo coronavírus.

Os números revelam que:

465 policiais civis e militares da ativa morreram vítimas da Covid-19 em 2020, mais que o dobro do número de agentes assassinados no país (198)

Rio de Janeiro (65), Amazonas (50) e Pará (49) foram os estados com mais policiais mortos

126.154 policiais foram afastados da função em algum momento, o que representa 25% do total do efetivo no país

Tocantins foi o estado com o maior percentual de afastamentos pela doença: 38% do total

Todas as unidades da federação tiveram ao menos um policial morto pela doença no ano passado.

Esse número hoje é certamente maior, já que não são levados em conta no dado os primeiros meses deste ano, quando a Covid-19 atingiu seu pico.

O levantamento foi feito com base nas informações coletadas nas assessorias de imprensa das corporações e por meio da Lei de Acesso à Informação.

Para Bruno Paes Manso, do Núcleo de Estudos da Violência da USP, e Samira Bueno e Renato Sérgio de Lima, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os números revelam o cenário de tragédia e medo que a gestão da pandemia ajudou a construir no Brasil.

“Gestão essa que parecia ignorar até menos de um mês atrás que uma quantidade significativa de profissionais de segurança pública trabalha em contato direto com a população e está em constante risco de contaminação e, ainda, de transmitir o vírus para seus familiares e amigos”, afirmam.

 

“Foi somente no fim de março que tais profissionais ganharam o direito de serem vacinados. Até então, fora da lista inicial dos grupos prioritários para a vacinação do Programa Nacional de Imunização (PNI), os policiais têm tido um papel central na gestão da crise sanitária, especialmente na garantia de medidas de distanciamento social e proteção de equipamentos de saúde pública.”

Transparência

O levantamento do G1 durou mais de dois meses para ser concluído. Os dados foram solicitados via Lei de Acesso à Informação e também foram pedidos às assessorias de imprensa das secretarias da Segurança e das corporações, quando necessário.

Além da demora e da falta de padronização nas respostas, dois estados não enviaram as informações completas.

O Paraná não forneceu o número de policiais afastados (tanto civis quanto militares). A SSP diz que não informa os dados “por questões de segurança e também por se tratarem de dados de saúde dos integrantes”.

A Polícia Civil de Minas Gerais não repassou nenhum dado, alegando “questões estratégicas de segurança”. “O quantitativo de servidores afastados por apresentarem sintomas gripais e/ou respiratórios, bem como que tiveram confirmação da Covid-19, é ínfimo e não compromete a prestação de serviço pela instituição.”

Apesar da falta de transparência de alguns estados, outros adotaram, inclusive, portais com um raio X completo da doença. Santa Catarina, por exemplo, enviou não só os dados pedidos como informações sobre casos suspeitos, casos confirmados, casos recuperados e casos em monitoramento.

Monitor da Violência

Nesta quinta-feira (22), o Monitor da Violência mostrou que o número de policiais mortos aumentou 10% na comparação de 2019 com 2020 (passou de 180 para 198). Isso significa que um policial é assassinado a cada dois dias. O Piauí foi o estado com a maior taxa de policiais mortos (1 a cada mil policiais). Acre, Paraná, Rio Grande do Sul e Tocantins não tiveram mortes de policiais em 2020.

 

Por outro lado, houve uma ligeira queda de 3% nos dados de pessoas mortas pela polícia (de 5.829 em 2019 para 5.660 em 2020). Essa redução se deve, principalmente, pelo Rio de Janeiro, que registrou 575 mortes a menos. Uma decisão do STF suspendeu as operações policiais no estado do RJ durante a pandemia e foi crucial para essa queda.

Em 2020, 17 estados apresentaram alta nas mortes pela polícia. Os números são preocupantes: 16 pessoas são mortas pela polícia no país a cada dia.

O Amapá aparece como o estado com a maior taxa de letalidade policial em 2020: 12,8 por 100 mil habitantes. Já a taxa nacional foi de 2,7 por 100 mil. Distrito Federal teve a menor taxa: 0,4 a cada 100 mil.

 

Othelino entrega equipagens a times de futebol amador de Pinheiro

Othelino Neto e Ana Paula entregam equipagens esportivas à representante de time de futebol feminino de Pinheiro

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), entregou, na quarta-feira (21) e nesta quinta-feira (22), equipagens completas aos representantes dos times de futebol amador dos municípios de Presidente Sarney e Pinheiro. Os kits esportivos foram adquiridos por meio de emenda parlamentar de sua autoria, no valor de R$ 200 mil.

