Ministro garante liberação de royalties  do minério para municípios maranhenses

O pagamento dos royalties da mineração a que tem direito os municípios maranhenses que são cortados pela ferrovia Carajás deve acontecer a partir do próximo mês de maio. A garantia foi dada pelo ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque, durante audiência com parlamentares maranhenses, em Brasília.

Os municípios que são cortados pela Estrada de Ferro Carajás serão beneficiados ao longo de 670 km de extensão da ferrovia. Ao todo, a previsão é de que seja injetado aproximadamente R$ 46 milhões de reais.

O reajuste para 15% só foi possível graças a uma emenda apresentada na Medida Provisória 789/17, de autoria do senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Esse reconhecimento foi feito pelos mais de vinte prefeitos e representantes dos municípios presentes na reunião liderada pela prefeita Karla Batista, de Vila Nova dos Martírios, em janeiro de 2018, no gabinete de Rocha, em Brasília. Na ocasião, a prefeita relatou que o senador maranhense foi incansável e abraçou a causa:

“O senador Roberto Rocha esteve o tempo todo conosco na busca desse objetivo” afirmou.

Liderando a bancada maranhense durante a reunião com o ministro, o deputado federal André Fufuca (PP) revelou confiança na liberação dos recursos: “O ministro demonstrou muita sensibilidade em relação ao assunto. Acreditamos que vamos ter êxito nesta questão”, frisou o parlamentar em matéria ao Jornal Pequeno na edição deste sábado, 16.

CONHECA OS MUNICIPIOS CONTEMPALDOS:

Açailândia,

Alto Alegre do Pindaré,

Anajatuba,

Arari,

Bacabeira;

Bom Jardim,

Bom Jesus das Selvas,

Buriticupu,

Cidelândia,

Igarapé do Meio,

Itapecuru Mirim,

Itinga do Maranhão,

Miranda do Norte,

Monção,

Pindaré-Mirim,

Santa Inês,

Santa Rita,

São Francisco do Brejão,

São Pedro da Água Branca,

São Luís;

Tufilândia,

Vila Nova do Martírios,

Vitória do Mearim.

 

Bandidos sequestram mulher na igreja da Cohama, roubam Hilux e são presos no Cohatrac

(Blogue da Suelda Santos)

A Polícia Militar do Maranhão (PMMA) informou que uma senhora de nome e endereço não revelados por questão de segurança, foi sequestrada por bandidos no começo da noite de ontem (16), perto do estacionamento igreja católica da Cohama.

Segundo informações da polícia, o sequestro aconteceu quando a senhora ia assistir a missa na igreja da Cohama. Ao tentar estacionar sua Toyota Hilux perto da loja  Serralândia, foi dominada pelos bandidos, que certamente queriam roubar o carro.

Em seguida, os bandidos entraram na Toyota Hilux, de placas NGS-7330, de São Luís (MA), e sequestraram a senhora, causando desespero aos familiares que divulgaram as fotos dela nas redes sociais, pedindo informações aos internautas, tentando encontrá-la

Momentos depois, familiares informaram por meios das redes sociais que senhora foi encontrada em um local distante da Igreja da Cohama. Em seguida, os bandidos foram presos por policiais do 20º BPM, quando transitam com a Toyota Hilux no conjunto  Cohatrac.

A comunidade da Cohama está apelando ao governador Flávio Dino e ao secretário de Segurança, Jefferson Portela, para resolver o problema da violência que tomou conta da área, onde as pessoas estão com medo até de sair de casa por causa do alto índice de assaltos.

Durante a operação Inquietação, da equipe do Grupo Tático Móvel Bravo, foi localizado a Hilux na rua 05 do Cohatrac IV. Ao encontrar a caminhonete Toyota Hilux, a polícia puxou imagens de videomonitoramento e conseguiu identificar o momento em que os suspeitos abandonaram o veículo.

