Justiça divulga lista de 45 prefeitos condenados por corrupção no Maranhão

Jomar Fernandes

Jomar Fernandes

Bia Venâncio

Bia Venâncio

Chico Leitoa

Chico Leitoa

Zé Vieira

Zé Vieira

Quarenta e cinco prefeitos e ex-prefeitos foram condenados pelo Tribunal de Justiça Maranhão (TJMA), entre os anos de 2012 e 2014, por envolvimento em algum tipo de crime no exercício do cargo.
As penas aplicadas incluem cassação de mandato, bloqueio de repasses estaduais e federais; detenção em regime aberto, convertida em prestação de serviços à comunidade; afastamento; pagamento de multa de cinco vezes o valor da remuneração; e a inabilitação ao exercício de cargo ou função pública pelo prazo de cinco anos.
Entre os crimes que levaram os prefeitos e ex-prefeitos à condenação constam atraso ou fraude na prestação de contas, lesão ao erário público, desvio de verbas, falsidade ideológica, contratação de servidores sem concurso, fraude em licitações, falta de comprovação de aplicação de recursos do Fundo Municipal de Saúde (FMS), má aplicação dos recursos do FUNDEB, fragmentação de despesas e dispensa irregular de licitações.
Pelo levantamento do TJMA, foram condenados, em 2012, os prefeitos Raimundo Galdino Leite (São João do Paraíso), Mercial Lima de Arruda (Grajaú), João Batista Freitas (São Vicente Férrer), Agamenon Lima Milhomem (Peritoró), Lenoílson Passos da Silva (Pedreiras), Antonio Marcos de Oliveira (Buriticupu), Lourêncio de Moraes (Governador Edison Lobão), Rivalmar Luís Gonçalves Moraes (Viana), Cleomaltina Moreira (Anapurus), Socorro Waquim (Timon), José Ribamar Rodrigues (Vitorino Freire), Manoel Mariano de Sousa, o Nenzin (Barra do Corda), João Alberto Martins Silva (Carolina), José Francisco dos Santos (Capinzal do Norte) e Ilzemar Oliveira Dutra (Santa Luzia).
Na lista constam ainda os ex-prefeitos Raimundo Nonato Jansen Veloso (Pio XII), José Reinaldo Calvet (Bacabeira), Francisco Rodrigues de Sousa (Timon) e Jomar Fernandes (Imperatriz), além de Glorismar Rosa Venâncio, a Bia Venâncio (Paço do Lumiar) e Francisco Xavier Silva Neto (Cajapió), que foram cassados por improbidade administrativa.
A relação de gestores e ex-gestores que sofreram condenação, em 2013 é formada por Francisco Xavier Silva Neto (Cajapió), Deusdedith Sampaio (Açailândia), Ademar Alves de Oliveira (Olho D’água das Cunhãs), José Vieira (Bacabal), Francisco Rodrigues de Sousa, o “Chico Leitoa” (Timon), Cláudio Vale de Arruda (Formosa de Serra Negra), Ilzemar Oliveira Dutra (Santa Luzia), Maria José Gama Alhadef (Penalva), Raimundo Nonato Jansen Veloso (Pio XII) e Francisco das Chagas Bezerra Rodrigues (Riachão).
Os condenados em 2014 são Atenir Ribeiro Marques (Alto Alegre do Pindaré), Marcos Robert Silva Costa (Matinha), Antonio Reinaldo Sousa (Passagem Franca), Raimundo Nonato Borba Sales (Cantanhede), Jomar Fernandes (Imperatriz), Manoel Albino Lopes (Altamira do Maranhão), Nerias Teixeira de Sousa (São Pedro da Água Branca), José Miranda Almeida (Brejo de Areia), Alcir Mendonça da Silva (Zé Doca), Adail Albuquerque de Sousa (Montes Altos), Glorismar Rosa Venâncio (Paço do Lumiar), Antonio de Castro Nogueira (São Domingos do Maranhão), Aluísio Holanda Lima (Olho D´Água das Cunhãs) e Francisco Alves de Holanda (João Lisboa).