“Iniciamos a entrega dos fardamentos esportivos por Presidente Sarney e Pinheiro, mas muitos outros municípios serão contemplados também. Essa é a nossa forma de estimular a prática de atividades esportivas, que é tão importante para a nossa saúde. Além disso, quero sempre retribuir com trabalho o apoio que recebo dessas cidades, assim como a forma carinhosa que a população me recepciona”, afirmou Othelino.

Os materiais esportivos também serão entregues a clubes de futebol de Santa Helena, Turilândia, Vargem Grande, Pedro do Rosário, Paulino Neves, Barreirinhas, Santo Amaro, Rosário, Tasso Fragoso, Peri-Mirim, entre outras cidades de diversas regiões do Estado.

Esporte

Othelino e a prefeita de Presidente Sarney, Valéria Castro, entregam os kits aos representantes dos clubes locais

Em Pinheiro, acompanhado da vice-prefeita Ana Paula Lobato e do secretário municipal de Esportes, Filemon Guterres, Othelino entregou kits de equipagens aos presidentes dos clubes que compõem a Liga de Futebol Amador Masculino e Feminino.

Ana Paula Lobato agradeceu o apoio recebido pelo parlamentar, visando ao desenvolvimento do esporte local. “Esta é mais uma grande parceria que pudemos contar com o deputado Othelino. A iniciativa reforça o trabalho que já vem sendo desenvolvido pela Prefeitura na área do esporte e lazer”, disse a vice-prefeita.

No município de Presidente Sarney, onde a entrega dos kits foi realizada na quarta-feira (21), a prefeita Valéria Castro agradeceu a iniciativa em prol da valorização do esporte. “Esses kits vão beneficiar nossos times de futebol, que já são bem atuantes na prática dessa modalidade. Só temos a agradecer pela parceria e a atenção de sempre com o nosso povo”, ressaltou.

Também participaram do ato de entrega dos materiais o superintendente de Articulação Política da Baixada Maranhense, Penaldon Jorge, e o secretário de Esportes de Presidente Sarney, Domingos Sá.

PF faz apreensão de dinheiro falso e prende bandidos em São Luís e Santa Rita

Na manhã do dia 20 de abril de 2021, a Superintendência da Polícia Federal no Maranhão em conjunto com a Unidade Especial de Repressão à Falsificação de Moedas da Polícia Federal e com a Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios realizou 3 (três) prisões em flagrante durante diligências da Operação Rebote Fakes 2, cujo trabalho consiste em investigar organizações criminosas que estão falsificando e revendendo, através da internet, moeda falsa.

Foram presas duas pessoas em São Luís/MA e uma pessoa em Santa Rita/MA, que teriam adquirido o dinheiro falso através de contato com os falsários, recebendo o objeto do crime através de encomendas enviadas pelos Correios. Foram apreendidos aproximadamente R$ 10.000,00 (dez mil reais) em cédulas falsas.

Os envolvidos responderão pelo crime de moeda falsa, art. 289, §1o do CPB, cuja pena é de reclusão, de 3 a 12 anos, e multa.

Pinheiro – Othelino vistoria pavimentação e acompanha Mutirão da Saúde

 

 

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), acompanhado do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP), e da vice-prefeita, Ana Paula Lobato (PDT), vistoriou, nesta quarta-feira (21), os serviços de recuperação asfáltica da Rua 3 de Setembro, no bairro São Benedito, no município. A restauração da via é fruto de emenda parlamentar de sua autoria, no valor de R$ 1 milhão.

No ato, Othelino afirmou que a emenda, que se soma ao trabalho da Prefeitura de Pinheiro, por meio do Programa ‘Pró-Asfalto’, contemplará, ainda, ruas dos bairros Campinho e Floresta.

“Essa união de esforços é fundamental, principalmente, nesse momento de crise que o país inteiro atravessa. Tive a alegria de disponibilizar emendas parlamentares para complementar o trabalho que já vem sendo realizado na cidade com recursos próprios da Prefeitura, em prol da infraestrutura urbana. E é uma grande satisfação ver mais bairros sendo beneficiados para que mais famílias tenham uma melhor qualidade de vida”, destacou Othelino que, durante a vistoria, também esteve acompanhado por vereadores e secretários municipais.