Políticas públicas inclusivas em São Luís

*Edivaldo Holanda Júnior

Um dos desafios de ser gestor público é fazer com que todo cidadão sinta-se assistido pela administração e integrado à sociedade. Uma das principais formas de fazer isso é por meio de políticas públicas inclusivas, que garantem às pessoas com deficiências, por exemplo, o acesso aos direitos e benefícios comuns a qualquer outro cidadão. Nesta semana, a nossa gestão deu mais  um passo para que isso seja cada vez mais real na vida de quem tem necessidades especiais, com o lançamento de aplicativo especializado que servirá como ferramenta em sala de aula para auxiliar na comunicação entre professores e alunos que possuem dificuldade com a fala.

O aplicativo será usado inicialmente em cinquenta escolas da rede municipal de ensino. Para isso, foram entregues tablets aos professores, que também passaram por capacitação para entender e aplicar o uso da ferramenta com os seus alunos. A novidade será usada em Salas de Recursos Multifuncionais, outro serviço da Prefeitura de São Luís voltado para  o atendimento às crianças com deficiência. Atualmente, mais de 1.200 estudantes são beneficiados com o trabalho desenvolvido pelo Município na área da Educação Especial. O espaço funciona no contraturno escolar e permite um atendimento individual e especializado e, a partir das necessidades específicas de cada um, favorece o aprendizado.

As políticas de inclusão são uma das prioridades da nossa gestão e estão por toda ela, desde acessibilidade em escolas, ônibus, espaços e órgãos públicos, que proporciona mobilidade aos cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção, até o coral de libras, que reúne crianças da rede municipal de ensino, estimulando a interação de estudantes surdos e despertando o interesse dos demais alunos pela linguagem de sinais. Outro exemplo é a Escola Bilíngue Libras/Língua Portuguesa Escrita, que também encoraja o aprendizado por meio da comunicação por libras, oferecendo uma nova perspectiva escolar para as crianças e adolescentes com deficiência auditiva.

A cidade conta ainda com espaços inclusivos como o Centro-Dia, que completa cinco anos de criação este mês, e o Centro-Dia Infantil, que comemorou um ano de existência em fevereiro. Os ambientes são dotados de total estrutura e oferecem serviços prestados por uma equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos, terapeutas ocupacionais, cuidadores e auxiliares. São locais regados por amor, esperança, companheirismo e, sobretudo, superação.

Todas essas políticas de inclusão implantadas em nossa gestão têm mudado a vida de centenas de ludovicenses e de suas famílias. São histórias transformadoras como a da Jane Victoria, que possui Síndrome de Down e integra o corpo de bailarinas do Dançando e Educando, outro programa inclusivo e inédito da gestão municipal. A sua mãe, Adriana Gouveia, jamais imaginou que a filha pudesse colocar as sapatilhas e dançar no palco do Teatro Arthur Azevedo, como aconteceu em dezembro durante apresentação do espetáculo de fim de ano. Hoje, o balé mudou as perspectivas da menina e da sua família, promovendo a inclusão por meio da democratização da arte, e estimulando-a na escola e na vida. É por mais histórias como essa que seguiremos firmes dando cada vez mais oportunidades para que todas essas crianças, jovens, adultos e idosos possam realizar os seus sonhos e terem uma vida menos desigual, mais justa e feliz.

*Edivaldo Holanda Júnior

Prefeito de São Luís

 

Três mulheres recorrem ao suicídio na cidade de Barra do Corda

Uma adolescente conhecida por Beatriz recorreu ao suicídio na manhã do último sábado (16), em Barra do Corda. Este já é o terceiro caso de suicídio cometidos por jovens mulheres naquela cidade, neste mês de março.

O primeiro caso foi da jovem empresária Wigna, que tomou chumbinho, na Vila Simplício. No dia 15, outro suicídio foi registrado no bairro Trizidela, também por ingestão de chumbinho. Neste segundo a jovem ainda chegou a ser socorrida com vida, mas veio a óbito horas depois no hospital.

Na manhã do último dia  hoje, um rapaz tomou soda cáustica também na cidade de Barra do Corda. Conhecido por Leandro, foi levado para UPA onde permanece internado.