PSL e PEN apoiam Humberto Coutinho e traçam metas para eleições de 2016

Chico Carvalho e Jota Pinto

Chico Carvalho e Jota Pinto

Um dia após liberar os deputados Edison Araújo e Graça Paz para votarem em Humberto Coutinho (PDT) para a presidência da Assembleia Legislativa, o presidente estadual do PSL, vereador Francisco Carvalho esteve reunido com o principal dirigente do PEN no Maranhão, deputado Jota Pinto, que também manifestou apoio a Coutinho, destacando que o deputado eleito pela sigla, Ricardo Rios, irá ingressar as fileiras dos eleitores do deputado pedetista para a direção do Legislativo Estadual.
Chico Carvalho e Jota Pinto também iniciaram conversações em torno das eleições municipais de 2016, em São Luis e no interior do Estado. Os dois líderes partidários começam a selar um acordo que visa fortalecer PSL e PEN no Estado, principalmente na capital, onde o Partido Ecológico Nacional não tem representante, enquanto o PSL conta com dois vereadores, o próprio Chico Carvalho e Isaías Pereirinha.

Prefeitura de Paço do Lumiar e Sema tratam sobre os impactos causados pelos resíduos sólidos no município

 Prefeito Josemar Sobreiro, vice-prefeito Marconi Lopes e membros da comunidade se reuniram com o secretário de Meio Ambiente, Marcelo Coelho, para discutir a questão do lixão


Prefeito Josemar Sobreiro, vice-prefeito Marconi Lopes e membros da comunidade se reuniram com o secretário de Meio Ambiente, Marcelo Coelho, para discutir a questão do lixão

O prefeito municipal de Paço do Lumiar, professor Josemar Sobreiro (PR), foi recebido nesta quarta-feira, 21, pelo secretário de Estado do Meio Ambiente, Marcelo Coelho, para tratar sobre o destino final dos resíduos sólidos do município. Também participaram da reunião o vice-prefeito Marconi Lopes, a secretária de Meio Ambiente, Andreia Seguins Feitosa, a procuradora adjunta do Município, Jacqueline Silva, e técnicos em meio ambiente.

Durante a audiência foram iniciadas tratativas entre estado e município para a condução do Plano Municipal de Resíduos Sólidos – PMRS. Na extensa pauta de discussões foram abordadas também, questões como a regularização fundiária, agricultura familiar, e meios legais por meio de parcerias com órgãos competentes, com vistas à geração, seleção, descarte, tratamento e destino dos resíduos.

De acordo com o prefeito, Josemar Sobreiro, “o ajuste é necessário para a cooperação em torno da condução da destinação final dos resíduos, problema que aflige todos os municípios maranhenses”.

Nova agenda – Após exposição das propostas do poder público, contidas no Plano Municipal de Resíduos Sólidos, os gestores acordaram uma nova reunião para o dia 28 de janeiro, com a participação de representantes do ITERMA, SAF, Prefeitura de Paço do Lumiar, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e sociedade civil, por meio das lideranças comunitárias.

Paço do Lumiar retomou, este mês, as audiências públicas de apresentação do PMRS. As comunidades da Sede, Pindoba e Iguaíba foram as primeiras a conhecer as diretrizes do plano e puderam contribuir com propostas a serem implementadas ao documento.

O PMRS prevê o fechamento do lixão de Paço do Lumiar e defende a instalação de um aterro sanitário municipal, em consonância com Lei Federal Nº 12.305, de 02 de agosto de 2010.

Antônio Pereira mobiliza governo para abrir a UPA do São José, em Imperatriz

antonio pereira

O deputado Antônio Pereira (DEM) protocolou indicação na Assembléia – já encaminhada ao governador Flávio Dino e ao secretário da Saúde, Marcos Pacheco – pedindo convênio para possibilitar a abertura da UPA do Parque São José, em Imperatriz.
Na indicação, Antônio Pereira pede que Dino e Pacheco determinem convênio com a Prefeitura de Imperatriz, objetivando o funcionamento da UPA, projetada para atender 20 mil pessoas da segunda maior e mais importante cidade do Maranhão.
O democrata informou que a UPA foi construída pela Prefeitura de Imperatriz e está fechada, porque o Governo Municipal não tem condições financeiras para custear os serviços médicos de urgência e emergência, que serão realizados pela unidade de saúde.
VINTE MIL ATENDIMENTOS
A UPA do Parque São José foi projetada para atender cerca de 20 mil pessoas dos bairros Ouro Verde, Vila Macedo, Planalto, Parque São José, Bonsucesso, Santa Rita, de comunidades do
Complexo Santa Rita e até de outros municípios da Região Tocantina.
Para Antônio Pereira, uma vez concluída e aparelhada, a UPA do Parque São José desafogará a demanda de pacientes na UPA da Avenida Bernardo Sayão e no Hospital Municipal de Imperatriz (HMI), o “Socorrão”, que mensalmente atendem cerca de 30 mil pessoas.
Antônio Pereira destacou o empenho do vereador de Imperatriz, Esmerahdson de Pinho (PSDB), que na Câmara Municipal também luta para garantir o perfeito funcionamento da UPA do Parque São José, e melhorar a qualidade de vida da população de Imperatriz.