O prefeito Luciano Genésio agradeceu a parceria que, segundo ele, tem rendido benefícios ao município. “Estamos no começo de um novo mandato e seguimos cumprindo nossos compromissos de campanha, quando assumimos que o trabalho não vai parar. São com essas contribuições, como as do presidente Othelino, que temos conseguido avançar, não só na área da infraestrutura, mas em todos os outros setores”, afirmou.

No mesmo sentido, a vice-prefeita Ana Paula Lobato ressaltou o apoio do presidente do Parlamento Estadual em benefício de Pinheiro. “O deputado tem sido um grande parceiro do município. Hoje, iniciamos as obras conquistadas por meio de sua emenda, que ajudará a levar mais dignidade às famílias pinheirenses. Estamos sempre em busca de melhorar a qualidade de vida dos nossos conterrâneos que tanto queremos bem”, disse.

Mutirão da Saúde

Othelino, Luciano Genésio e Ana Paula Lobato, idealizadora do Mutirão da Saúde, visitam o estande de ações

Em seguida, a comitiva se dirigiu para a Associação da Polícia Militar, onde estava sendo realizado o ‘Mutirão da Saúde’, ação social destinada às famílias que residem no bairro Cidade das Águas, localizado no entorno de um lixão, em Pinheiro.

A iniciativa contemplou cerca de 100 famílias com atendimento básico de saúde, entrega de medicamentos e vacinação. “A iniciativa chega em boa hora, especialmente, neste momento em que a rede de saúde pública está superlotada por conta do agravamento dos casos de coronavírus na cidade. Parabéns a todos os profissionais envolvidos nesse belo trabalho de assistência à população da região”, avaliou Othelino.

A ação, proposta pela vice-prefeita Ana Paula Lobato, após visita à comunidade, onde esteve acompanhada pelo vereador Léo Lobato, foi realizada pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Saúde.

“Agradeço aos profissionais envolvidos nesta ação e, especialmente, ao prefeito Luciano Genésio e ao secretário de Saúde, Fred Lobato, que, prontamente, atenderam à nossa solicitação de levar assistência médica aos moradores dessa região, neste momento crítico de pandemia pelo qual passamos”, ressaltou Ana Paula.

Fred Lobato explicou a importância dos mutirões de saúde para a população. “Só hoje, conseguimos fazer a distribuição de medicamentos, realizar testes rápidos de HIV e imunizar contra o H1N1. Agradeço à vice-prefeita Ana Paula pela sensibilidade”, disse.

 

 

Morre a ex-vereadora Helena Castro

 

Morreu na manhã desta quinta-feira (22/4) aos 78 anos a Professora Doutora da UFMA, ex-secretária de saúde e vereadora de São Luís e ex-secretária de Administração do Estado, Helena Castro.  Ela estava internada a vários meses no hospital São Domingos, e segundo familiares, o falecimento foi em decorrência de uma pancreatite.  

Helena Castro construiu um legado em São Luís e no Maranhão por sua conduta e militância por política social.

Maria Helena Nunes Castro nasceu em Viana, baixada Maranhenses, em 2 de março de 1943, filha de Raimundo de Sousa Castro e Melany Nunes Castro. Era a segunda filha de uma família de três irmãos.

Foi secretária de Saúde de São Luís por onze anos, durante a administração de Jackson Lago na Prefeitura de São Luís, quando ganhou maior notoriedade e respeito no meio sociopolítico da capital, o que lhe deu respaldo para se eleger, por duas vezes, como vereadora de São Luís.

(Com informações do Blog do Adilson Carlos)

Othelino promulga lei que concede auxílio emergencial às agências de viagens do Maranhão

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), promulgou a Lei nº 11.448/2021, oriunda da Medida Provisória 347/2021, de autoria do Poder Executivo, que autoriza a concessão de auxílio emergencial, no valor de R$ 1 mil, às agências de viagens do Estado. A medida é uma compensação aos reflexos causados pela pandemia da Covid-19 no setor do turismo.

Segundo Othelino, o benefício às agências de viagens soma-se aos outros dois auxílios emergenciais já criados para a área do turismo, visando minimizar os impactos da pandemia neste setor tão importante para a economia.

“As agências de viagens têm sido muito prejudicadas neste período da pandemia da Covid-19. Nós já tínhamos aprovado outros dois auxílios destinados a profissionais do setor, como os guias turísticos, por exemplo, e, também, para as empresas que transportam turistas. Agora, mais essa categoria será atendida, ampliando o leque de ações do governo para amenizar a crise na área”, afirmou o chefe do Legislativo.