Por: Luís Cardoso

 

UMA FOLHA DE PAPEL

*Osmar Gomes dos Santos

Juiz de Direito da Comarca da Ilha de São Luís; Membro das Academias Ludovicense de Letras, Maranhense de Letras Jurídicas e Matinhense de Ciências, Artes e Letras.

Nada mais necessito. Alimento-me da palavra, das ideias, das ilusões fugazes de um mundo que vai do real ao abstrato no simples limiar do pensamento. Sou poeta, escritor, literato, ensaísta ou apenas um entusiasta das palavras. Uma folha de papel e um lápis são as ferramentas que me bastam.

Sentado na calçada, sob uma marquise; ou à sombra de uma árvore, no banco de uma praça; nada mais preciso. Apenas os meus instrumentos são suficientes. Uma folha em branco que logo pode se transformar em uma macabra história, de narrativa sombria, digna de ocupar as mais lidas páginas policiais.

Nela transcrevo o real, a vida nua a crua, a história da vida como ela é. Uma vida sem dó nem piedade, que castiga e oprime. Que segrega, que mata, seja por causa da atuação, da cor, do sexo, das opções sexuais. Por ela mostro a realidade, a escassez, a aridez do sertão, os pés descalços e rachados que marcam a falta de oportunidades nas mãos calejadas do sertanejo.

Na folha de papel coloco as dores do povo baixadeiro, que conhece cada palmo dos segredos da sua peculiar natureza. Das secas aos alagamentos, do vai e vem nos campos, a pé ou de canoa, em busca do alimento diário. Escrevo o voo sorrateiro da jaçanã, a escapada da piranha que não se deixa alcançar pela malha da tarrafa.

Escrevo a infância. Uma infância sofrida, que levanta cedo, que trabalha na lavoura, que edifica a casa, que se aventura na pesca. Mas que também é criança, do sorriso maroto, da alegria escancarada, a ingenuidade peculiar que corre de pés descalços para driblar as adversidades da vida com uma velha bola de meia improvisada.

Na folha de papel escrevo a vida. Uma linda e bela mensagem daquelas que falam de quem faz o bem sem ver a quem. Ou mesmo deixar marcada, para que não se apague, a chama ardente de uma linda e platônica história de amor que faria qualquer Shakespeare suspirar e, tal como ele, se eternizar na literatura romântica ao longo dos séculos.

Papel. Nele, até a mais ácida crítica é rabiscada em rebuscados versos, cujo simples inverso encontra mais significado do que a mais explicita literalidade. Nada mais preciso, além das apreensões imprecisas represadas pelo olhar já quase cansado de uma vida que desfila carregada de narrativas que só querem ser dissertadas.

Uma folha de papel, um lápis. E aquele momento desapercebido, que não mais existe, passa a existir para posteridade. Escrevo, logo existe. Pode ser branca, amarelada, amassada, rasgada ou aquele velho e cinzento papel de pão. Nas mãos do poeta, a mágica ganha vida para que o bailar das letras transforme em colorido aquilo que é captado em preto e branco do antagônico cotidiano.

É a folha que nos acompanha ao longo de toda a vida. Nela é impressa nossa primeira marca, nosso nome. Acumulamos papeladas para tudo que fazemos em nossas relações sociais, aqueles que nos impõem deveres, bem como os que nos asseguram direitos. Assim como aquele que encerra nossa breve passagem sobre este chão.

É o papel do jornal matinal que nos informa, do livro que transporta conhecimento aos quatro cantos. Que permitiu a criação do mundo virtual, paralelo, que também tem os seus “papeis”, ainda que não tangíveis. O mundo só é mundo, real ou virtual, porque alguém ousou rabiscar as primeiras doses de conhecimento, permitindo a evolução da sociedade.

Apenas papel? Depende. Em branco, apenas papel. Mas certamente um convite para que uma imensidão de ideias pensamentos possam ser ali concretizados. Como cantou o poeta, numa folha qualquer se desenha um sol amarelo, uma luva, um castelo ou um guarda-chuva. A folha de papel é o quintal da imaginação, com um fim que ninguém sabe onde vai dar, se não tentar.