PSL libera e deputados declaram apoio a Humberto Coutinho para presidências da AL

foto do psl

Durante deliberação ocorrida na noite desta quarta-feira (21), na residência do presidente estadual do PSL, vereador Francisco Carvalho, o partido decidiu liberar os dois deputados da sigla, Graça Paz e Edson Araújo para votarem de acordo com suas convicções nas eleições para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. Ambos declararam apoio ao deputado Humberto Coutinho (PDT), para a presidência.
Graça Paz justificou seu posicionamento, enfatizando ser amiga pessoal da família, uma amizade construída a partir da aproximação com a ex-deputada Cleide Coutinho no plenário.
“O deputado Humberto Coutinho reúne todas as condições para presidir o parlamento estadual. É uma grande liderança e tão logo terminaram as eleições fui procurada pela Cleide Coutinho e pelo deputado Humberto”, disse Graça Paz.
Por sua vez, o deputado Edson Araújo acrescentou que Humberto Coutinho foi o primeiro a lhe procurar pedindo votos para a presidência da Assembleia Legislativa.
“Tenho amizade com o Humberto Coutinho e sei de sua capacidade, de sua liderança. Trilhamos o mesmo caminho durante as eleições, na busca do mesmo horizonte, que foi a eleição do governador Flávio Dino, com a anuência do PSL e, por isso, meu voto é nele”, afirmou o parlamentar.
Por sua vez, o presidente do partido, Francisco Carvalho, destacou que a decisão do partido teve o respaldo de toda a executiva, a exemplo do vereador Isaías Pereirinha, Chico Coelho, Ricardo Archer Filho, Nonato Aragão e demais lideranças da sigla.

EDIVALDO JR.
Ao final da reunião que definiu o posicionamento do PSL em torno da eleição para a Assembleia Legislativa, Francisco Carvalho acrescentou que, no âmbito municipal, a agremiação política vem dando total respaldo ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior, votando em seu apoio em praticamente todas as matérias na Câmara Municipal.

Polícia Federal fecha rádio Anajá FM em Anajatuba

Em cumprimento a uma determinação judicial, na tarde de ontem, uma equipe de policiais federais fechou, no município de Anajatuba, a Rádio Anajá FM. A Justiça Federal atendeu uma representação do Ministério Público Federal.
De acordo com informações dos federais, a rádio se dizia comunitária, no entanto, estava sendo utilizada para beneficiar a administração municipal, sob a batuta do prefeito Helder Lopes Aragão, suspeito de inúmeras irregularidades, sem contar, ainda, que possuía vários contratos comerciais, o que é proibido por lei, já que a mesma, como dito anteriormente, tinha cunho comunitário.
De acordo com o delegado que comandou os trabalhos, a rádio estava sendo usada para descredibilizar às investigações que vem sendo realizada pelos órgãos de controle, como Ministério Público Estadual, Polícia Federal e, ainda, a imprensa nacional e local contra uma série de falcatruas amplamente divulgada.
Vale ressaltar, também, que embora a concessão tenha sido liberada para uma associação de moradores, que tem como presidente o motorista do prefeito e ex-vereador do município – Antônio José Gonçalves, todos os equipamentos foram comprados pelo Executivo Municipal.
O prefeito Helder Aragão é suspeito de participar de um suposto esquema de desvio que ultrapassa a casa dos 12 milhões em verbas públicas. A denúncia já foi feita pelo jornal Extra, e ganhou destaque na imprensa nacional após reportagem do quatro “Cadê o dinheiro que tava aqui?”, do Fantástico. Temendo ser preso, Helder Aragão impetrou habeas corpus preventivo no Tribunal de Justiça do Estado, o qual foi denegado.
Na semana passada, a Procuradoria Geral de Justiça designou o promotor Carlos Augusto Soares para assumir a titularidade em Anajatuba. Desde então, comentários na cidade dão conta que o prefeito Helder Aragão tem perdido o sono, haja vista que, para quem não sabe, o promotor Carlos Augusto é o mesmo que no ano passado, representou pelo afastamento do prefeito de Humberto de Campos – Raimundo Nonato dos Santos, acusando de ter fraudado licitações para construir praças na cidade, com recursos oriundos de convênios com o governo estadual.