O auxílio de R$ 1 mil será pago em cota única. Têm direito ao benefício os microempreendedores individuais maranhenses, cuja atividade tenha Classificação Nacional de Atividades Econômicas de Agências de Viagens, que também devem comprovar a inscrição no Cadastur, do Ministério do Turismo.

 

Transparência e credibilidade levam o Emet Instituto à nacionalização

 

Que o Emet Instituto está muito à frente dos institutos de pesquisa de opinião de todo País é um fato e os próprios concorrentes reconhecem. No entanto, o processo de contratação de profissionais renomados internacionalmente fez com que a empresa desse um passo ainda maior e ousado.

O Emet deixou de ser um simples instituto de pesquisa de opinião para se tornar de levantamento científico e de desenvolvimento, o que permitiu, findado o processo legal e burocrático, que a empresa seja agora de franquia, pois, além das pesquisas eleitorais, o instituto também poderá executar exames laboratoriais e, ainda, auxiliar nas gestões de saúde, educação e pública.

Estas e várias outras novidades você saberá com detalhes nesta matéria recheada de boas notícias para o Maranhão, para o Poder Público e para a população como um todo.

COMO TUDO COMEÇOU

O Emet iniciou oficialmente suas atividades em 2019 como instituto de pesquisa de opinião, mas desde 2016 já estava desenvolvendo um trabalho de levantamento de dados e desenvolvimento do no sistema, que é exclusivo. Após muitas viagens a Brasília, consultas ao TSE e muitos testes de campo, em 2019, o instituto finalmente realizou suas primeiras pesquisas oficiais.

O método revolucionário usado, que permite uma precisão de resultados, chamou a atenção do mercado político. Além da tecnologia de ponta, a direção da empresa resolveu ir muito além.

Visando reforçar a credibilidade do instituto, por ter uma linha de conduta com ênfase para a valorização da ciência, a direção da empresa foi atrás da mais renomada estatística do País: a doutora Kalline Fabiane Silveira, que hoje é diretora do núcleo científico do empresa.

QUEM É ELA?

Formada em estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Kalline ganhou fama nacional após ganhar prêmios de 100% de precisão em suas pesquisas. Transformou-se em docente na mesma instituição de ensino, mestra em Demografia Epidemiológica e, também, doutora em Ciências Climáticas.

Com publicações nacionais e internacionais, nos últimos dois anos, a cientista conquistou a confiança do presidente do instituto, o administrador, gestor público e analista político Fernando Bastos, que a

convidou para fixar endereço na capital maranhense, assumir a Diretoria Científica da empresa, a fim de levar o Emet Instituto a outro patamar, e não deu outra.

 TRANSPARÊNCIA E PRECISÃO

O Emet Instituto surgiu para revolucionar o mercado e trazer a verdade para a política, inclusive verdade é o significado da palavra hebraica emet. Com uma tecnologia exclusiva, o nosso cliente pode acompanhar em tempo real a realização da pesquisa.

Os coletores são monitorados por satélite, o que permite ao contratante saber a localização exata de cada. O sistema é totalmente à prova de fraudes, que por meio de uma combinação de algoritmos fiscaliza a pesquisa e sua execução.

O pioneirismo, sem dúvida, é marca registrada do Emet Instituto que além da tecnologia, possui muita fibra moral e iniciativa. Foi o primeiro do Brasil a realizar pesquisas abertas a partidos, classe política e Ministério Público Eleitoral.

“Eu tive o prazer de convidar o MPE para acompanhar nossas pesquisas em tempo real, sem contar que, frequentemente faço pesquisas de opinião gratuitas e abertas a partidos políticos, visando demonstrar nosso sistema e eficiência dele. Essa combinação de atitude resultou no que hoje a empresa possui de mais sólido: credibilidade, transparência e exatidão, o que nem sempre agrada políticos inescrupulosos que não respeitam a opinião pública e a verdade”, foi enfático Bastos.

 NACIONALIZAÇÃO E MARCA REGISTRADA

Marca e o logotipo registrados junto ao Instituto Nacional de Marcas e Patentes- INPI, finalmente, o Emet Instituto se transformou em empresa nacional, com plano de franquias para todo Pais. Em conversa informal com seu presidente, ficamos sabendo que a empresa irá construir sua sede nacional em Brasília.