Não deixe a vida passar em preto e branco. Sempre haverá tempo de colorir o próprio arco-íris, de contornar as próprias nuvens, carregadas de angústias, de alegrias, de aspirações, de conquistas. Aqui, mais um papel, uma simples folha de papel que, só de birra, teimei em não deixar em branco.

*Juiz de Direito da Comarca da Ilha de São Luís; Membro das Academias Ludovicense de Letras, Maranhense de Letras Jurídicas e Matinhense de Ciências, Artes e Letras.

 

 E-mail pra Dona Bibi

Ei, cidadã, muito bom dia! Espero que estas poucas e mal traçadas venham a encontrá-la na santa paz do Criador por aí. Por aqui, Bibi, o Fúti escapou da garrafa e as bruxas estão à solta. Muita violência.  Muito derramamento de sangue. A começar pela simpática cidade de Suzano, na área metropolitana de São Paulo, onde, esta semana dois tresloucados jovens invadiram uma escola, assassinaram oito pessoas, entre funcionários e estudantes e depois se suicidaram.

Eram ex-alunos da instituição de ensino. Nada explica o gesto. Antes do massacre, um deles foi à loja de um tio e o matou. Não justificaram nada. O PT logo entrou em ação e debitou a culpa na política armamentista do presidente Jair Bolsonaro. Coisa de quem não tem argumento. Digo e repito, que os dois malucos agiram motivados pelas ações daqueles atiradores norte-americanos sem causa, que de vez em quando fazem algo semelhante em escolas secundárias e universidades nos EUA.

A polícia carioca  finalmente desvendou o assassinato da vereadora Mariella Franco. Ação tenebrosa que chocou o mundo. Autores: um sargento da PM aposentado e um que foi expulso da corporação. Ambos mercenários. Capazes de assassinaram as próprias mães por um punhado de dinheiro. Também o PT  tenta fazer ligação com Bolsonaro, porque o sargento Lessa, o executor, tem uma casa no mesmo condomínio do presidente da República.

O PT também deveria fazer uma ligação entre o assassino e os proprietários de lanchas que atracam suas embarcações na Marina da Glória, porque a polícia confiscou uma portentosa embarcação do pistoleiro, no valor de R$ 600 mil. Pelo visto, morena, o PT perdeu o poder e também o rumo da história. Seus dirigentes a exemplo da presidente nacional da sigla, a Gleisi Hoffman, deram pra falar coisa com coisa. A continuar assim, ao invés de cadeia, vão parar é no hospício.

Sim, mas voltando à questão da violência, nem bem o mundo centrava sua atenção no massacre de Suzano, eis que uma nova tragédia chama a atenção. Na Nova Zelândia, país notabilizado pela sua natureza exuberante, um louco varrido invade uma mesquita e executa 49 pessoas e deixa cerca 48 feridos, algumas em estado crítico de saúde. Coisas da religião.

Vem também um susto de Brasília, onde um professor revoltado, armado de facão e uma besta invadiu o prédio da Secretaria de Educação do Distrito Federal e rumou para o gabinete do secretário. Claro que não ia lhe entregar flores. Foi detido a tempo e mais uma tragédia foi evitada.

Aqui em São Luis, morena, um menor participou do assassinato tiros de  um motorista de ônibus, ali próximo ao Ceprama. Latrocínio. Não posso citar aqui sequer as inicias do criminoso, porque senão o Ministério Público vai querer comer o meu fígado. Mas esses menores delinquentes podem matar esfolar e tocar fogo em cadáveres. Recebem a total proteção do poder público. Vão para a ressocialização. Saem de lá com mestrado e doutorado em criminalidade.

*

Bem minha fofinha, vamos agora às mais interessantes.

*

Dona Elineide e a Elineusa se mandaram para Imperatriz. Foram visitar a mais nova integrante da família, a Luísa, filha da Rafaela com o Markus. Pelo jeito, as duas também botarão resguardo. Vi a foto da paquerrucha. Uma lindeza. Dá vontade de dar um arrocho…

O Luiz Fernando deixou a Prefeitura de Ribamar e assumiu a Secretaria de Assuntos Estratégicos do Governo Flávio Dino. Resta saber que estratégia é essa que levou o Luis a deixar uma das poucas prefeituras do Maranhão com FPM especial para virar secretário.