Em 2014, Fundação da Memória Republicana gastou menos de 6% do orçamento com atividades educacionais

Apesar de ser vinculada à Secretaria Estadual de Educação até dezembro do ano passado, e ter recebido um montante superior a R$ 3 milhões no ano de 2014, a Fundação da Memória Republicana Brasileira ( FMRB) não chegou a gastar 6% destes recursos em atividades relativas a praticas educacionais.

Ano passado, o valor destinado pela FMRB para estas atividades consumiu apenas R$ 190 mil, conforme apontam os dados disponibilizados pela Secretaria Estadual do Planejamento. Apesar deste gasto irrisório, feito pela entidade em práticas educacionais , a Lei 9.47/2011 que estatizou a Fundação colocou entre as principais finalidades da instituição, as ações relacionadas à educação.

Os números relativos às despesas da FMRB em 2014, apontam um valor relacionado ao pagamento de pessoal quase dez vez maior ao montante investido no desenvolvimento de práticas educacionais. Enquanto os gastos neste tipo de ação nem chegaram a alcançar a cifra de R$ 200 mil, as despesas com os servidores da instituição, todos comissionados.. consumiram em 2014 um valor de R$ 1.825( Hum milhão, oitocentos e vinte e cinco mil reais).

A partir do início de 2015, o governador Flávio Dino, através da Medida Provisória nº 184, realocou a FMRB para a Secretaria Estadual de Cultura e foi iniciado um diálogo junto à comunidade do Desterro, local onde fica a sede da instituição, com o intuito de redefinir as ações da entidade.

Criada em 1990, como uma instituição privada, logo após o senador José Sarney(PMDB-AP) deixar o comando do país, a entidade recebeu o nome de Fundação da Memória Republicana Brasileira e ganhou do estado a doação do prédio do Convento das Mercês, imóvel tombado pelo Patrimônio Histórico.

Alguns anos depois, a FMRB mudou de nome e passou a se chamar Fundação José Sarney, seguindo como instituição privada, até estatizada em 2011 por iniciativa da governadora Roseana Sarney.

Em 2004, a entidade foi alvo de ação , movida pelo Ministério Público Federal que questionou a doação do Convento das Mercês feita pelo estado, com o argumento de que se tratava de um prédio publico, tomando pelo Patrimônio Histórico, e não poderia ser doado a um particular.

Agora, ligada à Secretaria de Estado da Cultura, a FMRB detentora do acervo pessoal do ex-presidente José Sarney, terá seu papel rediscutido. Esta semana, uma comissão composta por representantes de diversas secretarias começou a debater o futuro da entidade ,marcada desde sua origem, pelo signo da polêmica.