Atualmente, o Emet já atua com grande sucesso em 6 estados e tem a intenção de abrir escritórios, ainda em 2021, em ouros três, os quais somados aos atuais serão capazes de atender 17 capitais simultaneamente, ou seja, mais da metade do País. Já os demais estados seriam atendidos por meio de franquias, o que está sendo analisada, enquanto que na Região Norte, o Instituto estuda a possibilidade de centralizar o comando em Manaus.

A TRANSFORMAÇÃO EM INSTITUTO DE PESQUISA CIENTIFICA

Recentemente, a empresa passou por um grande processo de transformação, pois além de abrir novo escritório em São Luís, ampliando o espaço físico a fim de acomodar os profissionais que contratou e treinar seus colaboradores, a empresa passou ter a pesquisa científica como atividade principal e a de opinião, dentre outras, como secundárias.

Esta transformação se fez necessária para atender o novo patamar que a empresa alcançou, e que tem o compromisso social de realizar estudos científicos para auxiliar o poder público, proporcionando uma gestão mais eficiente e consequentemente levando maior qualidade de vida a população. A empresa também recebeu um aporte financeiro vultuoso para comportar os novos desafios, agora nacionais.

PESQUISA EPIDEMIOLÓGICA

O Emet também é o único instituto privado do País legalmente estabelecido e registrado junto aos órgãos competentes habilitado a realizar pesquisa epidemiológica, dentre outras. No Maranhão, institutos de menor expressão vem clandestinamente tentando copiar nossa empresa sem responsabilidade técnica, ou seja, sem competência, o que além de ilegal pode causar sérios prejuízos à população e prefeituras, pois a falta de embasamento científico pode gerar mais desinformação e caos na saúde.

O presidente do instituto, Fernando Bastos, recomenda que quando um instituto chegar para fazer uma pesquisa desse porte, os entrevistados solicitem a identificação dos profissionais de saúde, peçam a carteira do conselho do qual fazem parte, e se eles se recusarem, que chamem a polícia. “Uma pesquisa epidemiológica real, séria e legal tem profissionais de saúde na sua execução e fiscalização, caso contrário é exercício ilegal da profissão, pode ser inclusive considerado crime contra a saúde pública”, afirmou.

Vale a pena lembrar que já relatamos aqui o incidente onde um desses institutos clandestinos foi colocado para correr da região do Mearim. “Se chegar às minhas mãos provas concretas de que estão cometendo este tipo de crime, eu serei o primeiro a denunciar. Ignoro muitos clandestinos que fazem pesquisa de opinião, mas saúde pública é coisa séria, já é caso de cadeia e não terei pena em denunciar as autoridades competentes!”, finalizou afirmou Bastos.

Na próxima postagem iremos apresentar a você o corpo técnico que faz parte desse grandioso projeto. Aguardem!

Preso casal especializado em golpes contra políticos e empresários

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, por intermédio do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos – DCCT/SEIC, efetuou, nesta terça-feira (20)  a  prisão em flagrante de duas pessoas, sendo uma mulher de 37 anos e um homem de 29 anos, este último conhecido como como Leozinho.

Os dois foram presos em flagrante delito por estarem envolvidos em golpes realizados através do aplicativo WhatsApp contra deputados estaduais, prefeitos e empresários maranhenses.

O site do Luís Pablo foi informado que em apenas 5 dias o prejuízo causado às vítimas foram mais de R$ 60 mil.

De acordo coma polícia, o grupo abria contas bancárias falsas e utilizava contas “emprestadas” pelos laranjas para receber valores provenientes das fraudes aplicadas.

Ainda de acordo com a polícia, eles se “apossavam” das contas de WhatsApp das autoridades públicas e se passavam por elas solicitando transferências bancárias das pessoas que constavam em suas listas de contato.

As investigações contra esse grupo criminoso continuam; agora o Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos irá investigar as participações de mais pessoas envolvidas nesse tipo de crime.

Os presos foram encaminhados ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde ficarão à disposição da Justiça.

 Um ano sem o amigo Edu

 “Djalma, perdemos nosso amigo  Edu para o Covid”! Foi dessa forma, direta e com certeza muito dolorida, que recebi, no dia 20 de abril do ano passado, uma mensagem do vereador Francisco Carvalho, me informando da morte do nosso amigo comum Edwrges Costa, o Edu, que à época era o secretário geral do PSL Estadual, partido dirigido pelo parlamentar.