*

São muitas as ilações. Todo mundo tem um palpite. Quem frequenta as rodas políticas sabe disso. Na sexta-feira, me disseram lá no Shopping Tropical, que o Luis Fernando estaria sendo preparado  para disputar a próxima vaga de Senado, já que a meta do governador Flávio Dino seria a presidência da República.

*

Mas tem quem considere a possibilidade do LF concorrer até mesmo à vice-governadoria, numa chapa com o atual vice-governador Carlos Brandão, que aí não teria a possibilidade de reeleição, em vencendo o governo na sucessão de Flávio Dino.

*

Como em política toda conversa é válida, também tem quem aposte as fichas na possibilidade do LF concorrer à prefeitura de São Luis no próximo ano. Acho isso difícil, porque ele está deixando a prefeitura de São José de Ribamar com índices nada satisfatórios. Então, enfim, resta esperar no que vai dar essa estratégia do governador Flávio Dino com o Luis Fernando.

*

Como te falei anteriormente, política é a coisa mais imprevisível que pode existir. Mais do que humor de mulher. Me falaram aqui, no pé do ouvido, que nas conversações para levar o Luis Fernando para o governo Flávio Dino, até mesmo o ex-governador Zé Reinaldo esteve empenhado.

*

Tem parlamentar de primeiro mandato que conquistou o cargo aliando beleza física e bom desempenho de oratória, mas que está perdendo é feio em articulação na Assembleia Legislativa e caminhando para o isolamento, prejudicando inclusive mandato executivo de cônjuge.

*

Tem instituição que mudou de direção e está dando péssimo exemplo. Até hoje não pagou os salários  de quem foi dispensado, relativo ao mês de fevereiro. O discurso  foi de cumprimento dos deveres assumidos.

*

E por lá, ninguém sabe quem manda mais. Se o eleito presidente ou se um de cargo secundário na chapa, que passa o dia dando ordem pra deus o mundo e seu Raimundo. Há desenho de choque no ar.

*

Há quem diga que a prefeita de Cajari não chegará ao final do mandato, por conta das graves irregularidades ali praticadas. Contratação irregular de funcionários é o carro chefe das contradições à legislação atual. O Ministério Público já está de olho nas histórias.

*

Falando em Ministério Público, a prefeita de Cururupu, Professora Rosinha, está se vendo aperreada com uma série de denúncias contra a administração dela na cidade.

*

Uma determinada secretaria municipal de São Luis deverá ser manchete dentro de poucos dias. É que tem assessor de alta patente acumulando cargo lá e no Estado. Assessoria é função de dedicação exclusiva. Tudo com apoio do titular.

*

Bem, minha fofa, com essa teu pretinho vai ficando por aqui, garantindo retorno na próxima semana, se Deus quiser. Ele quer, porque sempre foi bacana com esse teu pimpolho aqui.

*

Beijão desse filhote que jamais deixará de te amar

Djalma

N.E- Bibi é Benedita Rodrigues, mãe do editor. Ela faleceu aos 28 anos de idade, em 8 de dezembro de 1965, em São Luis.

 

Prefeitura de Cajari insiste em desrespeitara lei   fazendo contratações ilegais

 

 

Prefeitura de Cajari encaminha projeto e Câmara Municipal aprova contratação de professores e monitores de ônibus escolares, em total desrespeito à lei reguladora do concurso público e em total afronta à constituição federal, que exige a realização de concurso público para contratação de servidores.

Por outro lado, existem excedentes do concurso público anterior para professores o que torna eivado de irregularidade o ato da prefeita e da câmara de vereadores de Cajari.

O Ministério Público de Viana tem o dever de se posicionar e apurar esses atos , não podendo silenciar .

Por outro lado, existem professores deslocados de suas funções , sem prestar serviços, bastando que o Ministério Público requisite a relação de professores de todo o município, as suas respectivas lotações e faça uma inspeção nos locais.