PMDB do Maranhão perde Gastão Vieira e Luis Fernando

Gastão Vieira

Gastão Vieira


Luis Fernando

Luis Fernando

Eles figuraram papeis importantes na disputa de 2014: Luís Fernando Silva, Gastão Vieira (PMDB) e Lobão Filho (PMDB). Os dois primeiros já anunciaram suas saídas, enquanto que o senador ainda mantém mistério sobre sua postura. Certo é que os três seguirão em 2015 e 2016 sem mandato, mas com expectativas para compor o governo federal ou, até mesmo, estadual.
O ex-prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva, ex-secretário-chefe da Casa Civil e ex-secretário de Infraestrutura do Maranhão foi um dos protagonistas da última eleição para governador. Depois de quase um ano de pré-campanha, ele desistiu da disputa, desarticulando todo o grupo ao qual fazia parte. Sem apoio da maioria de seu grupo, Luís Fernando se recolheu na disputa e ontem anunciou o fim de sua trajetória do PMDB.
Luís Fernando Silva ressaltou que ainda não tem decisão tomada sobre o seu futuro político. “Eu ainda não concluí minhas reflexões e, portanto, não tenho nada a declarar. Mas tenho um grupo independente em São José de Ribamar”, informou.
Na última semana, ele fez visita de cortesia ao governador Flávio Dino (PcdoB), figura que por muito tempo foi adversária política, já que o ex-peemedebista foi intimamente ligado à gestão de Roseana Sarney. O assunto movimentou os bastidores políticos, visto que muitos interpretaram a visita de Luís Fernando como uma tentativa de aproximação com o novo governador. Já é conhecimento que o ex-prefeito recebeu convites de filiação do PSB, PSDB e também do PROS para se filiar.
O deputado Gastão Vieira (PMDB) também declarou à reportagem de O Imparcial que ainda não definiu os rumos políticos que irá tomar. A única certeza diz respeito ao término de seu mandato de deputado federal, mas a saída do partido ainda é incerta. “O momento é de reflexão, de ponderar as atitudes. A decisão será tomada e anunciada a partir do dia 02 de fevereiro”, garantiu.
Gastão Vieira, que passou parte de seu mandato de deputado federal servindo a gestão anterior de Dilma Rousseff, como Ministro do Turismo, também trabalha com a possibilidade de ser chamado para compor a equipe técnica da presidente, ainda em 2015.

Mesmo com pouco tempo de disputa para o senado, Gastão conseguiu ser mais bem votado que o candidato ao governo de seu grupo, obtendo mais de um milhão de votos. Informações de bastidores dão como certa a ida de Vieira ao PROS, que provavelmente deve entrar como presidente.
Já o senador Edson Lobão Filho (PMDB) não sinalizou de forma alguma a saída do partido ao qual é filiado. Com quase um milhão de votos em sua primeira eleição para governador e primeira eleição da vida, Lobão Filho é uma das apostas dos peemedebistas para assumir a liderança do grupo.
Caso consiga tomar as rédeas da situação, Lobão Filho comandará o grupo, que hoje segue com um cenário desfavorável de desunião política. Caso não, deverá seguir dedicado à sua vida empresarial, já que o pai deverá, tão logo, retornar ao Senado Federal.

Governo e Famem firmam parceria pela Educação e Desenvolvimento Sustentável

gil e flavio

Governo do Estado e Federação dos Municípios do Maranhão (Famem) começam a estabelecer as primeiras parcerias em nome dos maranhenses, já nos primeiros dias da nova administração. O governador Flávio Dino e o presidente da Federação, Gil Cutrim (prefeito de São José de Ribamar), conversaram na tarde desta terça-feira (20) sobre parcerias para o transporte escolar e a implantação de aterros sanitários nos municípios maranhenses.
Avançando nas tratativas para melhorar a qualidade de vida dos maranhenses, Flávio Dino recebeu o presidente da Famem para debater pauta de interesse dos municípios. A organização do transporte escolar para crianças da zona rural e da zona urbana de todas as cidades do Estado foi um dos pontos mais urgentes.
A parceria entre Governo e Famem acontecerá por meio de colaboração técnica. A Federação será responsável pelo estudo técnico para adequar a logística do transporte público escolar entre os povoados e as sedes dos municípios, enquanto ao Governo do Estado caberá implantar o estudo em parceria com os municípios.
Com a iniciativa, a ideia é pôr fim aos transportes de risco de crianças, adolescentes e adultos que se deslocam para estudar em locais distantes de suas residências. “A parceria técnica poderá resolver um dos grandes problemas dos nossos jovens que é o acesso às escolas. Integrando os municípios, o Governo do Estado e buscando a contribuição do Governo Federal, é possível proporcionar aos estudantes condições adequadas de transporte escolar,” avaliou o governador.