Nunca procurei saber  entre nós três, sobre qual a  amizade mais antiga do Edu. Se comigo ou com o Chico  Carvalho. Minhas lembranças dele remontam ao ano de 1977, quando ingressamos juntos no então 24° Batalhão de Caçadores, atualmente 24° Batalhão de Infantaria Leve, na 2ª Companhia de Fuzileiros. Era considerada a mais implacável unidade da corporação para os recrutas,  por conta da rigidez dos treinamentos e da dura disciplina. Por isso, formava os melhores soldados e se destacava em todas as áreas, tanto nas artes militares como nos esportes.

A aproximação foi imediata, entre os soldados Costa e Djalma. Nossas beliches eram próximas e tínhamos uma parecida linha de raciocínio sobre a vida. Objetivos muito identificados.  Frequentávamos, nas folgas, uns barzinhos das redondezas, onde tomávamos cervejas e o papo rolava noite adentro nas vésperas das nossas folgas.

Certa vez me confessou sua vontade de seguir carreira no Exército. Era  um  “Caxias”, denominação dada aos militares que seguem ao pé da letra os preceitos de sua Força. Andava sempre alinhado. Coturnos e fivelas brilhantes, fardamento bem engomado. Muito aplicado nas aulas teóricas e corajoso nas práticas militares.

O horizonte para a carreira se abriu para o soldado Costa logo na primeira seleção para o curso de sargento temporário. Foi um dos escolhidos. A leitura no boletim da Companhia o fez ficar muito entusiasmado. Me deu um abraço sufocante.

-Baixinho! Porra, cara, vou ser sargento temporário e depois farei o curso para efetivo na Escola de Guaranhuns, lá em Pernambuco. Vamos comemorar na sexta. Estamos de folga esse final de semana!

Na sexta-feira fomos ao Luso Brasileiro, um conhecido bar do bairro do João Paulo. Um grande grupo. Incluindo mais cinco que haviam sido escolhidos para o mesmo curso. Sonhos que começavam a se materializar.

A euforia daria vez a uma grande frustração menos de um mês depois Ele saiu com um soldado antigo, de nome José Maria. Este se envolveu numa confusão e o amigo, só porque estava junto, foi desligado da turma. Isso no sábado. Quando chego na Companhia na segunda ele estava desolado. Me abraçou chorando muito pesaroso e relatou a situação. Estava fora do curso. Eu e outros colegas o consolamos e a vida continuou. Mesmo assim, foi escolhido o Soldado Distinção do Batalhão naquele ano.

Ao final do ano, deixamos a caserna e cada um seguiu seu rumo. Volto a encontra-lo exatamente ao lado de Chico Carvalho, de quem fui diretor de Comunicação na Câmara Municipal, no período de 1994 a 2000, nas três vezes em que ele presidiu a casa de Simão Estácio da Silveira.

Ele já vinha acompanhando Chico Carvalho desde o PRONA. Inteligente, de posições firmes, muito leal e carismático. Era uma referência no escritório partidário. Sempre que dispunha de um tempinho ia lá bater um papinho e tomar um café. Na nossa última conversa, se mostrava extremamente feliz, por conta da finalização de sua casa na zona rural de São Luís. Afirmava que estava nos últimos retoques, para me lavar num domingo para um mocotó regado a cerveja e rememorar os velhos tempos de juventude.

O SARS-CoV-2,  Coronavírus ou Covid-19, foi identificado pela primeira vez em seres humanos em dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, na China. Pensa-se que seja de origem animal.  São diversas e as mais absurdas teorias.  O surto inicial deu origem a uma pandemia global que até esta sexta-feira (20), no Maranhão, tinha 258.651 registros da doença  com 6.951  mortes. São mais de 3 milhões de óbitos em todo o mundo, número que   em termos proporcionais, supera o  de judeus massacrados no Holocausto nazista de Hitler, em torno de 6 milhões, entre os anos de 1939 a 1945.

Perdi muitos amigos aqui no Maranhão, principalmente na área de Comunicação. Todos merecem uma homenagem, mas não poderia deixar de lembrar esse bravo companheiro de lutas, com quem dividi sonhos e preocupações na transição da adolescência para a fase adulta, cuja amizade perdurou até o último dia de sua vida entre nós. Foi levado por uma doença que continua a desafiar a ciência e que não escolhe raça, credo cor ou estratificação social, deixando um rastro de lamento, de dor e de saudades. Em mensagem me encaminhada nesta sexta-feira, Chico Carvalho dá o título desse artigo e acrescenta: “Faz muita falta”!