Por outro lado, não existe estrada em condições de ônibus trafegar além da sede , nem mesmo carros traçados conseguem chegar ao povoado ladeira , um dos mais próximos da sede. A finalidade das contratações é puramente eleitoreira já que as eleições estão se aproximando.

Por outro lado, o rol de contratados irregularmente já existente sinaliza para atrasos de até quatro meses.

A oposição promete recorrer à justiça para barrar a farra das contratações irregulares.

Presos assaltantes que mataram motorista em parada de ônibus na capital

Policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa Humana já prenderam os dois assaltantes que mataram hoje cedo (sexta-feira 15) o motorista da Taguatur, Alex  de Paulo Oliveira, 36 anos, numa parada de ônibus em frente ao Ceprama, no Anel Viário.  

As imagens de monitoramento flagraram os dois bandidos após a morte do motorista. A dupla tentou roubar uma mochila de Alex e houve luta corporal entre eles, tendo um assaltante dado um tiro na cabeça da vítima. Os bandidos estavam escondidos em um manguezal daquela região

Osmar Filho dialoga com Movimento das Mulheres do PDT

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT) recebeu neta quinta-feira (14), representantes da Ação da Mulher Trabalhista (AMT), movimento de mulheres do partido que foram apresentar ao chefe do Legislativo Municipal a sua nova Executiva Estadual.

O grupo também foi convidá-lo para a implantação do Fórum Estadual de Organismos de Mulheres de Partidos, que terá o PDT como um de seus membros e será instalado no estado no próximo dia 28, em uma solenidade na Assembleia Legislativa do Maranhão.

“O Osmar, como presidente da Câmara de Vereadores e integrante da executiva nacional, não pode ficar de fora de um momento como este, que será histórico, não só para o partido, mas para o movimento de mulheres no Maranhão e no Brasil. Recebemos o seu apoio na busca da paridade, não só na política, como nos diversos espaços de poder”, disse Kariadine Maia, presidente do coletivo.

Fazendo uma ampla reflexão sobre o papel da mulher na sociedade e dos espaços que tem conquistado, Omar Filho agradeceu a visita e se colocou a disposição, enquanto membro do partido, vereador e presidente do Legislativo Municipal, para colaborar com as ações da AMT e com a sua luta para conquistar mais espaço na sociedade e na política

“É um processo natural que cada vez mais as mulheres ocupem esses espaços”, ressaltou o vereador.

Ele lembrou o ótimo desempenho do PDT nas últimas eleições – municipal, estadual e federal – e que nesses processos a contribuição das mulheres do partido foi de grande importância.

Além da presidente da AMT, o encontro teve as presenças da vice-presidente Marileide Rocha Marques de Souza, da secretária geral Dilma Nascimento, da assessora jurídica Fernanda Verde e da vice-prefeita de Santa Quitéria e tesoureira do movimento, Ana Cláudia.

Professor armado com facão e ‘besta’ invade Secretaria de Educação para matar secretário

Um homem armado invadiu, nesta sexta-feira (15), a sede da Secretaria de Educação do Distrito Federal, no Setor Bancário Norte. Ele levava uma faca de caça e uma besta (espécie de arco) com seis flechas – arma idêntica a que foi usada no massacre de Suzano.

O homem, que é professor, chegou a subir até o 12º andar, onde fica o gabinete do secretário Rafael Parente – que estava em uma reunião na Residência Oficial do Governo do DF. Ele foi detido antes que pudesse ferir alguém.

O invasor foi imobilizado pela Polícia Militar, que havia sido chamada pelos seguranças e levado para a delegacia. De acordo com a secretaria, ele é professor de violino erudito da Escola de Música de Brasília e tem histórico de problemas psíquicos.

O professor relatava ter adoecido por conta do trabalho. O nome dele não foi divulgado.

Segundo a pasta, ele já tinha procurado a Ouvidoria havia alguns dias, mas voltou ao local alegando que “algo precisava ser feito”.

A invasão deixou os servidores em pânico. Durante os cerca de dez minutos de tensão, seguranças deram cobertura aos funcionários da secretaria.