A promoção de políticas públicas em sintonia com os municípios pelo Governo do Estado também foi apontada pelo secretário de Articulação Política e Assuntos Federativos, Márcio Jerry. Ele ressaltou que a atuação conjunta das diferentes esferas de poder é peça fundamental para que a população tenha acesso a cada vez mais direitos. “O maior ganhador de parcerias assim é a população, que agora te, um Governo do Estado em plena sintonia com as prefeituras e com os anseios de cada local,” afirmou.
Manejo de resíduos sólidos
Governo do Estado e Federação dos Municípios também vão empreender juntos esforços para alinhar os municípios à Política Nacional de Resíduos Sólidos, elaborando disponibilizando equipe técnica para que o Maranhão supere o déficit existente na área. Até 2015, apenas 37 municípios apresentaram projetos de adequação às determinações da Lei de Resíduos Sólidos.
Através de estudo a ser apresentado pela Famem, os municípios poderão integrar-se para instalação de aterros sanitários de acordo com as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos. O Governo do Estado será parceiro dos municípios para articular a implantação desses aterros de forma integrada, propiciando às prefeituras a adequação à política nacional.
Segundo o presidente da Famem, Gil Cutrim, esta é um dos grandes desafios atuais aos prefeitos, diante da necessidade de assessoramento técnico e logístico para a implantação de aterros sanitários em cada local. “Nesta reunião, demos um salto em relação a temas de extrema importância a todas as cidades, antigas demandas dos municípios que estavam represadas. Em nome da Famem, agradeço a prestatividade do Governo do Estado em se colocar como parceiro nessas causas,” frisou.

Boataria e pânico na Raposa

Clodomir Oliveira

Clodomir Oliveira

Muitos dos cidadãos Raposenses estão em pânico em virtude do boato espalhado por toda a cidade dando conta de que até o final do mês haverá uma grande armação para afastar o prefeito Clodomir Santos da administração da cidade de Raposa. A suposta manobra teria participação direta de uma desembargadora (ou de outro magistrado) a qual seria empossada presidente do Tribunal Regional Eleitoral e assim colocar em pauta de maneira Urgente/Urgentíssima o julgamento do processo de cassação do atual prefeito e vice-prefeito de Raposa. Até o nome do Governador Flávio Dino estaria sendo citado como avalista de tal

atrocidade de modo torpe e desrespeitoso com Governador do Estado. Os membros da corte do Tribunal Eleitoral estariam também sendo achincalhados quando acusados de vender votos por quantias superiores a R$ 1.000.000,00 (UM MILHÃO DE REAIS). O intitulado “político mais
experiente” da Raposa, o ex-prefeito José Laci, que é ficha suja, se mostra confiante na materialização de tais acontecimentos. Dizem que a confiança é tanta que já iniciou inclusive as conversações para distribuição dos cargos comissionados da prefeitura. O referido ex-prefeito, condenado em vários processos, tenta desestabilizar a administração de Clodomir Oliveira, espalhando boatos envolvendo diversas autoridades sem a mínima condição de corresponder a verdade. Ou será que ele tem razão!

Terminantemente me recuso a acreditar, afinal estamos em outra era, em um novo governo que “acreditamos” jamais compactuará com práticas do passado. A jovem Thalita Laci é apenas uma marionete utilizada pelo seu próprio pai “ávido” pelo poder a tal ponto de prejudicar a sua própria filha na ocasião em que ordenou o desfalque de quase R$ 300.000,00 nos cofres da Prefeitura quando ela assumiu por apenas 12 (doze) dias, restando-lhe garantido a imputação de crime de responsabilidade fiscal e improbidade administrativa na ocasião de sua prestação de contas. Ou será que ele pensa em também comprar membros do Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado? Desse jeito só tomando a Prefeitura na marra. Existe, ainda, a promoção da “impressa marrom” de Raposa que ajuda na disseminação de tais boatos, bem como na divulgação de fatos fictícios dando conta de suposta gestão fraudulenta de contratos administrativos por parte da administração municipal sempre precedidos de chantagem pecuniária para não divulgação das sórdidas matérias. Por outro lado o prefeito Clodomir afirma que já foi vítima de várias tentativas de chantagens desse tipo de “imprensa” e que nunca se rendeu e nem vai render ou alimentar tal prática, pelo contrário está reunindo várias provas para extirpar dos meios de comunicação esse tipo de “chantagista” que jamais deva ser comparado com a profissão de “jornalista”. Agora é só esperar o desenrolar dos acontecimentos para desmentir toda essa nefasta profecia do “JOSE LACI” para que não aconteça o pior para a Raposa. Que Deus abençoe o povo raposense.